BTPapo 036 – Entrevista com Ariovaldo Ramos

Muito bem, muito bem, muito bem!

Começa agora o #BTPapo, mais uma atração teológica do BiboTalk.
Nesse episódio Bibo recebe Ariovaldo Ramos para um bate papo sobre diaconia e assistência social, fazendo também observações importantes sobre a TMI.

OFERECIMENTO – LOJA DO SUPORTE
http://lojadosuporte.com.br/

ASSINE O CANAL DO BIBOTALK NO YOUTUBE
http://www.youtube.com/bibotalkvlog

Categorias: BTPapo,Vídeos

Tags: ,,,

  • Ronarigudo

    Sou de direita e creio que existem muitas pessoas de esquerda que serão salvas.
    Uma pena o Ariovaldo achar que vou para um “lugar acolhedor e quente” só porque não concordo com sua ideologia. 😉

    • Cara, vou te dizer. Na hora da entrevista, isso passou batido por mim. Depois que vi o vídeo pronto. Achei palha tbm se ele realmente quis fazer essa referência…

      • Tiago Pascoal

        Sinceramente…. Vai muito do olhar de quem está interpretando… Se a minha mente for renovada por Cristo eu posso dizer que esse LUGAR ACOLHEDOR e QUENTE seja os braços do Senhor nosso Deus e não o inferno.

        DESCULPEM PELO COMENTÁRIO… SR. MODERADOR DESCONSIDERE POR NÃO HAVER NEXO COM A REAL INTENÇÃO DO INTREVISTADO.

  • Felipe

    Caramba, segundo esse comentário abaixo, para ser salvo tem que ser de direita? Ninguém me avisou….Obrigado!

    • Ronarigudo

      Amigo,
      acho que você me entendeu errado. O próprio Bibo entendeu meu comentário.

      Eu quis dizer justamente o contrário. Ideologia política não define quem vai
      para o céu.

      O Ariovaldo que disse que todos que o criticam por causa da relação dele com o
      Marxismo vão queimar no inferno. E quem critica ele é o pessoal de direita.

      Me entendeu errado amigo. Graça e paz!

  • Anderson Diego

    Olha, vou postar aqui uns pontos que observei:

    – Como ele pode dizer que o cristianismo (corpo de doutrinas ) fracassou como religião se o ocidente foi alicerçado sobre a bíblia?

    -Discordo veementemente da posição dele em dizer que Marx imitou Jesus sendo que Marx nunca botou a mão na massa pra nada, fomentava ódio entre classes e queria o fim do cristianismo.

    – Demonstrou muita falta de amor vindo de alguém que fala em amor o tempo todo (com relação a quem questionava a relação missão
    integral e marxismo).

    – Demonstrou muito desprezo com o cristianismo histórico e seu legado de 2000 anos (o velho conceito de que o que é tradicional é ruim e o revolucionário é novo).

    – Demonstrou muita birra com pessoas estrangeiras mas não poupou elogios à Samuel Escobar e René Padilha (que são alinhados com o pensamento dele)

    – O lugar quente e acolhedor seria o mesmo que inferno? Espero que não…9até o entrevistador postou no site que não percebeu na hora e lamentou)

    • Ariovaldo Ramos

      BiboTalk

      Respondendo:

      Jesus Cristo disse que o caminho que leva à perdição é largo e espaçoso. É, portanto, acolhedor. E são muitos os que entram por ele.

      Paul Washer, pregador americano, que foi missionário na América Latina, disse que a prática atual dos seus compatriotas os está levando para o inferno. Ratifiquei.

      Karl Jasper, pai da psicologia moderna disse que nenhuma filosofia ocidental há que não tenha nascido da Bíblia. Ratifiquei e ratifico.

      O que mudou o Ocidente foi a Bíblia, vivida e pregada por homens e mulheres repletos de Deus, como escreveu Mangawad.

