BTCast 131 – Chaves para ler o Sermão do Monte

 

Muito bem (3x), começa mais um BTCast, o seu podcast semanal de teologia. Bibo, Mac e Milho sobem o monte e procuram saber como ler os ensinamentos de Jesus proferidos no sermão da montanha. Você está na série O Reino!

Nesse episódio saiba para quem Jesus falou essas palavras, descubra porque elas são tão importante para a ética do Reino, entenda quem pode cumprir o sermão e seja bem aventurado ouvindo esse podcast!

Acesse ao #BTCastBlack exclusivo para clientes e mantenedores, clique aqui! e saiba mais!

  • @BiboBTcast | @Mac_Mau | @stahlhoefer | @milhoranza | @meunomeehefziba
  • facebook.com/bibotalk | twitter.com/bibotalk | instagram.com/bibotalk
  • Assine nosso canal no Youtube, clique aqui!
  • Assine o feed http://feeds.feedburner.com/bibocast
  • Envie seu comentário em áudio para podcast@bibotalk.com, ou no botão “Gravar Efeito BTCast!” no canto inferior direito da sua tela!
  • Categorias: BTCast,O Reino,Podcast

    Tags: ,,,,,,,,,

    • Eduardo Urias

      Poxa! Que massa! Eu estava justamente querendo começar a estudar com mais afinco o sermão do monte! Vocês são show!

      • não mano, a Cacau é!

        • Eduardo Urias

          Tem razão!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
          O termo mais correto seria “sensacional”!!! hehehe

        • Eduardo Urias

          Mas num demorem muito não para as continuações dessa série, pois sei que o selo Bibotalk garante que vai ser sensacional! hehehehe
          Please???Please???Please???

    • Elias Souza Junior

      Parabéns pelo cast, fantástico como sempre.
      Posso adiantar uma dúvida?
      O que significa uma pessoa POBRE DE ESPIRITO?

      • da nossa parte, só ano que vem hehe mas tem coisa boa por aí. Na nossa fanpage indicaram um texto sobre

    • Welber Martins

      humildes de espírito é um termo bem aberto a interpretação, concordo com o que o Bibo disse mais esse trecho dá muita margem para Graça! Não?

    • Gabriel Leitzke

      Quando Jesus acabou de dizer essas coisas, as multidões estavam maravilhadas com o seu ensino,
      Mateus 7:28
      Com relação ao sermão da montanha btcast 131 o Milho disse que o sermão é para os discípulos, porém ao final conforme colei acima parece ser que muitos ouviam além dos discípulos. O que acham?

      • Alexandre Milhoranza

        Bom, neste sentido temos algumas escolhas a fazer. Eu proponho aqui algumas:

        1) No começo (Mt. 5) as multidões estão lá, mas apenas os discípulos se aproximam, e é a esses que Jesus ensina. Porém, vemos que o Discurso é longo, isso dria tempo que outros se aproximassem para ouvi-lo. Daí no final teríamos multidões em ccontraste com os discípulos que se aproximaram.

        2) Embora Mateu comece dizendo que apenas os discípulos se aproximaram, isso não fica restrito aos 12 como destacamos no episódio. Assim, “discípulos” que se aproximaram pode indicar ainda uma grande quantidade de pessoas.

        3) Independente do número de pessoas que se aproximam ou que ficam de longe, a questão é que apenas aqueles que se aproximam de Jesus (seja um grupo restrito de discípulos ou ua multidão) podem obedecer aos preceitos do Sermão do Monte que foi o ponto que tentamos destacar no episódio.

    • Willian Erthal

      Levando em consideração a suplementariedade recíproca dos Evangelhos, não podemos deixar de comparar o Sermão do Monte de Mateus com o Sermão na Planície de Lucas. Se considerarmos que se trata do mesmo sermão ou do mesmo conjunto de ensinos, veremos que os acidentes geográficos narrados não são contraditórios, mas apenas ênfases em relação ao momento cronológico do sermão (que não foi curto). Talvez isso dê dicas a respeito do público imediato do Sermão do Monte.

      “Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte, e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos;” Mt.5:1

      “Naqueles dias, retirou-se para o monte, a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. E, quando amanheceu, chamou a si os seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos: […]. E, DESCENDO com eles, parou numa PLANURA onde se encontravam muitos discípulos seus e grande multidão do povo, de toda a Judéia, de Jerusalém e do litoral de Tiro e de Sidom. […]Então, olhando ele para os seus discípulos, disse-lhes: Bem-aventurados vós, os pobres, porque vosso é o reino de Deus.” Lc 6:12 e ss.

      Lucas relata que Jesus sobe ao monte, ora e chama os discípulos e escolhe 12 (apóstolos). Este chamado difere do “segue-me” inicial. Há aqui uma escolha e consagração dos apóstolos. Tal relato não é incompatível com Mateus 5, em que Jesus sobe ao monte e lhe aproximam os discípulos. Talvez haja um lapso temporal não relatado por Mateus, mas sim por Lucas, em que Jesus desce à planície e começa a ensinar a multidão.

      Considerando que o público imediato de Mateus eram os judeus conversos, a ênfase no “subir o monte” talvez denote uma intenção do evangelista em apresentar aquele que sobre ao monte para ser oráculo de Deus, o outro Moisés, o superior Profeta, o prometido em Dt. 18:15 “O SENHOR, teu Deus, te suscitará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, semelhante a mim; a ele ouvirás.” Moisés sobe o monte e desce com as tábuas de Lei. Cristo sobe o monte, e desce com a plena, perfeita e suficiente interpretação da Lei.

