A Tua Palavra escondi… E ainda não achei…


Grandes pensadores já constataram a ignorância bíblico-teológica que assola a comunidade cristã. Mas na verdade, nem precisa ser grande pra sacar isso, basta conviver na comunidade e bater um papo aqui e acolá, ver os preletores que arrastam multidões e tudo se torna claro.

William Craig disse que encontramos pessoas convertidas nas igrejas, mas que converteram somente o coração, esqueceram de levar a mente cativa a Cristo, são pessoas que até nasceram de novo, mas ainda pensam como não cristãs.[1] Muito disso se deve ao neopentecostalismo, que isolou versículos bíblicos e fez do cristianismo um meio pra se dar bem na vida. Então, pra que me preocupar em aprender as doutrinas bíblicas? Se tudo que eu preciso é: saber dominar o mundo espiritual e determinar a minha vitória!

Não adianta ser só apaixonado por Deus (pra usar palavras da hinologia atual), tem que ser apaixonado pela sua Lei e nela meditar sempre. Não serão sucessos musicais que lhe darão a direção diante de dilemas da vida e respostas coerentes diante dos questionamentos dos ímpios.

Ser versado nas doutrinas bíblicas não é exclusividade para meia dúzia de pastores e mestres, mas dever de cada cristão. É claro que dentro da comunidade, irá existir aquele ou aquela que se destaca pela facilidade em aprender e expor as verdades bíblicas, que gosta de se aprofundar e ir mais além. Esse é o dom de Mestre, um dos dons ministeriais. Porém, não precisamos ser todos mestres, nem é essa a vontade de Deus, mas todos precisamos ser conhecedores da Palavra e das doutrinas bíblicas básicas. Disso, ninguém pode abrir mão!

Então, não tem pra onde fugir, quem quiser ser um cristão conforme a Palavra de Deus ensina, precisa correr para a Palavra de Deus escrita, e não essa que tem sido falada e cantada por aí. Vamos aprender sobre a Bíblia, cadê os estudos bíblicos? Tem igreja que até oferece, mas o povo não vai. Onde estão os grupos de discussão sobre temas indispensáveis à fé cristã? E a Escola Dominical, por que anda tão vazia em muitas igrejas? (eu sei, em alguns lugares os professores não ajudam…)

O que não pode acontecer é continuar sendo ignorante teológico. E antes que você diga, Bibo, mas o que conta no fundo mesmo é uma vida de oração e intimidade com Deus. Bobiçada sem tamanho esse argumento, quem busca muito a Deus sem orientação da palavra vira esotérico! Cria heresias. Passa a servir um Deus imaginário e não o das Escrituras. Davi tinha comunhão com Deus, mas ele também sabia manejar a funda!

Vamos correr atrás de uma fé inteligente, vamos defender nossa crença de maneira sábia, vamos nos deixar guiar pela Palavra e pela tradição cristã. Então, estude a Bíblia, estude as doutrinas básicas da fé (justificação/graça/pecado/salvação/Trindade, etc.), leia grandes homens de Deus do passado, procure saber quem são os do presente (e vai perceber que eles repetem os do passado) saia do comodismo e seja um cristão engajado em entender melhor o Deus que nos chamou e nos vocacionou para sermos seus representantes por essas bandas!

PS – Ah, você não gosta de ler? Então procure podcasts cristãos de qualidade, tem uns bons por aí, baixe e ouça quando e onde você quiser.
PS2 – Se quiser entender mais sobre o dom de Mestre, clique aqui.



[1] CRAIG, W. L. Apologética para questões difíceis da vida. São Paulo: Vida Nova, 2003. p. ?????

Categorias: Reflexões,Textos

Tags: ,,

  • Thiago Dylan

    Deus seja louvado por esta exposição, Bibo! A fé cristã, de fato, deve prezar pelo equilíbrio, a saber, "joelho no chão" e jejuns de um lado e, não menos importante, bom manejo das Escrituras. No mundo pós-moderno em que vivemos, com o relativismo moral e neo-ateísmo em voga, não saber "caminhar" bem pelos textos bíblicos pode ser mortal contra a persuasão bíblica. Paulo, por exemplo, em suas pregações, visou persuadir os judeus quanto ao Messias, ficando até mesmo 3 sábados arrazoando com eles (At. 17.2) "Alguns dos judeus foram persuadidos e se uniram a Paulo e Silas, bem como muitos gregos tementes a Deus, e não poucas mulheres de alta posição." (At. 17.4) A pergunta que faço é: quantos de nós conseguiríamos persuadir um neo-ateu, libertino, neo-ortodoxo, liberal ou afim de que o evangelho de Cristo é A Verdade? Uma vez que afirmamos que a Bíblia é nossa única regra de fé e prática, "a bússula do viajante", devemos nos exaurir no estudo das mesmas, certo de que "Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra." (2Tm. 3.16)

  • DPessanha

    Cara, temos vivido um tempo muito louco… quando pegamos a Bíblia para defender um ponto de vista, ou questionar o que alguém disse, logo alguém diz que isso não é importante – o importante é a vida diária.
    Se você debate um assunto complexo da Bíblia dizem que você está causando confusão com vãs discussões.
    Complicado…

  • Anonymous

    Paz e Graça!!

    Ótimo post.

    Lendo lembrei de um texto:

    "E um truque de satanás tirar nossas mentes das questões mais importantes e essenciais, distraindo-nos com a sugestão de considerações triviais. Quando as melhores bênçãos estão solicitando que as aceitemos, ele trará às nossas mentes as coisas mais insignificantes. Quando Jesus pregava, o diabo tentava distrair a atenção humana através de debates sobre dizimar a hortelã, o endro e o cominho, alargar as franjas dos vestidos, usar filactérios, coar mosquitos, e não sei o que mais. Satanás empregou esse método junto ao poço de Jacó. Quando o nosso Senhor falou com a mulher sobre a água viva, e a salvação de sua alma, o maligno a impeliu a perguntar sobre Gerizim e Sião: "Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve orar".
    Satanás ainda opera com essa mesma astúcia. Conhecendo as sutilezas do inimigo, é nossa responsabilidade superá-lo, deixando de lado as questões triviais e concentrando-nos nas verdades fundamentais, as pedras principais da fé, as realidades da vida eterna, a vitalidade da santidade; e essas nos levam a Deus e a Cristo, longe da sombra de cerimônias e das nuvens de vãs especulações, na direção da rocha eterna e das colinas eternas cujos topos são, aos olhos da fé, resplandecidos com a aurora. Corramos para lá, afastemo-nos das vaidades terrenas, e que o sopro do Espírito nos apresse em direção às realidades do céu, para que demos às coisas essenciais a atenção que lhes é devida." (Spurgeon)

    Sola Gratia!!!