BTCast 068a – Gênesis

 

Muito bem, moçada, começamos uma série nova aqui no #BTCast, a série Aliança. E o primeiro episódio não poderia ser outro: Gênesis. O time completo se reúne para discutir esse livro e as discussões que giram em torno dele, nem todas, essa é somente a parte A do episódio, daqui a 15 dias a gente continua…

Nesse episódio descubra a diferença entre história e mito, entenda quem escreveu Gênesis e saiba se o Bibo e o Alex são mesmo liberais.

Arte da vitrine Junior Peres, conheça o trabalho dele aqui!

Twitter Oficial @bibotalk  

Twitter dos integrantes @BiboBTcast | @Mac_Mau | @stahlhoefer | @milhoranza

Curta nossa FanPage www.facebook.com/bibotalk

Assine o feed http://feeds.feedburner.com/bibocast

envie seu comentário em áudio para podcast@bibotalk.com

ARQUIVO ZIPADO, clique aqui!

Ouça no PLAYER abaixo ou clique em DOWNLOAD para baixar (clique com o botão direito do mouse e escolha a opção Salvar Destino Como, ou Salvar Link) Arquivo MP3!

Categorias: Aliança,BTCast,Podcast

Tags: ,,,,,,,,,,,,,,,,,

  • Jaime Jair Engelmann Junior

    O estudo do milhoranza é um video do Pearl Jam – Do the Evolution… hahaha se for uma trollagem, perdão haha…

  • Rebbeca Louise S.L. de Andrde

    Carta aos tessalonicenses

  • andherson

    carta aos tessalonicenses

  • Edimar

    O link do estudo do Milho sobre Genesis está correto??

  • Agnes Kochhann

    Carta aos Tessalonicenses

  • gostaria de ter uma explicação sobre a criação como fomos criados nossa descendência como existimos se Adão e Eva tiveram dois filhos homens Caim e Abel após Caim matar Abel fugiu da presença de Deus assim que fugiu conheceu sua esposa em uma tribo que á existia de onde surgiu essa tribo? levando em conta que: eles foram os primeiros a serem criados segundo a bíblia.
    aguardo a resposta e desde já agradeço

    • Vagner, isso pode ser explicado, pensando que antes de ter, Caim e Abel, Adão e Eva, poderiam ter tidos outros filhos que formaram outras tribos, e Caim encontrou uma delas. Mas ai você pode perguntar, “Mas se Adão e Eva, tiveram filhos antes do pecado, então estes seriam “santos” e poderia haver uma linhagem de pessoas sem pecados?” a resposta é não, quando Adão pecou, ele foi o representante da humanidade.

      • obrigado Felipe pela explicação essa resposta já haviam me dado me falaram também que antes de Adão e Eva já existiam seres humanos mas na minha opinião essa parte está muito vazia teria que ser melhor explicada não me refiro explicação nossa e sim de quem escreveu a bíblia por ser uma peça fundamental se não se consegue explicar o começo como vamos entender todo o resto… #sóacho

        • De nada cara, mas para ser sincero, eu pessoalmente acredito que a criação de Gênesis, é algo simbólico, pois como bem dito no podcast, Deus queria mostrar que ele criou o universo, e consciente disso, e que gostou do que criou. Creio que o povo e os profetas dá época, acreditavam que era daquele jeito mesmo, literalmente, menos Jesus, claro, mas ele tinha que explicar de uma forma que o povo entendesse.

  • Carta aos Tessalonicenses

  • Jonatas Ricardo

    Carta aos Tessalonicenses!

  • Marlon

    Creio que o “IDE” era para ser “Ide”, possivelmente fazendo referência a “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”.

    • Mac

      Que burro, dá zero pra mim, huahuahuahua.

      • É o IDE da grande comissão mesmo! hahaha… Demais! Valeu Mac!

  • Erik de Oliveira

    Carta aos Tessalonicenses

  • Errata: Na verdade o mito de Marduque e Tiamat está na epopéia chamada «Enuma Elish» e não Gilmagesh como falamos.

