BTCast 184 – Criacionismo

 

Muito bem (3x), o seu podcast semanal de teologia está no ar. Bibo recebe o professor Adauto Lourenço para juntos conversarem sobre a origem da vida na perspectiva do criacionismo científico.

O criacionismo é uma teoria científica? Qual a diferença entre o criacionismo científico e o bíblico? Por que o evolucionismo não faz sentido na visão criacionista? As evidências na natureza favorecem o criacionismo científico? Essas e demais perguntas, discutiras nesse programa.

O podcast cristão do Bibotalk tem a missão de ensinar teologia em áudio afim de ver o crescimento bíblico-teológico da igreja brasileira. Com esse episódio pretende discutir as origens da vida numa perspectiva criacionista.

Arte da capa: Guilherme Match (conheça o trabalho dele aqui!).

LINKS COMENTADOS

compre AGORA o nosso livro APOCALIPSE AGORA clique aqui

Compre na Amazon o livro do Adauto Lourenço, A Igreja e o Criacionismo

Seja um Mantenedor do Bibotalk!

 

nosso email: podcast@bibotalk.com

Conheça o Transmissão, a nova atração do Bibotalk, clique aqui!

Canal de Distribuição no Telegram, clique aqui! LISTA DE DISTRIBUIÇÃO NO WHATSAPP +5547992104938

  • @BiboBTcast | @Mac_Mau | @stahlhoefer | @milhoranza |
  • facebook.com/bibotalk | twitter.com/bibotalk | instagram.com/bibotalk
  • Assine nosso canal no Youtube, clique aqui!

  • Assine o feed http://bibotalk.com/categoria/podcast/feed/
  • Envie seu comentário em áudio para podcast@bibotalk.com, ou no botão “Gravar Efeito BTCast!” no canto inferior direito da sua tela!
  • Categorias: BTCast,Debate Teológico,Podcast

    Tags: ,,,,,,,,,,,,,,

    • Matheus Coelho Lemos

      Fala irmãos, tudo beleza?
      Tenho algumas (muitas) considerações a fazer sobre as falas do Adauto. É claro que só de ouvir o nome “Criacionismo Científico” a mão do face palm chega a tremer, mas vamo lá:

      1. Não vi a parte que o Bibo falou na intro que ele cita as fontes, em quase todos os casos, ele da afirmações sem base nenhuma (5 fósseis na mesma pedra, diferentes labs. datando a mesma pedra, etc.)

      2. Uma coisa que já de cara vi erro, é que ele afirmou que evolução é cosmovisão, pero no, evolução é teoria científica (muito bem comprovada), cosmovisão seria o “Evolucionismo Naturalista” e o “Evolucionismo Teísta”, isso sim é cosmovisão, como também o Criacionismo Bíblico (não o científico)

      3. O exemplo do castelo de areia, que é uma adaptação da Analogia do Relojoeiro, apenas sugere a existência de uma mente criadora não necessariamente do Criacionismo em si, mente a qual poderia estar por trás do Evolucionismo Teísta também.

      4. Quanto a questão da Eva Mitocondrial já está bem assegurado pela ciência que todos os humanos são parentes, mas que vieram de um grupo de alguns milhares de indivíduos, durante um efeito gargalo ocorrido há muito tempo atrás, e não viemos de apenas um único casal. http://biologos.org/blogs/dennis-venema-letters-to-the-duchess/does-genetics-point-to-a-single-primal-couple

      5. Tamanho da caixa craniana maior não quer dizer necessariamente mais inteligência. Senão as baleias iriam dominar o mundo.

      6. Hoje, devido ao grande número de evidências, a evolução já está chegando ao patamar de fato científico, assim como a existência da Pangeia no passado como o próprio professor falou é também um fato. Com o aprofundamento do conhecimento na genética nos últimos anos o cerco está se fechando e a evolução tem se firmado a cada dia mais, e tá aí o Francis Collins pra não me deixar mentir.

      7. Foi engraçado ouvir o Bibo tratar a Ciência como sendo diferente do Criacionismo Científico, o Professor Adauto até tentou corrigir, mas o fato é que o Criacionismo Científico é considerado uma pseudociência por uma maioria absurda da comunidade cientifica, então academicamente falando o Bibo não estava errado ao afirmar o que ele disse. Outros exemplos de pseudociência: astrologia, ufologia, numerologia…

      8. Ele fez bastante questão de diferenciar evidência de interpretação, só que quando muitas e muitas evidências apontam para a mesma interpretação tal teoria vai ganhando consistência até chegar a ser um “fato”. Agora quando as interpretações manipulam as evidências isso passa a ser considerado pseudociência.