      Já Lucas apresenta o Homem Deus, o Cristo encarnado, com RG e CPF. Sempre nesta intenção, Lucas enfatiza a descida do monte e o encontro com a multidão sedenta da Palavra encarnada.

      Confesso que o que expus acima é uma mera conjectura divertida (para quem gosta), sendo uma banalidade se comparada aos ensinos no Sermão do Monte (Planície), que são válidos e eficazes independente da conjuntura.

    • Matheus Borges

      PROFECIA ANTIGA (Ancient Prophecy) – Mortification

      Contemple a antiga escritura extraída de uma profecia
      Revelada no testamento dos antigos
      para que toda a humanidade veja

      O profeta Isaías predisse há muito tempo
      A vinda de um homem que sararia a sua terra

      Ele assumiu a natureza de servo descrita em Isaías 53
      Ele cresceu em sabedoria e estatura
      Curou muitos e os libertou

      Tormento e dor tomaram conta da terra
      O desespero por libertação crescia forte
      O profeta viu que o tempo estava próximo
      Libertação iminente para aqueles que ansiavam

      O profeta Isaías predisse há muito tempo
      que uma crucificação ensanguentada geraria a redenção

      Eis a profecia revelada antes que você pudesse
      testificar do sangue derramado de artérias massacradas
      Esmagada além da aparência humana
      Carne retalhada dependurada em sua gaiola corpórea
      Este Sangue espargido da massa de carne flagelada
      Traz a redenção; de modo a participar você deve recebê-lo
      Faça-o agora antes que você morra ou pague o preço
      Dê um passo em direção à Deus ou seja destruído

      Verdadeiramente ele padeceu nossas dores,
      fraquezas e sofrimentos, e carregou nossos lamentos e dores
      Ainda assim, ignorantemente O consideramos aflito,
      Ferido de Deus e oprimido
      Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões
      Ele foi moído pelas nossas iniqüidades e culpas
      O castigo necessário para obter a paz e o bem-estar
      Para nós estava sobre Ele e com açoites e tormento
      Que O massacraram, fomos sarados e nos tornamos completos

      Ele assumiu a natureza de servo descrita em Isaías 53
      Cresceu em sabedoria e estatura
      Curou muitos e os libertou

      Antigos escritos, formados em pergaminho
      concebidos além do domínio do tempo
      O cumprimento ainda a ser revelado em tempo oportuno
      se desdobra para revelar a conclusão

      O profeta Isaías predisse há muito tempo atrás
      Justificação por sangue
      Um espírito completo
      Este Sangue espargido de uma massa de carne flagelada
      Traz a redenção; de modo a participar você deve receber
      Faça-o agora antes que você morra ou pague o preço
      Dê um passo em direção à Deus ou seja destruído

      • Alexandre Milhoranza

        É disso que eu estou falando!

    • Muito bom, irmãos. Como uma entrada panorâmica foi ótimo mesmo. Só achei pequeno. :/ Estava aqui de boa ouvindo no note, ele entrou na proteção de tela, aí quando mexi o mouse só faltavam onze minutos haha. E por pura coincidência (coincidência nada) eu estou fazendo um estudo em Mateus com minha prima e estávamos no sermão do monte.

      Bom, fiquem na paz de Jesus e espero o próximo BTCast.

    • Thiago Ramon Brito

      Otimo conteudo
      Mas nao vou mentir , no começo nao ouvia tanto v6 , primeiro que nao entendia quase nada , mas como todos sabemos houve uma grande melhora , mais dinamismo , e tudo mais
      E hj teologia é nosso esporte
      Parabens !

    • Samuel

      No próximo episódio vocês poderiam abordar um pouco o livro “A conspiração divina” de Dallas Willard? Ele aborda o Sermão do Monte de uma perspectiva um pouco diferenciada. As bem-aventuranças por exemplo não indicam ações que se espera dos discípulos de Jesus, mas a condição daqueles que recebem o reino de Deus, o foco então é no reino. Ou seja, os pobres de espírito não são bem-aventurados porque são pobres de espírito, mas porque deles, até deles é o reino dos céus que Jesus veio trazer.
      Abraços

    • André Linhares

      Cadê a referência a Monty Python? Cadê???? :'(

    • Anderson da Paola

      BTcast muito edificante. O mais interessante para mim foi a questão relacionada a doutrina da graça, onde sempre nos deparamos com o paradoxo da fé x obras. Mas no episodio foi discorrido esse assunto de forma clara. A questão foi: Somos obrigados a cumprir a lei moral do Sermão do Monte? Para salvação não, mas como salvos sim, no entanto, somente a atuação do Espírito Santo para nos capacitar a cumprir tais obrigações.

    • Victor

      Pô, a referência do “Saída pela direita” só uem tem mais de 30 pegou…minha esposa não entendeu…kkkkkkkkkk….Aguardando os outros. Muito bom! Lembrei de um livro do Ladd que li, sobre Evangelho do Reino. Parece que vocês tiraram muita coisa dele.

    • Willian Rochadel

      Que demais!
      A profundidade do sermão da montanha é tão profunda que é incansável. Sempre coisas novas e surpreendentes.

    • Amarildo Rocha

      Muito bom!
      Gostei muito, adorei…