Tomada de Decisões – Em busca da vontade revelada

Um ano novo começando e com ele aquelas perguntas que, pelo menos para mim, rondam sempre minha cabeça por mais que a virada de ano seja apenas um marco de tempo. O que esse ano vai trazer? O que é prioritário, entre tantas coisas que tenho a fazer? Será que tal coisa vai ser da vontade de Deus? Em tempos onde se tem tantas opções a escolher,  olhamos para trás e vemos que realmente vivemos um momento em que temos uma infinidade de opções.  Converse um pouco com seus pais ou avós, veja como eles não tinham nem de perto a quantidade de opções que você tem hoje em diversas áreas. Emprego? Quem nascia na roça, trabalharia na roça. Casamento? Seu futuro cônjuge seria do convívio da própria família, no máximo de um cidade vizinha. Estudo? Era aquilo que a escola mais próxima oferecia. Carro? Tinha uns 3 ou 4 modelos. Casa? Você construiria num terreno da família. Roupas? Era uma meia dúzia de opções, isso se elas já não viessem dos irmãos mais velhos. Veja como em tempos passados as escolhas eram limitadas, o que querendo ou não, facilitava em muito a tomada de decisão. O assunto central é justamente esse, escolhas ou tomadas de decisão.  Como hoje temos essa quantidade enorme de opções, o que deveríamos fazer? Como deveríamos orar? Devemos orar pedindo mais sabedoria, ou seria melhor orar para saber a vontade não revelada de Deus?

“Como pode o jovem manter pura a sua conduta? Vivendo de acordo com a tua palavra.
Eu te busco de todo o coração; não permitas que eu me desvie dos teus mandamentos.
Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti.” (Salmo 119:9-11)

O texto acima enfatiza o período da juventude, mas creio que tem um motivo, por certo que a juventude é o período onde tomamos as decisões mais impactantes para o decorrer da vida, que faculdade fazer, em que trabalhar, com quem se relacionar, com quem casar, ou até em decidir se manter solteiro. Infelizmente há e houve um engano quanto a vontade de Deus, há uma sede em saber a vontade “encoberta” de Deus, que possivelmente nunca será descoberta, se for, amém, mas o próprio Deus diz em sua Palavra, que há coisas que necessariamente estão e ficarão encobertas, ou seja, você pode passar a vida toda orando por uma revelação de Deus, que talvez Deus não queria revelar.

“As coisas encobertas pertencem ao Senhor, ao nosso Deus, mas as reveladas pertencem a nós e aos nossos filhos para sempre.” (Deuteronômio 29:29)

Deus, acima de tudo, já se revelou e foi de maneira extremamente profunda, a palavra de Deus é muito vasta, com ensinamentos para toda uma vida. Por que tanta gente busca a vontade encoberta de Deus e não busca por sabedoria do alto? Deus em sua soberania não vai te pegar pela mão todos os dias e dizer, veste esse casaco vermelho, vira a esquerda, toma Toddy ao invés de Nescau. Ele pode fazer isso, claro que pode, ele faz isso, eventualmente sim, mas são exceções, essa com certeza não é a regra. Porque o salmista diz: “Não me permitas que me desvie dos teus mandamentos”? Me parece óbvio que ele sabia que os mandamentos seriam importantes para ele, não só para não pecar, mas que se pecasse soubesse para onde voltar. É muito mais pensar do que sentir, paute suas escolhas na Bíblia, realmente invista tempo em estudar ela, isso irá te poupar de muita dor e feridas. Em escolhas onde os dois caminhos são corretos e direitos perante a Palavra, escolha um e vá. Todo caminho tem suas vitórias e derrotas e Deus estará com você independente para onde você for. Se entendêssemos realmente a magnitude do Deus que servimos, e a preciosidade que a Palavra tem, dormiríamos de joelhos com a cabeça escorada na Bíblia, não por ritual, não por religiosidade, mas por amor e apreço a um Deus soberano, que nos deixou seus desígnios escritos, que devem passar de telas digitais ou folhas de papel, para corações e vidas.

“Como é feliz o homem que acha a sabedoria, o homem que obtém entendimento,
pois a sabedoria é mais proveitosa do que a prata e rende mais do que o ouro.
É mais preciosa do que rubis; nada do que você possa desejar se compara a ela.” (Provérbios 3:13-15)

“Entretanto, não se pode discernir a mente de Deus sem um desenvolvimento do caráter… Em vez de pedir que nos ‘revele sua vontade’, pedimos que desenvolva Seu caráter sábio em nossa vida.” (Waltke e MacGregor, Conhecendo a Vontade de Deus.)