      9. Por estar num PodCast cristão por vezes eu achei que o Professor estava debatendo com o adversário errado, em muitos dos seus argumentos ele contestava mais o Naturalismo do que a Evolução, que nada tem de “atéia” em si, visto que além de ser muito bem respaldada cientificamente ainda pode muito bem entrar em harmonia com uma leitura simbólica do Gênesis 1-2 (leitura pela qual o estilo literário do Gênesis clama).

      Resumindo, não quero que ninguém me leve a mal, e entendo quando a pessoa resiste em largar o Criacionismo Bíblico, duvidando das descobertas científicas, mas sinceramente pra mim que sou só um curioso, (e para todos os especialistas da área) o Criacionismo Científico é apenas Criacionismo, sem nada de científico.

      • Joao Tozzi

        Colocações interessantes. Ainda não tenho uma opinião formada sobre evolução, criacionismo e TDI. A maior dificuldade que tenho quando tento ‘harmonizar’ o Evolucionismo com o relato bíblico de Gênesis (mesmo que de forma simbólica) está na questão da Bíblia mostrar Adão como sendo primeiro homem da Terra e que por consequência dele o pecado e a morte veio a todos os seus descendentes.

        Se o método usado por Deus para a criação do mundo foi a evolução e o ser humano nada mais é do que uma outra espécie animal fruto da evolução, como podemos interpretar o texto de Romanos 5, onde Paulo diz que “[…] da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram […] Todavia, a morte reinou desde o tempo de Adão até o de Moisés, mesmo sobre aqueles que não cometeram pecado semelhante à transgressão de Adão, o qual era um tipo daquele que haveria de vir. […] Pois se muitos morreram por causa da transgressão de um só, muito mais a graça de Deus, isto é, a dádiva pela graça de um só homem, Jesus Cristo, transbordou para muitos!”?

        Isso além do fato de Gênesis 1:26 dar a entender que a humanidade não é fruto de uma simples evolução de outros animais e sim uma ‘criação especial’ de Deus feita à sua imagem e semelhança:

        “Então disse Deus: ‘Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança. Domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais grandes de toda a terra e sobre todos os pequenos animais que se movem rente ao chão”.

        Se algum cristão evolucionista puder responder minha dúvida eu ficaria muito grato.

        • Matheus Coelho Lemos

          Quanto a questão da imagem e semelhança se trata de uma semelhança psicológica com Deus, até porque Deus é espírito então não possui uma forma física limitada como nós humanos, então no decorrer da evolução quando a mente do homem atingiu um ponto capaz de racionalizar, definido por Deus como “homem” passou a ser semelhança de Deus que seria o produto final de toda a sua criação, que após isso passou a descansar. E foi a mesma racionalização que deu a capacidade ao homem de cometer o “Pecado Original” que lendo simbolicamente o Gênesis pode-se entender como o direito de julgar o que é bom ou mal (fruto da árvore), deixando Deus para escanteio. E este pecado é passado de geração a geração porque todos somos parentes.

          E por mais que a leitura de Romanos 5 dê a entender que Paulo falava de um Adão literal, o cerne do seu argumento permanece intacto na interpretação simbólica, porque vai explicar que o pecado entrou no mundo através da humanidade e que por isso toda descendência humana é pecadora mas em Cristo todos são salvos.

          • Joao Tozzi

            Obrigado pela resposta.

          • Jonathan Hilber

            Matheus Coelho Lemos permita-me aproveitar a pergunta do João Tozzi, e sua resposta, porque a duvida dele também é a minha. Entendo a questão de enxergar Genesis 1 e 2 de forma não literal, porém como encaixar a evolução e a questão da imagem de Deus, se o relato bíblico é tão claro ao afirmar que Deus criou o homem do barro, soprando em suas narinas o folego de vida. Se consegui entender bem, você afirma existir um período de tempo entre a criação do homem e o momento em que ele se torna imagem de Deus, mas não consigo enxergar no texto bíblico nada que aponte para isso.
            Meu maior problema com o evolucionismo teísta é que ele parece tentar encaixar a bíblia na teoria da evolução.

            • Matheus Coelho Lemos

              Entendo, mas se você for ler com cuidado o relato da criação do homem vai ver que Deus criou o homem do pó da terra, mas não fala nem quanto tempo durou e nem qual método Deus utilizou para sua obra (ex: com as próprias mãos? com sua palavra? Com o seu simples querer?)

            • Matheus Coelho Lemos

              Na verdade o que eu quis dizer é que, enquanto o homem não se torna imagem e semelhança de Deus ele ainda não é homem, mas é um animal que está no processo para se tornar um, até porque Deus utiliza a mesma matéria prima para fazer tanto o homem quanto o restante dos animais (Gn 2:19). E no momento em que este ser criado por Deus passa a ser imagem e semelhança dele (psicológica e não fisicamente falando) então ele passa ser Homem.

