BTCast 208 – Os dois fundamentos

 

Muito bem (3x), o seu podcast semanal de teologia está no ar. Bibo, Cacau e Will analisam a parábola do Prudente e do Insensato (Mateus 7.24-27) em mais um episódio da série Parábolas.

Neste episódio entenda qual é a melhor base para se construir uma casa, descubra que relação há entre a prudência e a obediência e saiba qual é a melhor marca de tubos e conexões na hora de construir.

podcast cristão do Bibotalk tem a missão de ensinar teologia em áudio a fim de ver o crescimento bíblico-teológico da igreja brasileira.

Arte da capa: Guilherme Match (conheça o trabalho dele aqui!).

LINKS COMENTADOS

————————

Seja um Mantenedor do Bibotalk!

nosso email: podcast@bibotalk.com

Canal de Distribuição no Telegram, clique aqui!

Products from Amazon.com.br

  • @BiboBTcast | @Mac_Mau | @stahlhoefer | @milhoranza |
  • facebook.com/bibotalk | twitter.com/bibotalk | instagram.com/bibotalk
  • Assine nosso canal no Youtube, clique aqui!

  • Assine o feed http://bibotalk.com/categoria/podcast/feed/
  • Envie seu comentário em áudio para podcast@bibotalk.com, ou no botão “Gravar Efeito BTCast!” no canto inferior direito da sua tela!
  • Categorias: BTCast,Parábolas,Podcast

    Tags: ,,,,,,,,

    • Fred Lima

      Olha da introdução com o Will e a junção do contexto do episódio, somaram para o entendimento sobre parábolas.
      Somente uma observação “ainda não foi dessa vez que ganhei um livro, rs..rs..rs..” forte abraço, novamente parabéns!

    • João Lucas dos Santos

      Let’s ouvir.

      Att.

    • Jusier de Melo

      Muito bom esse cast. Como sempre uma aula abençoadíssima!!!

    • Matheus Ramos de Avila

      Sim, ele cantou 💕

    • Lourival Gonçalves

      Baixando agorarinha mesmo.

    • Ao meu ver a discussão de tem a ver com salvação por mérito ou graça só aparece se você considerar a “rocha” como prática qualquer ou filosofia de vida. O motivo de muitos fazerem a ligação desta “rocha” com Cristo (fora os motivos citados no podcast) é o “minhas palavras”. Dai rocha fica meio que ligado a “os ensinos de Cristo que acabou de ser dito”. A relação “pratica das minhas palavras” com rocha, e “não pratica, fora da rocha” me parece clara. Mesmo que “minhas palavras” sejam referentes à “palavras consoantes às Escrituras” algo que os escribas já falavam, mas não praticavam. Alias, prática me parece algo como “zelar tanto para não matar que nem matar na mente é mais aceitável”.

      No final acho que a comparação dos ensinamentos de Jesus vs os dos Escribas é um ponto chave, afinal, os Escribas ensinavam o básico, não praticavam (dentro da crítica de Jesus), poderiam ser inclusive podendo ser lobos.

      • Hum…talvez a questão das obras serem salvíficas dentro do contexto judeu de obra = aceito, talvez os ouvintes ali entendessem como fazer para ser salvo, mas o contexto da crítica dos Escriba anida tá na minha cabeça…preciso reler novamente e refletir sobre.

        Ótimo podcast como sempre!

    • Fico pensando, será que o “Não julgueis” também não é uma cutucada nos escribas e religiosos da época? Já que há uma sequencia de exemplos sobre “não dar a pérola aos porcos”, “se alguém pede vai receber” e “dar pão aos filhos e não pedras (ou seja algo que alimente pois você ama)”, me parece um belo alerta aos que ensinam, para os que fazem sem cuidado no tempo, sem atenção pelo que exatamente a pessoa precisa e sem preocupação com o que ensina.

    • Marcus Pereira

      Achei fantástica a colocação do Will, fazendo a analogia, comparando aquele que busca ser salvo pela graça, construindo sua casa sobre a rocha, confiando naquilo que foi firmada, e o que quer ser salvo pelas obras, confiando no seu trabalho e na força de sua construção, construiu sua casa sobre a areia. Nunca havia analisado esse texto desta forma, e realmente, pra mim fez todo sentido.

      Estou começando a ouvir o podcast agora e estou gostando muito. Continuem com esse excelente trabalho, que edifica e diverte.

      Grande abraço, que Deus abençoe a vida de vocês.

    • Samuel Coelho

      Excelente.

    • Welber Martins

      Bom ver o Cacau tomando seu lugar na podosfera

    • Daniel Cabral de Oliveira

      Essa explicação da tempestade ser uma benção me trouxe um gás novo. Depois de 15 anos trabalhando no mesmo lugar fui demitido,e no momento não tenho nem idéia no que trabalhar agora. Mas posso ver que o fundamento daquele trabalho era areia.Obrigado! Deus abençoe!!!!!

    • André Santos

      Todas as pessoas constroem as suas casas.

      Todas são construtoras.

      Todas as pessoas vão construir as suas vidas, e onde vcs constroem importa.

      Se está construindo nas palavras de Jesus, você está construindo por fé.

      Td o que faz vc faz com a fé na rocha, que é o que Jesus ensinou.

      Crer em Jesus e crer nas palavras de Jesus é a mesma coisa.

      Pq vc crê no que Jesus disse, vc só crê Pq ele disse que ele é quem ele é.

      Quê é o que da autoridade para o que ele fala.

      Então, não tem como crer em Jesus e não crer no que ele ensinou, e não tem como crer no que ele ensinou sem crer no que ele é.

      Que autoridade Jesus tem como mestre diferente dos outros mestres se ele não for Deus.

      E que autoridade Jesus tem como Deus se o que ele ensinou não for verdadeiro?

      Então não há escolha, ou você crê em Jesus e no que ele ensinou; ou você não crê!

      Como diria o milho “SENSACIONAL!!!!!!”

    • Myrelle Gonçalves

      Bibo de quem é essa musica na introdução do Cast?