Que sobretudo tenhamos sabedoria na tomada de decisão, não uma sabedoria terrena, mas uma sabedoria do Alto, pautada na Escrituras Sagradas e se assim Deus quiser, ele poderá eventualmente lhe dar um sinal ou um encaminhamento, porém ocupe parte de suas orações em clamor por sabedoria, Deus quer lhe fazer mais sábio, não apenas para seu próprio benefício, mas também para ajuda ao próximo e principalmente para Sua glória. Que possamos fazer parte da vontade decretiva de Deus e cumprir a vontade preceptiva determinada por Ele através de sua Palavra.

“Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida.” (Tiago 1:5)

Por fim, deixo uma recomendação de livro a esse respeito: Tomando Decisões Segundo a Vontade de Deus, Editora Fiel, do Heber Campos Jr., inclusive nosso parceiro Geolê fez uma resenha em vídeo sobre esse livro, clique aqui para assistir.

Categorias: Reflexões,Textos

Tags: ,,,,,

  • Gilnei Mascarenhas

    Boa reflexão do Marlon. Realmente, se pararmos para pensar no tempo de formação da Bíblia, Deus passou aproximadamente 4000 anos revelando sua vontade.
    O ser humano sofre da síndrome da “criança eterna”. É muito mais prático pedir uma “revelação de Deus” do que pedir sabedoria… dá uma sensação de isenção de culpa, caso algo dê errado…

  • Eduardo

    E no caso de com quem devo me casar ou por exemplo qual emprego aceitar , qual faculdade estudar ? sim , devo procurar a vontade Deus , e sua sabedoria, mas e no caso quando ele não me responder e eu não tiver a minima noção da qual seria a mulher de sua escolha o emprego que ele escolheria , ou sei la se ele escolheria cursa engenharia ou medicina kkkk , enfim oque fazer quando não se tenho sabedoria sobre uma coisa e Deus não me responde sobre esta tal coisa ? Obrigado , forte abraço para toda equipe

    • Marlon Girardello

      Eduardo, como o texto sugere, se lhe falta sabedoria, peça a Deus 🙂 Mas assim, a sabedoria do Alto que falo no texto, nada mais é, que uma sabedoria que visa o reino de Deus e não uma sabedoria “terrena” que visa o benefício próprio simplesmente. Se você tem desejo de cursar uma faculdade, ore e busque se conhecer, se você não gosta de matemática, por exemplo, Engenharia não é o seu lugar, mesmo coisa Medicina, se você não curte sangue, pessoas sendo abertas e biologia em si, difícil será seguir esse caminho, todas as experiências que você já passou te moldam de alguma forma e te trazem sabedoria a respeito, conte com seus irmãos na fé também, eles com certeza lhe ajudarão na decisão, quem está de fora muitas vezes enxerga melhor. Agora se, por exemplo, sua dúvida é entre dois cursos muito semelhantes, procure conhecer a fundo os dois e veja qual se encaixa melhor nas suas habilidades e no que você realmente quer fazer, se isso será algo que você poderá fazer com excelência e que glorificará a Deus. No fim de todas as coisas, a nossa maior preocupação tem que ser: “Isso glorificará a Deus?”. Mesmo coisa com uma esposa, se você tem desejo de casar, procure ver primeiramente se você está apto para isso, consulte seus pais ou irmãos na fé, veja o que eles tem a dizer, veja também se você tem condições financeiras de manter um lar, e sobretudo, você precisa caminhar em direção, tem que socializar com pessoas que você gosta, naturalmente acontecerá, o que não dá é ficar o dia todo na frente do PC esperando Deus mandar a milagrosamente “varoa”, temos que confiar que Deus quer nos abençoar, com certeza Deus tem prazer em auxiliar na formação de uma família, assim como ele também tem prazer em ter alguém que, como Paulo, viveu só pra Cristo. A oração em si é muito importante, não para “mover as mãos” de Deus, mas sim, porque ela por si só trabalha em nós, é ferramenta de Deus para trabalhar em nosso ser e em nosso caráter. Veja o que Davi diz no Salmo 90:12 “Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios.”. E creio que é isso, temos que aprender com as situações, com os “nossos dias”, sejam eles fáceis ou difíceis, a fim de alcançar um coração sábio, que vise a Deus primeiramente. Espero ter ajudado, se ficou alguma dúvida, estou a disposição para tentar detalhar melhor.