              Se você for ler com cuidado o relato da criação do homem vai ver que Deus criou o homem do pó da terra (matéria morta), mas não fala nem quanto tempo durou tal processo e nem qual método Deus utilizou para sua obra (ex: com as próprias mãos? com sua palavra? Com o seu simples querer?) ou seja, o relato bíblico deixa uma lacuna não revelada nesses 2 pontos, é aí que a evolução teísta entra pra tentar explicar: Modo: processo evolutivo; Tempo: milhões de anos. Ou seja de uma matéria morta (barro) passando por diversos “rascunhos”, que seriam seus antepassados até finalmente chegar em sua obra prima. Não consigo ver de que maneira isso fere o relato bíblico visto que ele permite tal leitura simbólica, assim como faz o Apocalipse

              A única evidência de tempo no Gn 1-2 são os 7 dias, que acredito que é bem fácil de compreender simbolicamente visto que o Sol (que é o que “faz” o dia) só é criado no quarto dia. E também o fato de o capítulo 1 divergir em alguns pontos do capítulo 2.

              Não acho que o Evolucionismo Teísta tenta encaixar a Bíblia, mas ele pega justamente as partes não reveladas do relato da Criação e analisa sob a luz das recentes descobertas da Ciência. E quando falamos de ciência não podemos pensar nela como adversária de Deus, a ciência nada mais é do que o homem entendendo como funciona toda a Criação empreendida por seu Deus. E hoje a ciência aponta para a evolução.

          • Rafael Argolo

            Engraçado, estava meditando sobre esse assunto em específico e cheguei a esta conclusão que vc apresentou Matheus. Você pegou isso de algum livro?

      • Lucas Xavier

        Cara, que bom que vc está aqui comentando essas coisas. De um ponto de vista bem prático, o cristão que entra em contato com a ciência no meio acadêmico apenas com convicções à la “terra jovem” passa uns maus bocados. Tá na hora de ser mais honesto em relação à ciência, ao invés de ficarmos acuados no canto segurando firme pseudociências que não contribuem para esse diálogo entre o cristianismo e as descobertas científicas.

      • Como disse anteriormente, evolução e criacionismo tem coisas em comum. Um exemplo disso é a seleção natural.

        https://uploads.disquscdn.com/images/155fc58916ffe8eb4b60bdd95cb55bd81012ebeab7bdcb4a80a1ee704a33e6e4.jpg

      • Junior Montagna

        Discordo Matheus. Para mim evolução não é teoria científica muito bem comprovada. Tanto que o termo teoria existe exatamente para mostrar um caráter hipotético da coisa. O que o Adaudo quis dizer com cosmovisão é que as duas vertentes de pensamento trabalham com pressupostos empíricos e trazem consigo argumentos importantes e validos, ou seja, nenhum dos dois caminhos conseguem provar nada de fato apenas traçar teorias.

        • Matheus Coelho Lemos

          https://www.youtube.com/watch?v=kyGu9lTr_jM&t=303s
          https://www.youtube.com/watch?v=dNBK7S7gROg

          Eu entendi o que o Adauto quis dizer com cosmovisão só argumentei que a ideia dele está errada pelo fato de Evolução ser uma Teoria (veja os videos antes pra entender) e o Criacionismo científico e DI ser apenas hipóteses.

          Eu sei que criacionistas podem não concordar comigo porque eu não sou especialista na área, mas eles pelo menos poderiam concordar com 99% dos biólogos que defendem a evolução como fato. Eles entendem do assunto.

    • Lucas Menghin Beraldo

      Eu entrei bem curioso para entender o ponto de vista apresentado e o Adauto segue apresentando alguns argumentos que eu nunca havia ouvido, mas quando vou verificar as fontes para entender melhor, não estão lá. Vou atrás do lattes dele e não tem, se alguém tiver como linkar os artigos escritos pelo Adauto e os que defendem os pontos dele coloca aí.

      • Lucas Menghin Beraldo

        Achei o lattes dele http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4430358P9
        É ruim que só tem um artigo e não é sobre criacionismo.

      • Sobre este item o Adauto falou a verdade. Segue referências :
        O título do artigo é : A complete skull from dmanisi, georgia, and evolutionary biology of early homo.
        http://science.sciencemag.org/

        Caso queira entender melhor esta história dos cinco crânios, leia o livro “Fomos Planejados” do Marcos Eberlim capítulo 71 (inteiramente dedicado a este problema). Link do livro : https://pt-br.widbook.com/eboo

        E sobre as datações de rocha, em 1997 iniciou–se um projeto para investigar a idade da terra. Era chamado de “Radioisotope and the Age of the Earth” ou simplesmente projeto RATE. Eles analisaram diversas rochas de carvão que já haviam sido analisadas por evolucionistas e datadas como milhões de anos. E para surpresa de toda comunidade científica todas as amostras de épocas diferentes que foram cedidas não confirmaram a data estabelecida pelos evolucionistas. Algumas não datavam de mais de 5 mil anos.

