BTCast 223 – Jejum

 

Muito bem (3x), o seu podcast semanal de teologia está no ar. Bibo, Milho, Cacau e Victor conversam sobre a prática espiritual judaica do jejum.

O que é jejum? Em que contexto Jesus ensina sobre essa prática? Existe o jejum de Daniel? Qual o verdadeiro sentido do jejum? Devemos jejuar?

O podcast cristão do Bibotalk tem a missão de ensinar teologia em áudio a fim de ver o crescimento bíblico-teológico da igreja brasileira.

Arte da capa: Guilherme Match (conheça o trabalho dele aqui.)

Links comentados:

————————

Seja um Mantenedor do Bibotalk!

nosso email: podcast@bibotalk.com

Canal de Distribuição no Telegram, clique aqui!

  • @BiboBTcast | @Mac_Mau | @stahlhoefer | @milhoranza |
  • facebook.com/bibotalk | twitter.com/bibotalk | instagram.com/bibotalk
  • Assine nosso canal no Youtube, clique aqui!

  • Assine o feed http://bibotalk.com/categoria/podcast/feed/
  • Envie seu comentário em áudio para podcast@bibotalk.com, ou no botão “Gravar Efeito BTCast!” no canto inferior direito da sua tela!
  • Categorias: BTCast,O Reino,Podcast

    Tags: ,,,,,,,,,,,,,,,

    • Matt Vi To

      Muito bom como sempre, muito esclarecedor!
      Mas senti falta da seguinte passagem sobre jejum no NT, talvez vocês tenham falado e eu nao tenha percebido

      Então os discípulos aproximaram-se de Jesus em particular e perguntaram: “Por que não conseguimos expulsá-lo? ” Ele respondeu: “Por que a fé que vocês têm é pequena. Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: ‘Vá daqui para lá’, e ele irá. Nada lhes será impossível. Mas esta espécie só sai pela oração e pelo jejum”.
      Mateus 17:19-21

      • Cacau Marques

        No podcast do Fariseu e o Publicano nós falamos um pouco sobre isso. Acho q nesse esquecemos. De qualquer forma, vai a resposta aí: Esse texto (tanto em Marcos quanto em Mateus) não traz “Jejum” nos melhores manuscritos. Mas ainda que não usemos isso como argumento, o texto não é muito claro, né? Como o Jejum operaria para facilitar o exorcismo? E qual é a casta de demônios que só sai com Jejum? A autoridade de Jesus sobre os demônios depende de uma prática de jejum do exorcista? E, o principal ponto, como Jesus poderia exigir o jejum dos seus discípulos se ele mesmo disse que nem ele nem os discípulos jejuavam? Note que no texto Jesus dá a resposta bem clara “A fé de vocês é pequena”. A resposta é essa. A inclusão do jejum ali no final não faz sentido com a resposta que jesus dá.

        Mas vamos partir do princípio de que esse texto é parte do original (contrariando todas as evidências da crítica textual). Os discípulos falharam em expulsar os demônios, mas Jesus não. Só que Jesus também não jejuava (jejuou apenas no deserto no início de seu ministério). Se essa espécie só sai com jejum e Jesus não jejuava, pq o demônio saiu? Pq Ele é Jesus. Ele não precisa de jejum pra ter autoridade sobre demônios. E quando expulsamos os demônios, não fazemos pela autoridade dele? Não é pelo poder dele mesmo? Talvez pudéssemos entender esse texto assim: Disse Jesus: “Enquanto estamos ainda nessa realidade da antiga aliança, antes do meu sacrifício e da habitação do Espírito em vocês, esses demônios conseguem se sobrepor a vocês. E talvez, com jejum e oração vocês os pudessem expulsar. Mas eu mesmo não preciso disso. Pelo meu poder e pela minha autoridade os demônios se submeterão a vocês”.

        Corrobora com isso a sequência do texto em Marcos 9. No versículo 38 eles encontram um cara que não andava com eles, mas expulsava pelo nome de Jesus. Os discípulos se indignam, mas Jesus disse que não o impedisse pq ele expulsava pelo seu nome. Ou seja, ainda que o Jejum pudesse ter seu papel no exorcismo numa realidade pré-cristã (do que eu discordo, mas aceito como possível), em Cristo não precisamos de nenhuma obra. a cruz basta.

        Pra finalizar, é bom lembrar que em Marcos a resposta de Jesus pára em “oração” (Jejum é um provável acréscimo). Ora, a oração não seria uma obra? A resposta é: não. Na parábola do Juiz iníquo (Lucas 18.1-8), Jesus identifica a falta de oração como um sintoma da falta de fé (veja a conclusão no versículo 8). Nesse caso do demônio, ele não saía pq não havia fé e a fé automaticamente se manifesta em uma vida de oração.

        Bom, espero que tenha ajudado. Abraço.

        • Matt Vi To

          Muitas informações trazidas, não sabia desse “adicional” da palavra Jejum aos textos, mas acho que prefiro tentar interpretar como parte integrante do texto, e sob essa análise, minha falha em entender esse texto era justamente essa, se a autoridade de Jesus é a única poderosa para expulsar demônios, porque Ele diria que determinada espécie só sairia com jejum e oração? Alguma coisa não batia para mim. Mas entendi a sua explicação. Acho que muitas vezes esquecemos que o próprio Jesus “estava sob a velha aliança”, no sentido de que as práticas ainda não haviam sido “renovadas” por Ele ainda não ter sido morto e ressuscitado. Logo muitas das coisas que Jesus falou estava relacionado diretamente a antiga aliança, faz sentido?