    • já era,é guilhotina.kkkkk

    • Bibotalk

      Que significa: quando lá do Alto. Me toquei disso só depois. Como já trouxemos a errata. Sem guilhotinas. Mas é importante o Mac fazer a errata no próximo concílios.

      • Mac

        Não sei se o Carrasco será tão misericordioso assim 😛

  • Moisés é o autor do Pentateuco e ponto Final.

  • kkkkkkkkkkkkk!!O tema do Podcast #69 será Picante.kkkkkk

  • Tatiane L. Einhardt

    Muito, muito, muito bom! Obrigada pela dedicação de vcs! Vou comentar só que ainda tô rindo do “segunda” e “segundo”, pq o resto eu ainda preciso processar… Acho que levei quase duas horas pra ouvir esse podcast, mas assim que é bom 😉 Assim como tantos outros, vou ter que ouvir de novo. Abraços, Deus abençoe vcs e seu trabalho.

  • Arthur

    Alex, como assim responder aos mitos de forma apologética? Como assim respeitar os mitos? o.O

    • Alex @stahlhoefer

      Arthur

      Quando o profeta Elias desafia o povo israelita idolatra para que adorem o Deus verdadeiro, ele não o faz ridicularizando baal com palavras, nem usando o recurso da demonização, mas conclamando os profetas de baal para orarem/sacrificarem ao seu deus, enquanto Elias faria pra Jave. O deus que respondesse era o Deus vivo e verdadeiro. Paulo também não desrespeita os filósofos gregos de sua época, nem as filosofias inundadas de conceitos politeístas e pagãos, mas os cita como testemunhas a favor da mensagem do evangelho. Paulo não chama o areópago de casa do capeta ou coisa assim por haver ali muitas estátuas, mas elogia a religiosidade dos gregos, como uma forma de mostrar que os respeita, mas que gostaria de lhes apresentar o Deus verdadeiro, e não somente sombras da verdade, como eles até então conheciam.
      Os pais apologetas também usaram da filosofia para defender a fé cristã, mostrando pela filosofia, que só havia um Deus e pela Escritura que esse deus era o pai de Jesus. Na escolástica Thomas de Aquino fez o mesmo. Hoje, grandes apologetas também discutem com a filosofia, discordam, mas respeitam. Quando dizemos que gênesis 1 é apologético, dizemos isto pois a forma do texto(gênero) é o mesmo dos relatos de criação dos povos vizinhos e ele discorda claramente dos povos vizinhos, dando uma nova interpretação para os mitos de criação conhecidos até então. Dizer que um único Deus criou tudo soava quase um absurdo pra época, assim como hoje dizer q vc crê na criação de Deus é um absurdo diante do niihilismo científico. Ainda que eu creia ser possível conciliar pensamento científico e fé na criação.
      Quanto ao respeito, creio que a via do ouvir, entender, respeitar e dar sua posição com base bíblica, em amor e sem desejo de ganhar batalhas é a melhor apologética e evangelista que se pode fazer. Debates onde já se começa dizendo que o outro crê em doutrina de diabos é uma vacina contra o evangelho. E digo mais, facilmente assistimos percy Jackson ou Tor e achamos legal pela história pop, mas se fosse um filme onde o exu preto velho interage com Oxum e Iemanja, aí teria pastores dizendo horrores sobre o filme. A mitologia europeia é encarada como do bem pelos protestantes em geral, mas a africana é do mal. Curioso é que a mitologia yoruba, que deu origem ao candomblé, nem crê numa figura maligna, anti divina. E os paralelos e tensões deles são tão ricos que teríamos muito o que dialogar com praticantes do candomblé. Sem medo de que o capeta vai pegar em nós, ou opiniões sem fundamento desse tipo. Respeitar, e não demonizar é a melhor evangelização.