    • Realmente pessoal, ele não cita as fontes no podcast, falha minha na abertura. Ele cita nos livros que escreve, como gravei ano passado e fiz a abertura esse ano, deu nó.

      • Lucas Menghin Beraldo

        É que o problema é que ele vem apresentar as ideia dele sob uma perspectiva científica, e na ciência as afirmações necessitam de comprovação empírica. Vou ver se consigo algum livro dele para dar uma olhada.

      • Segue referências :
        O título do artigo é : A complete skull from dmanisi, georgia, and evolutionary biology of early homo.
        http://science.sciencemag.org/

        Caso queira entender melhor esta história dos cinco crânios, leia o livro “Fomos Planejados” do Marcos Eberlim capítulo 71 (inteiramente dedicado a este problema). Link do livro : https://pt-br.widbook.com/eboo

        E sobre as datações de rocha, em 1997 iniciou–se um projeto para investigar a idade da terra. Era chamado de “Radioisotope and the Age of the Earth” ou simplesmente projeto RATE. Eles analisaram diversas rochas de carvão que já haviam sido analisadas por evolucionistas e datadas como milhões de anos. E para surpresa de toda comunidade científica todas as amostras de épocas diferentes que foram cedidas não confirmaram a data estabelecida pelos evolucionistas. Algumas não datavam de mais de 5 mil anos.

    • Willian Rochadel

      Este foi um dos melhores episódios BiboTalk! Muito bem didático e ótimas colocações.
      Esperando a próxima parte.

    • Petherson Costa

      Tenho bastante dificuldade em me basear no que o Adalto Lourenço diz principalmente por que boa parte das citações e afirmações dele são de áreas nas quais ele não tem formação. Inclusive tenho uma dúvida sobre a formação que ele: o que é “doutoramento”? A galera questiona muito o fato de que ele não tem produção acadêmica relevante e também a instituição onde ele obteve o título de mestrado, que é uma instituição declaradamente protestante. De coração, admiro a devoção dele e a forma didática como ele procura apresentar suas idéias, porém quando vou analisar as citações e afirmações dele fica demonstrado pouco rigor acadêmico. Em resumo, pra falar como cientista ele precisa ser menos simplista.

    • Lucas Menghin Beraldo

      Tenho pesquisado as coisas que ele fala no episódio e não tenho encontrado nada do que ele apontou. Estou bem desconfiado da seriedade desse Adauto.

      • Willians Porto

        Me too!

    • Marcos Paulo Morale

      Sensacional!

    • Hewerton Oliveira

      Mac, que música é essa que tu usou em 9:44?

    • O grande problema é que, por inúmeras razões, os debates acabam caindo se criacionismo é ou não algo aceitável cientificamente, para começar algo. Para um lado quanto para o outro é conveniente afirmar que é e que não. Sendo assim as afirmações caem no “eles falam isso mas erram naquilo” de ambas as partes.

      Para o leigo ou basicamente instruído, fica complexo definir opinião que não leve em consideração a questão da confiança em algum momento, logo de um crer. Digo pelo fato de que, por mais claro que seja esta ou aquela visão para um estudioso, o público geral carece do estudo para aceitar.

      Um mediador é a noção lógica presente tanto no estudioso como no leigo, e dai o risco de cada qual usar de sua visão de mundo para guiar pela lógica que faz mais sentido em sua mente (e na mente dos pares). Mesmo durante estudos, vemos em todas as áreas, há formações de escolas de pensamento, o que dificulta e muito sair da caixinha do conflito.

      O uso do argumento “os grandes estudioso aceitam esta linha” já não é mais tão forte quanto antes. Há na história homens que romperam com os intelectuais do seu tempo. Mesmo com a quantidade de descobertas e ferramentas de obtenção de dados de hoje ainda somos em alguma medida refém do que criamos como hipóteses para delas tirarmos nosso conhecimento.

      Nessa balaio todo, a falta de talvez autoanálise de cada cientista ou não de que possa estar errado e ser fruto social de uma experiência histórica de aversões e conflitos, faz que eu, um leigo, perca a confiança em discursos que não chegam a conclusões de definição em um mesmo ambiente.

