BTPapo 042 – Conferência da Fiel

Muito bem, muito bem, muito bem!

Começa agora o #BTPapo, mais uma atração teológica do BiboTalk.
Nessa semana Bibo fala sobre a sua experiência na conferência da Fiel 2015, um lugar de encontro da fé reformada.

ASSINE NOSSO CANAL https://www.youtube.com/user/bibotalkvlog

ACESSE A BTSTORE http://bibotalk.com/btstore

EDIÇÃO Tuller – http://youtube.com/gabrieltullervlog

ILUSTRAÇÕES Caio – http://caiodart.com.br/

Categorias: BTPapo,Vídeos

Tags: ,,,,,

  • Penso que a principal diferença entre Calvinistas/Reformados e Luteranos esteja no seu enfoque da predestinação: Calvinistas (Supralapsarianos) acreditam em “dupla predestinação” — A visão que basicamente ensina que Deus predestinou algumas pessoas para se salvarem e outras para se perderem — Este enfoque gerar um grande debate sobre a natureza da santificação. De um lado Calvinistas preocupam-se com o pecado da idolatria e o “processo” de santificação, junto a esses vem as infindáveis aplicações bíblicas e disciplinas espirituais. Do outro lado Luteranos priorizam a justificação pela fé (Rm 9), e o principal pecado sendo a autojustiça do homem. Alguns dizem que Calvino, depois de defender a justificação pela fé, ensina a justificação pelas obras, “dupla justificação” Google Tradutor http://buff.ly/1Qs8cBD.

    Já para Lutero a justificação é central. A visão Luterana da rejeição da predestinação para o mal na Igreja Luterana:

    “Deus conhece de antemão as intenções do diabo e as ações dos ímpios, mas Ele não as predestina. Ele predestina, porém, que a punição para os seus pecados deve ser feita com um julgamento justo”.

    Martin Chemnitz, Teólogo Luterano

    “é simplesmente a determinação de Deus que ele vai punir aqueles que rejeitam o evangelho, não nega a graça universal ou expiação, e de modo algum significa que Deus tem alguma coisa a ver com a rejeição de qualquer pessoa ao evangelho. O homem escolhe a condenação, Deus simplesmente decretou trazer a punição.”

    Fonte: http://justandsinner.blogspot.com.br/2012/01/chemnitz-approved-of-double.html

    Pode parecer com a visão do soterológica do Aminianismo, mas não é. Teria que elaborar mais a respeito das diferenças. Mas a principal diferença é que no Arminianismo há sempre uma expectativa sinergística de espera que algo aconteça da pare do homem para aceitar a Cristo, o que não ocorre na visão Luterana.

    E seguindo o conselho do próprio Lutero discutir sobre predestinação, não é prioridade. Lutero disse:

    “Eu esqueço tudo sobre Cristo e Deus quando eu me encontro nestes pensamentos e de fato chego ao ponto de imaginar que Deus é um velhaco. Nós devemos ficar no mundo, no qual Deus é revelado para nós e a salvação é oferecida, se nós cremos nele. Mas ao pensar sobre predestinação, nós esquecemos de Deus… Contudo, em Cristo estão escondidos todos os tesouros (Cl 2:3); fora dele tudo está trancado. Então, nós deveríamos simplesmente recusar discutir sobre a eleição. Tal disputa é tão irritante para Deus que ele instruiu o Batismo, a Palavra dita, e a Ceia do Senhor para agir contra a tentação de se engajar nisto. Nestes, devemos persistir e constantemente dizer, eu sou batizado e acredito em Jesus. Eu não me importo nem um pouco sobre a predestinação. “ – Martinho Lutero

    Lutero tinha e incentivava a outra prioridade:

    “Fazer essa diferenciação entre Lei e Evangelho é a arte suprema no cristianismo, que todos os que se gloriam ou adotam o nome ‘cristão’ deveriam saber e dominar”

  • Penso que a principal diferença entre Calvinistas/Reformados e Luteranos esteja no seu enfoque da predestinação: Calvinistas (Supralapsarianos) acreditam em “dupla predestinação” — A visão que basicamente ensina que Deus predestinou algumas pessoas para se salvarem e outras para se perderem — Este enfoque gerar um grande debate sobre a natureza da santificação. De um lado Calvinistas, orientados para a Lei e centrados na Soberania, preocupam-se mais com o pecado da idolatria e o “processo” de santificação, junto a esses vem as infindáveis aplicações bíblicas e disciplinas espirituais (Richard Foster). Do outro lado Luteranos priorizam a justificação pela fé (Rm 9), e o principal pecado sendo a autojustiça do homem. Alguns dizem que Calvino, depois de defender a justificação pela fé, ensina a justificação pelas obras, “dupla justificação” – “São boas obras necessárias para “alcançar o Céu?” (Texto citando John Piper) Google Tradutor http://buff.ly/1Qs8cBD

    Já para Lutero a justificação é central. A visão Luterana da rejeição da predestinação para o mal na Igreja Luterana:

    “Deus conhece de antemão as intenções do diabo e as ações dos ímpios, mas Ele não as predestina. Ele predestina, porém, que a punição para os seus pecados deve ser feita com um julgamento justo”.