      O Cristianismo é um movimento religioso levado a cabo por instituições que se entenderam como representantes da Igreja, e que gerou a diferença entre fiéis e infiéis e, perseguindo os infiéis, produziu a era das trevas, por meio de guerras sanguinárias, das quais a mais conhecida é a denominada de Cruzadas, por meio da inquisição. Gerou, só na Europa, guerras que duraram 30 anos, gerou a noite de São Bartolomeu, o massacre dos camponeses anbatistas, o apartheid, sustentou a escravidão, apoiou a colonização predatória e se calou diante do nazismo e do fascismo. Fez aliança com ditaduras cruéis. Este movimento pseudo religioso foi, principalmente, enfrentado por cristãos fiéis cuja vida, martírio e intercessão impediram que este movimento ficasse sem oposição, e, não poucas vezes, aos que foram tidos como os fracos venceram os que se entendiam como fortes.

      • Anderson Diego

        Ariovaldo, obrigado pela resposta e esclarecimento. Ainda tenho alguns questionamentos e ficaria feliz caso você pudesse responder:

        – Os exemplos citados pelo senhor referem-se a igreja católica apostólica romana que desde 1050 não é unaminidade entre os cristãos, principalmente após a reforma. É bem verdade que a igreja cometeu muitos erros em sua existência, porém, se compararmos com as demais instituições ela fica muito atrás. basta comparar a inquisição que o senhor citou (50.000 mortes em 4 séculos) com a revolução francesa de 1789 (onde 10 mil pessoas morriam por semana) ou por exemplo, a revolução russa de 1917 que em 4 anos matou mais de 5 milhões de pessoas, ou a revolução de Pol Pot no Camboja que em 5 anos matou 2,1 milhões de pessoas. Afastar o ser humano do divino sempre causa transtornos incomparáveis, mesmo com os erros da igreja.

        – A “era das trevas” é um argumento utilizado por historiadores que tentam desmerecer o cristianismo acusando-o de ser o causador de todos os males do mundo atual, mas eu irei citar Vishal Mangawaldi que o senhor citou mais acima em sua resposta. No livro “o livro que criou o seu mundo” esse autor mostra brilhantemente que justamente durante a “idade das trevas” foi que o cristianismo e seus mosteiros lançaram a base para a nossa civilização, tais como: Valor intrinseco do ser humano, que deu origem aos direitos humanos, a questão de não se desprezar a racionalidade humana, o empenho pela ciência (cita Isaac Newton, Francis bacon, Galileu Galilei, etc) como forma de se conhecer a vontade de Deus, a criação das primeiras universidades, o acesso a educação pela camada mais pobre (fato que se consumou na reforma protestante). Por isso, sua critica a igreja romana na idade média é uma MEIA VERDADE. Ela cometeu erros sim, porém teve acertos que nos legaram muitos dos confortos de hoje.

        – Os anabastistas eram um grupo extremamente confuso, tanto que Lutero, calvino e Zwinglio nao simatizavam com eles (não só a igreja romana). Pesava o fato deles pegarem em armas para protagonizar uma revolução armada se valendo da reforma para isso.

        – Se por um lado a igreja supostamente nada fez contra a escravidão, por outro William Wilberforce lutou pelo fim da escravidão na Inglaterra e como consequência se espalhou pelo.mundo; Martin Luther King lutou pelo fim do.apartheid na América.

        – As ditaduras cruéis que existiram são de âmbito principalmente comunista ou derivada deste: Ditadura na União Soviética, na Alemanha nazista (sim, Hitler declarou no “mein Keimpf” a destruição do capitalismo e numa entrevista ao jornal “the guardian” declarou que era socialista) ditadura no Camboja por Pol Pot, em Cuba por Fidel….

        -Falando em nazismo, a igreja foi muito bem representada na figura de Dietrich.Bonhoeffer que foi assassinado por e opor à Hitler bem como as igrejas cristãs que foram perseguidas por esse mesmo movimento na Alemanha, Áustria, etc.