      Resumindo, por mais presunçoso e arrogante que eu esteja sendo, e sabendo e respeitando grandes mentes que existiram antes de mim, tenho concluído que ainda não sabemos pensar para descobrir o que há ao nosso redor de forma honesta e suficiente. Ainda estamos engatinhando cientificamente (por mais absurdo que seja minha declaração hoje, provavelmente um dia será verdade para alguém no futuro).

      Quem sabe uma IA seja capaz de dizer mais sobre quem somos e de onde viemos do que nós….a não ser que coloquemos dados nela tendendo para um lado ou para o outro hehhehe

    • Olá Matheus Coelho. Tudo bem ?

      Deixa eu comentar também este podcast pegando o seu gancho. Sou criacionista e tenho um projeto chamado “Onze de Gênesis” , (www.facebook.com/onzedegenesis) mas não curti muito esse episódio pois achei que o Adauto pecou em algumas coisas. Mas vamos lá :

      1) Sobre este item o Adauto falou a verdade. Segue referências :
      O título do artigo é : A complete skull from dmanisi, georgia, and evolutionary biology of early homo.
      http://science.sciencemag.org/content/344/6182/360.1.full

      Caso queira entender melhor esta história dos cinco crânios, leia o livro “Fomos Planejados” do Marcos Eberlim capítulo 71 (inteiramente dedicado a este problema). Link do livro : https://pt-br.widbook.com/ebook/fomos-planejados

      E sobre as datações de rocha, em 1997 iniciou–se um projeto para investigar a idade da terra. Era chamado de “Radioisotope and the Age of the Earth” ou simplesmente projeto RATE. Eles analisaram diversas rochas de carvão que já haviam sido analisadas por evolucionistas e datadas como milhões de anos. E para surpresa de toda comunidade científica todas as amostras de épocas diferentes que foram cedidas não confirmaram a data estabelecida pelos evolucionistas. Algumas não datavam de mais de 5 mil anos.

      2) Você está certo. O Darwinismo é cosmovisão. O naturalismo é cosmovisão. E o criacionismo é cosmovisão. Porém, a “Teoria geral da evolução” ás vezes se confunde com filosofia, principalmente no que cerne negar o sobrenatural. Claro que existe muitas coisas boas na teoria evolutiva que inclusive são usadas por nós criacionistas. Tbém quero destacar que a teoria não é 100% aceita por toda a comunidade científica, ela tem problemas.

      3) Exato. Este é ramo que o TDI e o criacionismo tem em comum, chama-se teleologia. A analogia do Adauto é ótima, porém foi pouco explicada. Na verdade ela quer dizer que podemos reconhecer padrões complexos que não foram formados por processos naturais e a partir disso reconhecer a existência de um projetista.

      4) Adauto acertou aqui. Porém discordo de você no que tange a esta evidência corroborar com o evolucionismo. Fizemos um artigo sobre isso aqui :
      http://onzedegenesis.blogspot.com.br/2017/01/dna-mitocondrial.html

      https://uploads.disquscdn.com/images/c6843e13392c59910c84e51267b9fc9e80b4df037e6e6ac1a71c6f2776252d64.jpg

      5) Você está certo, porém o Adauto tbém. Uma evidência apontada para a “macro evolução” seria justamente o aumento da caixa craniana. Coisa que não aconteceu com os neandertais. Isso é um probleminha nas afirmações darwinistas.

      6) Discordo totalmente. Mas não me leve a mal tá ? Não é nada pessoal apenas falo do que estudo. Vou deixar uma citação de uma autoridade no assunto. Uma evolucionista que foi esposa de Carl Sagan : “Eu fui ensinada muitas vezes que o acúmulo de mutações aleatórias resultava em mudança evolucionária – resultava em novas espécies. Eu acreditei nisso, até que procurei pela evidência. […] Não existe gradualismo no registro fóssil […] O ‘equilíbrio pontuado’ foi inventado para descrever a descontinuidade […] Os críticos, inclusive os críticos criacionistas, estão certos em seu criticismo. […] Os biólogos evolucionistas acreditam que o padrão evolucionário é uma árvore. Não é. O padrão evolucionário é uma teia […].” Lynn Margulis

      7) Concordo em partes. Ciência é uma caixa de ferramentas. O que é ciência para você ? Hoje em dia se usa a palavra ciência de várias maneiras. Por exemplo, “tomei ciência de que…”; “a história é uma ciência que…”, “a ciência está sempre mudando…”. Algumas dessas expressões são usadas em um contexto que deixa claro que seu significado nada tem a ver com metodologia científica. Em outros, a confusão se manifesta, ignorando séculos de estudo que levaram à descoberta da ciência e ao uso dessa palavra no contexto da metodologia científica. Frequentemente se confunde metodologia científica com protocolo aristotélico (observação, formulação de hipóteses, testes de hipóteses) e com atividades de pesquisa, chamando-se a tudo isso, de maneira indiscriminada, de ciência. Ao misturar-se esse uso com o de ciência como área do conhecimento, a confusão só aumenta. Esses significados todos não são sequer compatíveis entre si e essa confusão obscurece uma série de assuntos muito importantes.