    Martin Chemnitz, Teólogo Luterano

    “é simplesmente a determinação de Deus que ele vai punir aqueles que rejeitam o evangelho, não nega a graça universal ou expiação, e de modo algum significa que Deus tem alguma coisa a ver com a rejeição de qualquer pessoa ao evangelho. O homem escolhe a condenação, Deus simplesmente decretou trazer a punição.”

    Fonte: http://justandsinner.blogspot.com.br/2012/01/chemnitz-approved-of-double.html

    Pode parecer com a visão do soterológica do Aminianismo, mas não é. Teria que elaborar mais a respeito das diferenças. Mas a principal diferença é que no Arminianismo há sempre uma expectativa sinergística por uma resposta a espera que algo aconteça da pare do homem para que ele aceite a Cristo, o que não ocorre na visão Luterana.

    E seguindo o conselho do próprio Lutero discutir sobre predestinação, não é prioridade. Lutero disse:

    “Eu esqueço tudo sobre Cristo e Deus quando eu me encontro nestes pensamentos e de fato chego ao ponto de imaginar que Deus é um velhaco. Nós devemos ficar no mundo, no qual Deus é revelado para nós e a salvação é oferecida, se nós cremos nele. Mas ao pensar sobre predestinação, nós esquecemos de Deus… Contudo, em Cristo estão escondidos todos os tesouros (Cl 2:3); fora dele tudo está trancado. Então, nós deveríamos simplesmente recusar discutir sobre a eleição. Tal disputa é tão irritante para Deus que ele instruiu o Batismo, a Palavra dita, e a Ceia do Senhor para agir contra a tentação de se engajar nisto. Nestes, devemos persistir e constantemente dizer, eu sou batizado e acredito em Jesus. Eu não me importo nem um pouco sobre a predestinação.“ – Martinho Lutero

    Lutero tinha e incentivava a outra prioridade:

    “Fazer essa diferenciação entre Lei e Evangelho é a arte suprema no cristianismo, que todos os que se gloriam ou adotam o nome ‘cristão’ deveriam saber e dominar”

  • Deborah Pedroso

    Poxa, Bibo, eu acompanhei a Conferência online, e tive esta mesma impressão que vc. Para mim, esta foi uma conferência para a igreja de Cristo, independente se reformada, pentecostal, tradicional… Me senti muito abençoada, e com meu coração repleto de alegria por este trabalho realizado pela Fiel. Não sou reformada, na verdade estou em cima do muro, mas gosto muito de ouvir e acompanhar os teólogos reformados.
    Louvo a Deus pela vida de vcs aqui no BiboTalk que tem feito a diferença. Deus os abençoe!

    Grande abraço.

  • Victor

    Caramba Bibo….foi um vídeo pro coração! Passei muito por isso e também fui um pouco desse arrogante de internet. Depois parei de comentar em sites. Voltei há bem pouco tempo e tenho sido mais respeitoso com todos, mesmo que sempre apareça alguém exaltado. Acho que a opinião que tu tem dos reformados é a mesma minha, inclusive em relação ao Steve Lawson..rsrsrsrs…mas também não suporto muito o John McArthur….kkkkkkkk. Mas são homens de Deus, sem dúvida. Ouço e consumo muito material reformado, mas já fui calvinista e hoje, depois de algum (parco) estudo, posso me considerar arminiano, mas respeito muito os calvinistas. Eles tem uma excelente teologia e um zelo muito grande pelo verdadeiro evangelho. A maioria dos arminianos que conheço são, na verdade, semipelagianos, e não tem muito interesse por essas coisas (não que sejam essenciais, mas ajudam a entender).

    Mas dá nos nervos realmente ouvir que “o calvinismo é o evangelho”. Já ouvi isso até de pregadores famosos!! É triste, mas desde o início da igreja existem debates e confusões teológicas desse tipo. Como não podemos mudar esses caras, mudamos a nós mesmos e ficamos impressionados com o tanto que temos de mudar e o quanto isso é duro para o nosso ego. Tenho aprendido muito a ser menos arrogante e ter opinião formada pra tudo. Como isso dá problema! Mas foi muito bom ouvir isso. Foi como se estivesse me ouvindo num desabafo….. subiu muito no meu conceito…kkkkkkk! Abração e fica com Deus!