BTCast 159 – Pré-Milenismo

 

Muito bem (3x), o seu podcast semanal de teologia está no ar. Mac recebe Antônio Neto, professor na Escola Teológica Charles Spurgeon, para juntos conversarem sobre escatologia e a corrente mais popular no Brasil, o Pré-Milenismo.

Neste episódio entenda como a apocalíptica judaica é importante para o pré-milenismo e dá as bases para a sua interpretação do Apocalipse, saiba a importância de um caráter terreno para o milênio, conheça algumas de suas principais críticas ao amilenismo e aprenda a como ter uma conversa de cavalheiros.

O Bibotalk tem a missão de ensinar teologia em áudio para ver o crescimento bíblico-teológico da igreja brasileira. E através da série Plenitude dos Tempos pretende discutir escatologia e assim, reacender a esperança da parusia.

Arte da capa: Guilherme Match (conheça o trabalho dele aqui!).

LINKS COMENTADOS

  • @BiboBTcast | @Mac_Mau | @stahlhoefer | @milhoranza | @meunomeehefziba
  • facebook.com/bibotalk | twitter.com/bibotalk | instagram.com/bibotalk
  • Assine nosso canal no Youtube, clique aqui!

  • Assine o feed http://feeds.feedburner.com/bibocast
  • Envie seu comentário em áudio para podcast@bibotalk.com, ou no botão “Gravar Efeito BTCast!” no canto inferior direito da sua tela!
  • Categorias: BTCast,Debate Teológico,Plenitude dos Tempos,Podcast

    Tags: ,,,,,,,,,,,,,,,,

    • Welber Martins

      Ninguém vai me convencer que o Rabo, balança o cachorro 😉

      • Dorival Biudes

        Se uma borboleta ao bater as asas pode mudar algo grande no universo, porque um rabo não poderia balançar o cachorro ? kkkk. Sou novo aqui no site e ainda não peguei o que significa esse “termo”… rs

        • Welber Martins

          O você ouviu um outro programa sobre Amilênismo na patriótica? Aonde Titilo usa esse termo. É que dizem q pré milênio se defende em um único capítulo é esse fica no final da Bíblia.

    • Matheus Ramos de Avila

      BOMBÁÁÁÁÁSTICO. Sempre quis ouvir o contraponto por aqui. E essa capa do Match ficou ótima. Ouvindo…

    • samuca

      supimpa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Diego Balbueno

      Fico pensando na cara do MAC durante essa conversa rsrsrs…
      Muito bom mesmo, bom saber que o dispensacionalismo não é só deixados para trás e chip na mão…
      Mas fico com o Welber e reafirmo:
      O rabo continua não balançando o cachorro!

    • Diego Balbueno

      Ah… sou eu o indigente kkk, esqueci de mandar o nome. Podcast Sensacional! Mas ainda fico com o lindo Amilenismo <3

      • hahahah, show! Vou tentar lembrar de fazer o disclaimer no próximo concílios e guilhotinas 🙂

    • Samuel Vieira

      Show, muito bom

    • Lourival Gonçalves

      Aí sim,Baixando.

    • Olhaaaa, foi meu professor no curso de Teologia! Fiz todas as Teologias Sistemáticas com ele 🙂
      Por causa das explicações dele desconsiderei totalmente o Amilenismo quando estudei, conheci vocês e fiquei “Aaah, não sei mais de nada, isso aí é maior do que imagino”.
      Começando a ouvir, e depois que acabar vou ficar quietinha pq não me atrevo.

      • Dorival Biudes

        O segredo é não olhar as diferenças e sim as semelhanças. Todas as questões teológicas são secundárias… pois como sempre digo: Os amilenistas vão ser arrebatados no arrebatamento dos pré-milenistas. Então, pra que brigar ?

    • Rafael Farias

      muito bom, é importante dar voz a outros pontos de vista para não ficar só nas caricaturas, vcs estão de parabéns.

    • Valeu, vou sondar 🙂

    • Welber Martins

      Pessoal? Os mil anos, automaticamente defende uma segunda chance , para quem ñ subiu aos céus na vinda de Cristo ? Isso para mim é o mais difícil de engolir, principalmente de um Calvinista kkkk, se eu ñ sou eleito vou ter um repescagem!?