  • Muito bom este Bibotalk, já gostei muito do tema, e cumpriu o objetivo de ficar com o “gostinho de quero mais” ansioso pela próxima parte. Não fiquei incomodado com o “liberalismo” deste cast especifico, pois também sou um pouco, ia dar a sugestão de temas de trechos da Bíblia, que não estavam nos manuscritos originais, mas neste programa já comentaram algo parecido então já tenho uma ideia, e concordo com vocês, o importante é a mensagem da Palavra ( não estou falando da paráfrase hehe)

  • Parabéns galera!
    Ótimo programa, assim como todos os ouros, pra glória de Deus!
    Muito boa a discussão; aliás gostaria de que vocês fizessem um cast mais específico sobre criação e evolução

  • abilio

    NÃO gosto dos podcast’S do milho, ouvi somente uns dois do blog dele! são muito cheios de informações históricas super relevantes e não da pra ouvir trabalhando, tem que parar e meditar, excelente aquisição pro time do bibo, parabéns a todos que Deus continue abençoando a vida de vocês!!!

  • Cinthia Oliveira

    Olá galera do BTCast! Ótimo pod!
    Fiz duas matérias no centro de linguas orientais da usp (comentei em irmaos.com) e aprendi muito sobre o Gênesis,como fiz só um semestre o curso foi basicamente só questões sobre o Genesis. Uma coisa que me intrigou muito era que a minha professora(que é judia e fala hebraico fluentemente, ela lia as passagens bíblicas na Bíblia em hebraico, de mais!!) não pronunciava o nome de Deus de forma alguma, e nem escrevia, ela disse que todo judeu não fala, e mesmo quando perguntamos sobre o nome de Deus pois queríamos saber qual o nome que eles os chamam, ela não falava, perguntamos se seria Javé, que é como nossas Bílias traduzem, ela disse que não, que não se pronuncia com J, ela só disse que começa com Ia, e acho que o que mais de aproxima seria Iaweh! Não sei o que achar, pois vcs que são teólogos sempre falam Javé, mas na verdade mesmo o que importa é que eu acredito em Deus mesmo se o nome dele for Javé ou Iaweh, ou outro nome!!
    Outra coisa, ela sempre reclamava das nossas traduções da Bíblia,tem palavras que foram traduzidas muito erroneamente, e que no fim muda todo o sentido do que o texto quer dizer, a tradução que ela menos gosta é a Ferreira Revista e Corrigida. O ruim disso é que o verdadeiro sentido de algumas coisas só entende quem lê em hebraico e sabe o contexto daquela palavra na lingua, seus eufemismos e sinônimos, ainda bem que temos o Espirito Santo para nos ajudar a compreender e interpretar a palavra de Deus!
    Outros assuntos abordados no curso foi sobre as alianças, o go’el (redentor), pureza e impureza,o povo de Israel como povo consagrado, documentos em Mari sobre os amurro (antepassados semitas), dinâmicas de deslocamento, entre outros.
    Se vcs se interessarem posso passar a bibliografia do curso pra vcs, e vou deixar o link com informações sobre a professora, sua area de pesquisa e contato! (Ah, ela não sabe absolutamente nada do novo testamento, uma pena, conhece tanto o velho, mas não aceita a graça de Jesus Cristo!)
    http://letrasorientais.fflch.usp.br/hebraico/34

    Fiquem com Deus!
    Abraços

    • Alex @stahlhoefer

      Oi Cinthia,

      Deve ter sido uma experiencia incrivel ter aulas com alguém com um conhecimento tão privilegiado. Os professores de hebraico meu e do bibo tiveram experiencia em Israel, mas não tão vasta assim. Até onde li e aprendi na aula, a pronuncia do tetragrama seria algo como Iahweh, a BJ traduz dessa forma, p.ex.
      Abraços

    • Glória Hefzibá

      Cinthia,

      “Outra coisa, ela sempre reclamava das nossas traduções da Bíblia,tem palavras que foram traduzidas muito erroneamente, e que no fim muda todo o sentido do que o texto quer dizer, a tradução que ela menos gosta é a Ferreira Revista e Corrigida.”