          Outro ponto não relacionado a passagem em si mas sobre o jejum, é que a história dos grandes avivalistas, homens de oração, mártires, missionários, pessoas que andaram com Deus, está sempre relacionado a muita oração e muito jejum. E isso muitas vezes nos inspira a jejuar mais, ainda que não seja uma ordenança.

          • Cacau Marques

            O jejum não é ruim e nem proibido. Eu só não vejo no NT o jejum aparecer como disciplina espiritual. Grandes homens de Deus jejuaram e jejuam. E alguns até viam isso como disciplina. Sem problema. Mal não faz, mas não me parece ser a ênfase neotestamentária.

            • Ayrton Renan

              e quanto a 2 Coríntios 6, Paulo não está colocando o jejum junto com outros pontos de recomendação de Paulo?

            • Cacau Marques

              A melhor leitura aí é ver o jejum como a privação de alimento imposta pela circunstância (a palavra é a mesma) e não um jejum voluntário. O jejum aparece em uma sequência de tribulações (açoites, prisões, noites sem dormir etc.). E ainda q a seguir ele entre em temas mais espirituais (pureza, conhecimento, longanimidade) nenhuma dessas coisas é obra religiosa, mas virtude. Além disso, não faz muito sentido Paulo se referir a uma prática religiosa para de recomendar. Muitos de seus adversários e detratores eram zelosos da religião (em especial os chamados “da circuncisão”). E se ele defendesse seu apostolado com base no jejum, não estaria fazendo exatamente oq Jesus disse q os jejuadores não deviam fazer? O jejum não deve ser público, mas secreto. Não deve conceder honra, ou justificar posição eclesiástica. Por isso a melhor leitura é a de privação de alimento forçada ou pelos perseguidores, ou pelas circunstâncias (cf. Filipenses 4).

              Abraço.

          • Daniel Nogueira

            Só para ressaltar, a Nova Almeida Atualizada de 2017 traz esse último versículo em colchetes e explica que esse versículo 21 encontra-se apenas em manuscritos mais recentes (ou seja, menos confiáveis). https://uploads.disquscdn.com/images/b5efef56a1942381b8d753532a6b01d4d1aa47139f5e6c572256d737d6da81a0.jpg

        • Marcos

          Boa explicação. Não sei se concordo ainda…. Rsrsrs Mas é um bom ponto para refletir…..

          Depois do podcast lembrei desse versículo e ao ler entendi que poderia ser no sentido que vocês puxaram no episódio, de que o jejum tem relação com a intimidade… Desta forma com mais oração e jejum, a intimidade nos torna “mais forte” na fé. Que é o que faltou aos discípulos para expulsar inicialmente….

          Faz sentido? Rs

          • Cacau Marques

            Cara, em nenhum momento Jesus incita os discípulos a jejuarem. Inclusive, estando Jesus encarnado pq o jejum aumentaria a intimidade? Pelo contrário, Jesus se tornava íntimo comendo com as pessoas, não jejuando. Eu sei q não é fácil assumirmos q um texto tão conhecido contém um acréscimo posterior. Mas me parece ser o caso aqui. Abraço.

            • Marcos

              Faz sentido, realmente a explicação da adição do texto parece mais coerente…. Valeu Cacau! 🙂

    • Petherson Costa

      E N C I C L O P E D I C A M E N T E esclarecedor!

      Obrigado, Bibotalk!

    • Lourival Gonçalves

      Eita, aos gordinhos de plantão.kkkkk

    • Eu já tava jejuando aqui pra ouvir a explicação do Cacau sobre aquele trecho que ele citou no outro cast.
      Sensacional.

    • Welber Martins

      Muito bom o podcast. Relaxei um pouco com negócio do Jejum depois que soube da Opinião do Cacau. Mas bom rever perspectivas.

    • João Antônio

      De todos os btcasts que já ouvi esse foi um dos mais edificantes. Grande admiração tenho por vocês! Deus vos abençoe!

    • Daniel Nogueira

      Só para ressaltar, a Nova Almeida Atualizada de 2017 traz esse último versículo em colchetes e explica que esse versículo 21 encontra-se apenas em manuscritos mais recentes (ou seja, menos confiáveis).
      https ://uploads.disquscdn.com/images/b5efef56a1942381b8d753532a6b01d4d1aa47139f5e6c572256d737d6da81a0.jpg

    • Daniel Nogueira

      Pessoal, excelente episódio. Libertador, especialmente a parte da quebra de jejum. E o alerta em relação a votos que não devemos fazer.

      Sei que talvez entremos no campo da especulação, mas porque vocês acham que Jesus jejuou tanto antes de começar seu ministério?

      Tinha a ver com o fato de ainda estar na velha aliança? Ou será q ele estava levando o corpo dele ao limite como um “treino” para a crucificação que viria posteriormente?

      • Cacau Marques

        Não sei dizer o porquê, me acho q não tem nada a ver com velha aliança. Jesus é a nova aliança. Senão falas como “aqui está quem é maior que o sábado” não faria sentido.

    • Silvana Oliveira E Silva

      Como diz certa cantora cristã, “Tá faltando jejum!”

      rsrsrsrs brincadeiras à parte, amei o episódio, muito instrutivo. Extremamente pedagógico. Aprendi muito (chega de jejum de facebook, novela e de chocolate).
      Só a título de curiosidade, o jejum é extremamente saudável, e existem estudos associando o jejum regular a prolongamento da vida. Em animais isso é comprovado, quando comparamos bichinhos que comem sem parar (tipo a gente na cantina da igreja) e aqueles que tem períodos de jejum. O segundo grupo vive mais. E grupos como judeus e islâmicos estão sendo avaliados para seus benefícios.

      Olha só, divina sabedoria. Que Deus nos ajude a mortificar a carne para que o espírito sobreviva. Parabéns