      • Diego Balbueno

        Repescagem foi boa kkkkk

      • Dorival Biudes

        Para um pré-milenista não. Veja, em algum momento Jesus volta, provoca a ressurreição dos fieis e depois manda seus anjos arrebatarem os fieis vivos (incluindo os amilenistas, kkkk) e todos recebem um corpo glorificado. Na Terra começa a tribulação, onde muitos não arrebatados poderão ser salvos por manter sua fé com risco de morte. Ok, tudo ocorre na tribulação e enfim no final tem a guerra onde ao final o diabo será preso por mil anos. Dai Jesus desce para a Terra e todos os crentes descem com Ele para ajudar em seu reino milenar (como reis ou sacerdotes, onde os “cargos” serão provavelmente distribuídos conforme o chamado e o galardão de cada um. Na tribulação morreram praticamente uns 40% das pessoas do planeta, o que matematicamente deixam vivos uns 60%. Sobre estas pessoas distribuídas em todo o mundo é que Jesus irá propor seu reinado. Sim, não será obrigatório pois diz que o país que não quiser se sujeitar não haverá chuva lá… enfim, talvez seja questão de tempo e isso pode justificar tantos países aceitarem a enganação do diabo quando o mesmo for solto após 1000 anos. Enfim, veja que tudo está numa linha do tempo onde todas as pessoas tem apenas uma chance de serem salvas enquanto estão vivas… não tem “repescagem” (adorei a colocação). Se os crentes que receberam um corpo glorificado vão reinar com Cristo por 1000 anos (o novo corpo já não envelhece) o mesmo não se pode dizer das pessoas e das gerações que passaram pela tribulação pois vão continuar nascendo e morrendo, tendo a oportunidade de se converter ouvindo um ministro de Deus (os cristãos fieis) falarem de sua experiência com Deus. Ou seja, essas pessoas terão uma presença mais viva do cristianismo sem as enganações do diabo que estará preso mas em nenhum momento uma pessoa não crente irá ressuscitar para ter essa segunda chance, ou seja, a repescagem. Espero poder ter ajudado no seu entendimento. Fica na paz do Senhor.

    • Danilo Ebúrneo

      E essa trilha sonora do The Witcher 3? Essa não passou despercebida kkkkkk

    • Victor

      Pô, nem responderam as perguntas.

      • O Antonio está se dedicando ao mestrado nos últimos dias. Eu avisarei ele daqui dos comentários e, em tempo, ele dá uma passada aqui pra responder 🙂

        • Victor

          Grande Mac, Valeu!

    • Antonio Neto

      Olá Victor, desculpe a demora. Vamos lá.

      1) Basicamente, a diferença é quanto à posição de Israel no milênio e quanto ao arrebatamento. Dispensacionalistas geralmente rejeitam o pós-tribulacionismo e abraçam ou o pré-tribulacionismo (maioria), ou o mid-tribulacionismo, ou o pré-ira-tribulacionismo. Porém, os pré-milenistas históricos são todos pós-tribulacionistas. COmo eu disse, além disso, todos os dispensacionalistas creem na restauração de Israel como nação no milênio. Já os pré-milenistas históricos variam quanto a esta questão.

      2) Para o Dispensacionalismo Progressivo, não há necessidade de você ser um pré-tribulacionista, ou meso. A razão é que o DP não entende que existe um plano para Israel e outro para a Igreja. Por isso, não existe uma escatologia para Israel (Tribulação) e outra para a Igreja (arrebatamento).
      Assim, os Progressivos que são pré-trib, o são porque entendem que a Bíblia ensina isso, e não porque o seu sistema exige. Por exemplo, Robert Saucy, um dos pais do DP, era pós-tribulacionista. Por isso, você pode, perfeitamente, ser um DP e não abraçar o pré-trib, se entender que assim a Bíblia ensina.

      3) Ladd hoje é pré-milenista dispensacionalista (:P), mas quando ele era vivo ele era pré-milenista histórico.

      Abração

      • Victor

        Obrigado pela atenção e disponibilidade, Antônio. Devo então me considerar pré milenista histórico, já que acho o pós tribulacionismo possível. Mas não entendi a do Ladd. Quando ele era vivo? Ele mudou de opinião na eternidade? kkkkkkkk….abração!

        • Antonio Neto

          kkkkk Sim, Victor, é só uma piadinha. Agora que ele está com Cristo, já se tornou dispensacionalista kkk

          Espero que, pelo menos, eu tenha te ajudado a entender melhor as posições e como elas podem contribuir.

          Abração!