  • André Gomes

    Penso que Deus nos deu sabedoria para fazermos escolhas e devemos entregar nas mãos d’Ele essa escolha e ele irá abençoar.

    • Marlon Girardello

      Exato, André, há uma concepção errada que se eu pegar o “caminho errado” Deus irá se ausentar. Claro, se eu escolher algo que Deus não aprova em Sua Palavra, o máximo que ele poderá fazer é me ajudar a sair do caminho, e até em sua infinita misericórdia me ensinar algo dentro dessa escolha. Independente do caminho, Deus se fará presente, nem que seja para enxugar as lágrimas do arrependimento. Por isso a sabedoria e o conhecimento da Palavra são tão importantes, se você faz escolhas que estão balizadas pela Palavra, Deus abençoará esse caminho, terão dificuldades, mas sabemos que estará dentro do que Deus propôs ao seus filhos, assim poderemos provar a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.

      • André Gomes

        Falou tudo Marlon, é assim que penso…

  • Marlon Girardello

    Exatamente, Gilnei, é Deus “fast-food”, eu peço, e na próxima janelinha Deus vai ter a resposta, e no fundo as pessoas só se frustam com isso, porque Deus não manda o fogo do céu ou o sinal esperado na grande maioria das vezes, aí as pessoas ficam desiludidas por considerar que Deus está ausente, sendo que ele se revelou profundamente através de Sua Palavra. As pessoas tem dificuldades em parar, orar, analisar as opções, filtrar elas pela Bíblia, ver o que é melhor para a família, mais fácil é só orar e esperar o “mundo conspirar” ao favor dela, bem mais confortável.

  • Tamires Azevedo

    Desde que nascemos na igreja ou nos convertemos, aprendemos a orar pedindo uma resposta direta de Deus, e talvez por esse ensinamento (direto ou indireto) tem nos levado a ter uma imagem de Deus como um “gênio da lâmpada” : eu peço, Você faz. E até as vezes usamos passagens para justificar porque ele tem que realizar. E quando não recebemos uma resposta ou um desejo realizado nos frustramos, ficamos bravos com Ele e muitos até saem do Caminho.
    Mas ainda sim é difícil saber qual a maneira certa de orar, principalmente nas tomadas de decisões. E confesso que tenho muita dificuldade em tomar decisões, mesmo orando. Talvez os aprendizados errados de oração ainda persiste.
    Parabéns pelo texto, realmente uma reflexão. Que o Senhor continue os abençoando.

    • Marlon Girardello

      Tamirez, realmente tenho essa mesma percepção que você, quando me converti, também aprendi dessa maneira, mas com o tempo fui conhecendo melhor a Bíblia e percebi que era um equívoco orar como se Deus fosse nosso servo, e não nosso Senhor, esse ensinamento é tão errado que põe o Deus soberano na posição de serviçal de sua Criação, beira o absurdo se formos analisar. Claro que Deus tem prazer em abençoar e dar aos seus filhos, assim como um pai faz, e não como um gênio da lâmpada. Quanto a dificuldade em decisões, creio que essa é uma realidade para todos, nunca vi ninguém dizer: “tenho muita facilidade em tomar decisões”. A intenção do texto é justamente essa, chamar a uma reflexão que ajude na tomada de decisão. Em questão de oração, creio que o que nos atrapalha realmente é nossa percepção distorcida do que se trata a oração, sobretudo Deus já conhece tudo que iremos falar ou pedir, então a oração não é algo que “‘comunica” a Deus alguma coisa, porque ele já sabe, concluímos então que oramos, justamente porque ele já sabe e que aquilo que oramos de alguma forma forja nosso caráter e nosso ser. Deus nos deixou um modelo de oração através do Pai Nosso e creio que isso ajuda quanto ao conteúdo da oração, mas de maneira nenhuma esse ensinamento “engessa” nossa oração, pelo contrário, creio que Deus espera que nos apresentemos com verdades, com situações do dia-a-dia, com aquilo que está doendo, que está incomodando, que está pesando, com corações rasgados em sua presença, admitindo o quão Soberano ele é sobre todas as coisas. Creio que tem uma passagem que exprime bem a questão da oração, veja o que Paulo fala em Romanos 8:26 – “Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemos como orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.”

      • Tamires Azevedo

        Obrigada pelas palavras, e foi mais uma reflexão para mim.