      Os pioneiros da revolução científica preocuparam-se com diversas questões desse tipo. Inicialmente, eles mesmos usavam a palavra ciência dessa forma confusa. Por exemplo, Roger Bacon (século 13), ainda usava a palavra ciência com o sentido de área do conhecimento. A contribuição dele foi analisar as diversas áreas do conhecimento e constatar que a Matemática está à base de todas.

      Galileu sentiu a necessidade de esclarecer o conceito de ciência a fim de desfazer diversos equívocos filosóficos de sua época e preparar o caminho para um significativo aprofundamento do estudo do que Deus faz. Segundo ele, Deus usou elementos matemáticos para criar tudo. O universo (lembrando que a Terra e tudo o que está nela faz parte do universo) é como um imenso livro escrito em caracteres matemáticos. Sem conhecer esses caracteres (se formos analfabetos em relação à linguagem matemática da natureza), ficaremos como que a vagar em um labirinto escuro das especulações e promessas grandiosas mas vazias da filosofia humana. Nessa perspectiva, ele considerou que a verdadeira ciência consiste em uma metodologia baseada em métodos matemáticos e que pode ser aprendida e utilizada pela humanidade.

      Foi a colocação em prática dessa ideia que alavancou o progresso do conhecimento a níveis que ultrapassam a compreensão da maioria das pessoas mesmo hoje em dia. Mesmo áreas que não costumam fazer uso direto dessas técnicas acabaram se beneficiando grandemente pelo fato de pesquisadores de outras áreas as estarem usando.

      Então ambos…tanto evolucionistas como criacionistas utilizam esta caixa de ferramentas que chamamos de “ciência.

      8) Concordo com você plenamente. Infelizmente isso acontece dos dois lados.

      9) Concordo que a entrevista foi péssima (desculpe Bibo e Aduato !!!). Porém não acho que tudo que a teoria geral da evolução traz é errado. E nem acho que temos que interpretar Gênesis de forma “simbólica”. Acho que o Adauto foi infeliz em muitas colocações.

      E por fim, quero conceituar Criacionismo e TDI aqui já que o Aduato Lourenço no Podcast não fez com maestria.

      Criacionismo é uma estrutura conceitual que adota para o estudo da natureza a possibilidade da existência de um criador. A vida teria sido criada inicialmente complexa, completa e funcional, em tipos básicos de seres vivos dotados do aporte necessário para sofrer diversificação limitada ao longo do tempo.

      Criacionismo é a cosmovisão que busca entender a origem do Universo, da Terra e de todos os seres vivos que nela habitam a partir da ação de uma entidade divina.
      Nossa premissa de fé é: existe um Deus e Ele criou o universo e a vida. Nossa pergunta a posteriori: Existem evidências que corroborem isso?

      CRIACIONISMO CIENTÍFICO
      Criacionismo científico é uma linha de pesquisa que utiliza métodos da ciência para identificar e analisar possíveis evidências de que o universo e a vida foram criados.
      Este ramo criacionista não tem dependência de revelação bíblica, utilizando apenas dados científicos para apoiar e expor o modelo de criação. Entende que houve uma mente inteligente por de trás do projeto, contudo sem intenção de identificá-lo, e interpreta alguns dados científicos como evidências dessa criação sobrenatural opondo-se a filosofia naturalista. Pode incluir hipóteses do criacionismo da terra jovem, terra antiga e design inteligente.

      CRIACIONISMO BÍBLICO
      Criacionismo bíblico é uma estrutura conceitual que defende a Bíblia como a infalível Palavra de Deus. Leis, evidências, processos naturais e testes científicos são perfeitamente compatíveis com as revelações e os conceitos bíblicos. A vida é criada complexa e vai degenerando em decorrência dos efeitos deletérios do pecado, processo intensificado pelo dilúvio global, descrito na Bíblia e em outros documentos antigos.
      Defende a Bíblia como a infalível e verdadeira Palavra de Deus, historicamente confiável. Acredita que leis, evidências reais, processos naturais e testes científicos são perfeitamente compatíveis com a descrição bíblica.