        Posto isso, gostaria de perguntar:

        – No video “Missão integral é marxismo?” o senhor afirma categoricamente que não, apenas dialoga com o marxismo. Mas em seguida afirma que a TMI concorda com a mais-valia e a origem do capital, sendo que essa é a doutrina mestre do marxismo. Seria o mesmo que dizer “não sou cristão, apenas concordo que a biblia é inerrante, Jesus é Deus e somos salvos pela fé no sacrificio e ressurreição do mesmo”. Como o senhor explica isso? Até para desfazer qualquer mal entendido que eu possa estar vendo erroneamente.

        Desde já, muito obrigado.

  • Anderson Diego

    Olha, vou postar aqui uns pontos que observei:

    – Como ele pode dizer que o cristianismo (corpo de doutrinas ) fracassou como religião se o ocidente foi alicerçado sobre a bíblia?

    -Discordo veementemente da posição dele em dizer que Marx imitou Jesus sendo que Marx nunca botou a mão na massa pra nada, fomentava ódio entre classes e queria o fim do cristianismo.

    – Demonstrou muita falta de amor vindo de alguém que fala em amor o tempo todo (com relação a quem questionava a relação missão
    integral e marxismo).

    – Demonstrou muito desprezo com o cristianismo histórico e seu legado de 2000 anos (o velho conceito de que o que é tradicional é ruim e o revolucionário é novo).

    – Demonstrou muita birra com pessoas estrangeiras mas não poupou elogios à Samuel Escobar e René Padilha (que são alinhados com o pensamento dele)

    – O lugar quente e acolhedor seria o mesmo que inferno? Espero que não…(até o entrevistador postou no site que não percebeu na hora e lamentou)

  • Jucelino Souza

    Após assistir o vídeo, tenho a impressão que é muito possível que o sr. Ariovaldo Ramos, não tenha lido ainda MARX, ou talvez nem leu o SENHOR Jesus Cristo, com toda certeza o evangelho do qual ele fala não é genuinamente cristão, nem bíblico, é apenas o evangelho da “missão integral”.

    • Alexander Stahlhoefer

      Assim como meu evangelho é só o evangelho do Alex, o do Lutero é o evangelho do Lutero e o seu, é o evangelho de Jucelino. Todos tempos pressupostos, e me arde as vistas ler esse tipo de ataque barato onde se desmerece o outro para “ganhar’ briguinhas bobas.

      • Qualquer tentativa de criar uma “teologia de missão” que tenta em ultima instância promover o céu na terra, em uma “praxis” que descarta uma ótica soteriológica e escatológica bíblica, é extremo equivoco e não leva a lugar algum.

        • Alexander Stahlhoefer

          Concordo com tua crítica ao risco das teologias que promovem o céu na terra. A questão é diferenciar se realmente a TMI quer promover o céu na terra (me lembro de irmãos beeem conservadores do fim da década de 90 que tinham posições pós-milenistas muito mais claras que a da TMI e nem por isso foram censurados com tanta veemência, simplesmente pq eles compartilhavam da piedada evangélica conservadora). Toda teologia que se lance a perguntar sobre o papel da ação da igreja em relação aos pobres e a justiça é uma teologia que quer promover o céu na terra? O fato de vc querer que a vida das pessoa seja um pouco mais digna e confortável é realmente um erro teológico? Nesse caso, qual a diferença entre a ética calvinista que defende o trabalho e o ganho decorrente deste como “prova’ da fé do cristão, e a ética da TMI que defende dar oportunidade para todos conquistarem o seu pão? Não estão ambas as teologias, em última instancia, buscando melhorar condições de alguém?