      Eu não sei se a sua professora comentou, mas eu imagino o porquê de ela ter dito isso. A Almeida Corrigida foi traduzida usando um método de equivalência palavra-palavra, onde importa é a correspondência formal, e não de sentido. Por isso, por exemplo, fala-se em emoções sentidas nos “rins”, pois não se traduziu querendo expressar o sentido (emoção no coração), mas sim o que estava realmente escrito.

      Concordo com a sua professora e prefiro a Atualizada =]

  • Andando e Cantando

    Na parte em que vocês se referiram a mitos como a ação de vários deuses, não acredito que a palavra “mito” se refere à ação de vários Deus, mas sim simplesmente a uma narrativa fantasiosa. Sendo às vezes a palavra pode ser usada para degradar determinados acontecimentos como a mitologia judaico cristã, que alguns levam isso de modo pejorativo. Um outro ponto é o “mito da caverna” de Platão, mesmo sem relação a divindades, leva o nome.

    • Alex @stahlhoefer

      A definição não é a nossa mas de Werner H. Schmidt em Introdução ao Antigo Testamento, tendo como base uma definição amplamente aceita na pesquisa historiografia dos gêneros literários da antiguidade. O termo “mito” em o mito da caverna de Platão se refere a tensão conceitual existente entre mythos e philosophia típicos da academia ateniense. Se vc misturar o conceito da disussao filosófica pra discussão histórico teológica não vai entender do que estamos falando.

  • PEDRO BARBOSA RIBEIRO

    otimo inicio,tenho certeza que essa serie vai ser muito edificante.abraço a todos.

  • Marcel Lima

    òtimo podcast, com certeza tem que se ouvir mais de uma vez para absorver todo o conteúdo, e obrigado por me citarem como ” o cara lá”, rsrs.. mas claramente se da para ver que o MAC é o mais conservador de todos rsrs.. brincadeiras a parte o Cast foi sensacional. Acredito que se o primeiro Livro de Gênesis foi Apologético, se foi Moisés ou não que escreveu, nada escapou da Soberania de Deus que quis que nós conhecêssemos a história dessa forma. Aguardo o Cast Sobre Liberalismo Teológico com todos os componentes do Cast. Que Deus abençoe.

  • Larissa

    Em irm

  • Larissa

    em irmãos.com moises é o autor do pentateuco e ponto final.

  • Ótimo episódio pessoal, como sempre. Realmente Gênesis é muito “grande” para ser tratado em apenas um podcast. Fiquei assustado quando pensei que seria apenas um episódio. Mas aliviado que percebi que é só a primeira parte 🙂

    Não vou me arriscar a fazer comentários teológicos. Tenho muito o que aprender.

    Abraço!

  • Pessoal parabéns pelo assunto abordado ao PodCast…muito bom!
    Quanto a Autoria do Genesis. Afirmo com segurança e fé, que podemos declarar que Moises e o responsável pela autoria do livro. Por se tratar do primeiro livro do Pentateuco que ambas, as Escrituras e a tradição, atribuem a Moises. Pense comigo? Seria difícil descobrir um homem, em toda a série da vida de Israel, que fosse mais qualificado a escrever toda essa historia e relatos. Ele possuía uma educação diferenciada dos demais hebreus da Historia. Fora Educado na “sabedoria dos egípcios” (Atos 7:22), tudo o que Deus preparou para vida de Moises foi providencialmente preparado para compreender os registros e manuscritos disponíveis e a narrativa oral das Escrituras que viria a ser revelada. Como um profeta ao qual foi concedido o incomum privilegio de longas horas de comunhão com Deus no Sinai, foi bem preparado para registrar para todas as gerações o retrato do Senhor e das Suas atividades através dos séculos. Se Moises não fosse o autor desse livro qual homem no mundo teria tal privilegio? Que outro individuo, através dos séculos, possuiu tais poderes e tal fé e que tenha desfrutado de uma comunhão tão intima com Jeová? Eu já fiz essas perguntas diversas vezes na minha vida. E acredite, eu não consigo me liberta do fato de que o Senhor modelou o seu servo para tal feito. Quanto a forma de escrita, na Arqueologia descobrimos registros antigos como as Cartas de Amarna, a literatura Ugarítica (ou Ras-Shamra), e tabuas de barro da Mesopotâmia (Mari e Nuzu), têm capacitado os mestres a reconstruírem os antecedentes históricos e culturais dos registros bíblicos, e descobrir como era a vida no Egito, na Palestina e na Mesopotâmia nos tempos bíblicos. Igualmente, muitos registros orais e escritos, pela antiguidade adentro, estavam a disposição do ilustre mestre hebreu, cuja educação egípcia e cujos estudos superiores na região do Monte Sinai tornaram-no cônscio dos significativos movimentos mundiais.