      CRIACIONISMO RELIGIOSO
      Criacionismo religioso é uma estrutura conceitual que, pela fé, aceita como verdadeiros certos escritos de determinada religião que tratam da origem do universo e da vida. Não tem necessariamente a intenção de comprovar ou testar cientificamente suas afirmações.
      Posição religiosa que aceita pela fé como verdadeiros certos escritos de determinadas religiões sobre a origem da vida e do Universo. Não tem a intenção de comprovar ou testar cientificamente cada uma de suas afirmações.

      DEFINIÇÃO DE DESIGN INTELIGENTE
      A teoria do design inteligente sustenta que certas características do universo e dos seres vivos são melhor explicadas por uma causa inteligente, não um processo não direcionado.

      • Matheus Coelho Lemos

        1. Este artigo sugere apenas que os fosseis hominídeos encontrados anteriormente e considerados espécies diferentes na verdade são todos parte de uma linhagem única que evoluiu para o homem moderno, e não diferentes espécies como se pensava, não tem nada a ver com fosseis na mesma pedra com idades diferentes. E é claro que outros cientistas constaram os métodos da pesquisas, mas nenhuma deles contestou o fato da evolução.

        O projeto RATE é altamente contestado por muitos geólogos.
        http://www.gazetadopovo.com.br/blogs/tubo-de-ensaio/a-pegadinha-dos-radioisotopos/

        2. Correto A Teoria da Evolução não é 100% aceita na comunidade científica, apenas 99% aceita. E quanto aos erros, é claro que existem problemas, é por isso que cientistas continuam pesquisando sobre ela para lapidá-la. Se fosse perfeita não precisaria mais de pesquisas.

        3.

        4. Na verdade, a questão não é descordar de mim, rs, eu não sei de nada, discorde da absoluta maioria dos biólogos e especialistas na área.

        5.

        6. Lynn Margulis aperfeiçoou a Teoria da Evolução, não desmentiu ela, e se prepare porque muitas novas descobertas vão ser acrescentadas a esta Teoria nos próximos anos, ela ainda possui buracos em diversos pontos, mas sua base já está muito bem estabelecida.

        7. Ok. Então dentro da Metodologia Cientifica Moderna o Criacionismo Científio é uma pseudo-ciência.

        8.

        9. Eu e os especialistas acreditamos que a Teoria da Evolução está certa, e eu pessoalmente, creio que o estilo literário e a lógica dos eventos descritos no Gênesis nos obriga a fazer uma leitura “simbólica”.

    • Comentando de forma geral agora :

      REFERÊNCIAS QUE O ADAUTO NÃO DEU :

      5 CRÂNIOS NA MESMA ROCHA
      O título do artigo é : A complete skull from dmanisi, georgia, and evolutionary biology of early homo.
      http://science.sciencemag.org/

      Caso queiram entender melhor esta história dos cinco crânios, leia o livro “Fomos Planejados” do Marcos Eberlim capítulo 71 (inteiramente dedicado a este problema). Link do livro : https://pt-br.widbook.com/ebook/fomos-planejados

      ROCHAS DE DIFERENTES DATAS
      E sobre as datações de rocha, em 1997 iniciou–se um projeto para investigar a idade da terra. Era chamado de “Radioisotope and the Age of the Earth” ou simplesmente projeto RATE. Eles analisaram diversas rochas de carvão que já haviam sido analisadas por evolucionistas e datadas como milhões de anos. E para surpresa de toda comunidade científica todas as amostras de épocas diferentes que foram cedidas não confirmaram a data estabelecida pelos evolucionistas. Algumas não datavam de mais de 5 mil anos.

      E por fim, quero conceituar Criacionismo e TDI aqui já que o Adauto Lourenço no Podcast não fez com maestria.

      CRIACIONISMO é uma estrutura conceitual que adota para o estudo da natureza a possibilidade da existência de um criador. A vida teria sido criada inicialmente complexa, completa e funcional, em tipos básicos de seres vivos dotados do aporte necessário para sofrer diversificação limitada ao longo do tempo.

      Criacionismo é a cosmovisão que busca entender a origem do Universo, da Terra e de todos os seres vivos que nela habitam a partir da ação de uma entidade divina.
      Nossa premissa de fé é: existe um Deus e Ele criou o universo e a vida. Nossa pergunta a posteriori: Existem evidências que corroborem isso?

      CRIACIONISMO CIENTÍFICO
      Criacionismo científico é uma linha de pesquisa que utiliza métodos da ciência para identificar e analisar possíveis evidências de que o universo e a vida foram criados.
      Este ramo criacionista não tem dependência de revelação bíblica, utilizando apenas dados científicos para apoiar e expor o modelo de criação. Entende que houve uma mente inteligente por de trás do projeto, contudo sem intenção de identificá-lo, e interpreta alguns dados científicos como evidências dessa criação sobrenatural opondo-se a filosofia naturalista. Pode incluir hipóteses do criacionismo da terra jovem, terra antiga e design inteligente.