          • Apostasia do evangelicismo ideológico.- “Infelizmente as ideologias políticas tem sobrepujado a fé! Existem, sim grandes e belas causas defendidas legitimamente por cristãos. Nem deveria ser diferente quando se trata de cristãos! O lamentável é quando a cegueira ideológica não deixa mais que se veja e respeite o outro! Não seria preferível que as louvadas iniciativas cristãs em favor do próximo fossem simplesmente isso: Ações de amor e misericórdia pelo próximo? Por que tanta questão de querer demonstrar supremacia ideológica com rótulos do tipo progressista, conservador, esquerda, direita, etc!?” ~ Rodomar Ramlow, pastor e professor da Fatev (Faculdade de Teologia Evangélica em Curitiba)

            “o mundo […] está repleto de descrentes que compreendem melhor a Bíblia do que os teólogos. Tanto mais que, atualmente, a teologia se tornou ‘a louca da casa’, envergonhada de sua própria fé. Transformou-se em uma lacaia das modas intelectuais, querendo ser aceita por marxistas, freudianos, e foucaultianos, em um mundo afogado em ressentimento e onde todos são mimados e todos se ofendem” ~ Luiz Felipe Pondé (filósofo sem fé, mas, encantado com Deus)

          • Alexander Stahlhoefer

            O Rodomar escreve pra um período da teologia da libertação… cuidado com ele!! rs.

          • Nãooooo! teologia da libertação?! Ninguém é perfeito. Bota mais lenha a fogueira..se bem que, em tempos de aquecimento global devemos reduzir o uso das fogueiras! rs Thanks for the heads up Alex!

          • Alexander Stahlhoefer

            Segundo um amigo comum, ele teria dito que onde abrirem espaço ele publicaria. Mas sei que ele tem inclinações pela TMI (na sua veia não marxista), assim como eu.
            Abraço!!

          • Bem, está publicamente exposto o grande equivoco de AR e a Base Marxista da TMI https://youtu.be/EC7onU_jSWA

  • Antenor Henrique Trianon

    Valeu Bibo, grande entrevista, sempre que ouço o Ariovaldo Ramos eu me dou conta de como é difícil se livrar dessa dicotomia que criamos entre fé e missão. Achamos que pregar o evangelho é só falar de Jesus e pronto, sem nos importarmos com sua vida, com suas dores e necessidades. Um abraço a toda a galera do Bibotalk!

  • Ariovaldo Ramos

    Respondendo:

    Jesus Cristo disse que o caminho que leva à perdição é largo e espaçoso. É, portanto, acolhedor. E são muitos os que entram por ele.

    Paul Washer, pregador americano, que foi missionário na América Latina, disse que a prática atual dos seus compatriotas os está levando para o inferno. Ratifiquei.

    Karl Jasper, pai da psicologia moderna disse que nenhuma filosofia ocidental há que não tenha nascido da Bíblia. Ratifiquei e ratifico.

    O que mudou o Ocidente foi a Bíblia, vivida e pregada por homens e mulheres repletos de Deus, como escreveu Mangawad.

    O Cristianismo é um movimento religioso levado a cabo por instituições que se entenderam como representantes da Igreja, e que gerou a diferença entre fiéis e infiéis e, perseguindo os infiéis, produziu a era das trevas, por meio de guerras sanguinárias, das quais a mais conhecida é a denominada de Cruzadas, por meio da inquisição. Gerou, só na Europa, guerras que duraram 30 anos, gerou a noite de São Bartolomeu, o massacre dos camponeses anbatistas, o apartheid, sustentou a escravidão, apoiou a colonização predatória e se calou diante do nazismo e do fascismo. Fez aliança com ditaduras cruéis. Este movimento pseudo religioso foi, principalmente, enfrentado por cristãos fiéis cuja vida, martírio e intercessão impediram que este movimento ficasse sem oposição, e, não poucas vezes, aos que foram tidos como os fracos venceram os que se entendiam como fortes.

  • Thaís Vieira

    Graaaaaaande entrevista Bibo! Muito legal. Já escutei várias mensagens do Ariovaldo na internet e tbm pessoalmente. Homem de visão. Valeu pelo conteúdo 😉