    Deus abençoe… A todos.

    • Glória Hefzibá

      Marckland,

      Não acho que o que você falou seja novidade para o pessoal do BTCast. Mas, ainda que a pergunta não tenha sido para mim, permita-me comentar:

      Muitos homens menores que Moisés foram autores de livros bíblicos. Porém, fica para você a pergunta:

      Tudo o que Moisés falou foi dado exclusivamente a ele, por revelação? Acha mesmo que o povo de Israel não já tinha alguma história da Criação antes mesmo que Moisés a compilasse? Você ainda pode falar em “privilégio” depois disso?

      Fique com Deus!

  • Fábio Kaiser Sousa

    Cara esse btcast fui parar no hospital de tanta hemorragia nasal! o médico até me receitou a ficar a parar de ouvir, mas como eu sou um cara que não dou bola pra médico, eu continuo a escutar he he!

    O que eu mais me amarro no Btcast, são as origens, os termos que a gente nunca ouve falar numa EBD, inclusive eu sempre levo algo novo na EBD da minha igreja e o pessoal se amarra!(isso porque eu não sou professor)

    E o que eu mais fico fico feliz, é que cada BTcast me impulsiona a ler mais a Bíblia, a saber mais, das origens das escrituras, eu nem fazia ideia que Gênesis se dividia em 2 partes, pra mim se dividia em uma só e olhe lá!

    E queria até deixar o meu agradecimento a Galera das hemorragia, que a através de vocês, eu melhorei minha dicção, eu nessa quarta-feira foi a primeira vez que eu preguei a Palavra de Deus, Fp (4;12-14), foi muito legal e olha que eu nunca me via pregando a Palavra, primeiramente Deus e vocês que me impulsionaram a despertar esse dom na minha vida

    Desde já Grato a Equipe BTcast e vida longa as Hemorragias nasais!

  • Fábio Kaiser Sousa

    Esse Tiamat como foi citado no Btcast, tem alguma relação com o Tiamat da caverna do Dragão?

  • Luiz Renato

    Galera, não consegui terminar ainda o pod, mas queira postar aqui um texto do Orwell que ilustra bem o que julgo ser o perigo de querer relativizar muito o sentido do texto bíblico. É uma crítica entre vários elogios que eu poderia dar. Continuem assim.
    http://criticanarede.com/linguagemreligiosa.html

  • Samuel Varela – Crato/CE

    Excelente podcast, pessoal. Parabéns.

  • Glória Hefzibá

    Passando para parabenizar o pessoal pelo episódio! (olha só quantos pês…)

    Gostei da discussão sobre a autoria, e do toque na questão dos mitos.

    Muito bom!

  • Arilson

    acabei de ouvir, muito potencial neste btcast,
    parabéns aos participantes!!

  • Amei essa série, sou do time que crê no literalismo da criação no Gênesis, fiz até um estudo sobre o assunto para falar disso em uma escola de férias na igreja
    (http://anabibliando.blogspot.com.br/2014/02/criacionismo-e-evolucionismo.html).

    Deus abençoe!!

  • Anderson Lima

    Que turminha bacana! Que debate gosto de ouvir… semelhante quando no vólei acontece o “rally”… Muito legal!!! Parabéns.!