      CRIACIONISMO BÍBLICO
      Criacionismo bíblico é uma estrutura conceitual que defende a Bíblia como a infalível Palavra de Deus. Leis, evidências, processos naturais e testes científicos são perfeitamente compatíveis com as revelações e os conceitos bíblicos. A vida é criada complexa e vai degenerando em decorrência dos efeitos deletérios do pecado, processo intensificado pelo dilúvio global, descrito na Bíblia e em outros documentos antigos.
      Defende a Bíblia como a infalível e verdadeira Palavra de Deus, historicamente confiável. Acredita que leis, evidências reais, processos naturais e testes científicos são perfeitamente compatíveis com a descrição bíblica.

      CRIACIONISMO RELIGIOSO
      Criacionismo religioso é uma estrutura conceitual que, pela fé, aceita como verdadeiros certos escritos de determinada religião que tratam da origem do universo e da vida. Não tem necessariamente a intenção de comprovar ou testar cientificamente suas afirmações.
      Posição religiosa que aceita pela fé como verdadeiros certos escritos de determinadas religiões sobre a origem da vida e do Universo. Não tem a intenção de comprovar ou testar cientificamente cada uma de suas afirmações.

      DEFINIÇÃO DE DESIGN INTELIGENTE
      A teoria do design inteligente sustenta que certas características do universo e dos seres vivos são melhor explicadas por uma causa inteligente, não um processo não direcionado.

      Se quiserem saber mais, tenho um projeto que se chama “Onze de Gênesis” que visa justamente discutir os 11 primeiros capítulos da bíblia. https://www.facebook.com/onzedegenesis/

      https://uploads.disquscdn.com/images/47ae81cd53ccc47302354a456ddf0bf2cd192d0f5d245814b9477a1c05bd7786.jpg

    • Rafael Farias

      Olá um pouco atrasado porém gostaria de agradecer a toda equipe Bibotalk pelos trabalhos aqui desenvolvidos, o episódio foi sensacional… Faltou o milho nele, tenho assistido a alguns vídeos do Adauto no YouTube e por incrível que pareça gostando😀 porém entendo a preocupação de muitos para não cairmos em fraldes e heresias, tbm tenho. Mais as coisas tem se harmonizado tão bem em minha mente depois de episódios como este e o do Design inteligente, fora o do Jesus histórico tbm que por hora estou dando glória a Deus. Há propósito está faltando um ainda para fechar de vez , minha sugestão ? Convidem o Rodrigo Silva para falar sobre arqueologia Bíblica por favor kkkk obrigados eternos até mais.

    • Raphael Wilker

      Ouvindo e curtindo, mas creio que iria acrescentar mais se vocês tivessem chamado o Pedro do No Barquinho para gravar com vocês, afinal ele é biólogo.

      • Só que ele não é criacionista 🙂

        • Raphael Wilker

          Justamente, creio que ele iria ajudar em perguntas que poderiam ser feitas ao Adalto.

          • Estamos organizando algo bem interessante ainda nessa temática científica, mas ainda vai demorar para acontecer. Talvez no segundo semestre.

            • Raphael Wilker

              Sem problema, só foi uma sugestão 😉
              XD

            • Sempre bem vindas 🙂

    • Humberto Kramm

      Acho que um contraponto pode melhorar a discussão. https://goo.gl/MoiPVD

    • Humberto Kramm

      Comentei aqui e fui marcado com spam por apresentar um link com informações que contradiziam o professor Adauto.
      segue o link novamente, mas acredito que deverá ser censurado novamente.
      http://www.universoracionalista.org/15-respostas-as-besteiras-criacionistas/
      Talvez um ponto de vista contrário não seja bem vindo. Nem para ser contra-argumentado.

    • Muito interessante a conversa com o Adauto Lourenço. Achei algumas mensagens dele no youtube e acabo de “adotar mais um para ouvir”, assim como faço com aqueles que eu vou conhecendo.
      Tem uma mensagem dele sobre o dilúvio que é bem legal!
      No mais, o cast ficou bem legal.
      Abração!

    • Teologia Simples

      Muito interessante o programa. Para uma discussão ampliada do tema sugiro a leitura de uma dissertação de mestrado intitulada: O MOVIMENTO CRIACIONISTA E SUA HERMENÊUTICA: POSSIBILIDADES DE DIÁLOGO ENTRE A TEOLOGIA E A CIÊNCIA EVOLUCIONISTA por Tiago Valentim Garros.
      Pesquise no google pelo título e você encontrará o texto. Depois da leitura, se possível, poste suas impressões por aqui para fomentar o diálogo e aprendizado sobre o tema.
      Abraços