BTCast 040 – Morte e Imortalidade

 

Muito bem moçada, #BTCast na área para fundir seus neurônios, afinal, estamos falando da série Plenitude dos Tempos, nossa série de escatologia cristã. Nesse episódio Alex, Bibo e Mac discutem sobre a morte e o que acontece depois dela. Será que ficaremos acordados até a ressurreição? Ou dormiremos até o dia do julgamento? Somos imortais? Há uma imortalidade da alma? Isso e muito mais no seu podcast de teologia cristã!

Essa vitrine foi presente do nosso ouvinte Brão Barbosa (conheça seu website)

Links comentados durante o episódio:

Ouça os episódios anteriores da série Plenitude dos Tempos, aqui!

Curta nossa Fan Page www.facebook.com/bibotalk 

Siga-nos no twitter @bibotalk @Mac_Mau @stahlhoefer

Assine o feed http://feeds.feedburner.com/bibocast

ARQUIVO ZIPADO, clique aqui! clique com o botão direito em clique aqui e salvar link como

Ouça no PLAYER acima ou clique em DOWNLOAD para baixar (clique com o botão direito do mouse e escolha a opção Salvar Destino Como, ou Salvar Link) Arquivo MP3!

Categorias: BTCast,Plenitude dos Tempos,Podcast

Tags: ,,,,,,,,,,

  • alguem tem o link da ilustração inteira do Brão Barbosa?

    • procurei no site dele e não achei…deve ter sido feita só pro cast…

      • Alex

        Felipe,

        O Brão fez a arte exclusivamente pro BTCast.
        Aliás… fez um excelente trabalho. Fica aqui nosso reconhecimento.

  • Sr. Steffens

    Ei Alex você falou no minuto 28:20 quando as opiniões sua, do Bibo e do Mac começaram a divergir na questão do juízo no final, você se refere ao que está estrito em Apocalipse 20:12 ou por acaso tem alguma outra passagem para embasar algum “juízo final”?

    • Alex

      E ai Sr. Steffens!!
      Mano… a questão do juízo é uma referencia clara a Ap 20 com relação a abertura dos livros e o julgamento dos mortos conforme suas obras. Apesar de que a conclusão do juízo para salvação é sempre a favor daqueles que estão com seu nome inscrito no livro da vida.
      As referencias a um juízo final remontam ao AT. Várias referencias falam do Dia do Senhor/Javé, da Assembléia dos Justos (Mq 2.5, cf. Ml 2.17-3.5 / Sf 1.14-2.3). O tema é retomado por Paulo nas suas cartas (Fp 1.10, 1Ts 5.2). Pedro também atesta um dia de juízo (2Pe 2.9). Não por último, o próprio Jesus atesta que haverá um dia de juízo (Mt 10.15).
      A questão do juízo final era tão clara para a Igreja antiga que encontramos no Credo dos Apostolos a formulação “Creio (…)em Jesus Cristo (…) [que] está sentado à direita de Deus, Pai todo-poderoso, de onde virá para julgar os vivos e os mortos”. O Credo Niceno-Constantinopolitano afirma o mesmo e acrescenta “e o seu reino não terá fim”.
      O juízo e o duplo desfecho da história são parte essencial da confissão cristã e estão ligados diretamente à soteriologia do Novo Testamento.
      Abraços, Alex.

      • Sr. Steffens

        Alex

        Sendo esse julgamento com relação a obras, pode-se então afirmar que o veredito já foi dado após deixarmos este corpo, pode-se também afirmar que este julgamento segundo nossas obras seria para recebermos nossos galardões?

        Abraços, Davi (vulgo Sr. Steffens) hehehehe

        • Alex

          As obras não tem um caráter decisivo no julgamento, como vc percebeu. A absolvição é pela graça de Deus, manifesta na fé. Como diz João 3.18 “Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no nome do Filho Unigênito de Deus.”
          Quanto a razão e resultado do juízo das obras, não posso opinar. O tema é obscuro. Não sou muito favorável a ideia do galardão, até porque o sentido exato do termo em grego não é claro e porque há poucas passagens para embasar que no céu uns recebem mais e outros menos. Enfim, o que e como Deus vai nos dar na eternidade é com Ele mesmo. Prefiro não comentar. Minha opinião é que sempre que queremos inventar saber o que Deus fará no futuro acabamos fazendo teologia da glória, e não teologia da cruz. Explico: aqui neste mundo, o que sabemos de Deus foi por ele revelado por varios modos, mas salvíficamente na Cruz de Cristo. O que sabemos da glória de Deus, são apenas lampejos, sinais, sombras. Então, não temos como fazer teologia sobre a glória de Deus e o que tem do lado de lá do céu. Entende?
          Abraços

          • Sr. Steffens

            Entendi sim Alex, coloquei a questão dos galardões, porque me criei ouvindo falar disso, mas sempre me incomodava as pessoas falando que o irmão que tem mais galardões estaria numa posição de mais destaque no céu, o que é ridículo sendo que Deus não prefere uns a outros, e sim nos trata como filhos.
            Abraços.

  • Alex, Bibo e Mac ( em ordem alfabética para não dar briga kkkk)o que me chamou a atenção neste BTCast ( Fora o tema maravilhoso ) foi a calma com que vocês aceitam a opinião um do outro ainda que seja divergente, eu gostaria de ver isso no meio Cristão, pois nem tudo na biblia nos foi revelado, seja total ou parcialmente existem temas que a biblia deixa encoberto, talvez pela nossa incapacidade de entende-los ou sabe-sela por que!kkkk e Muitas pessoas pegam esses temas e tentam criar “verdades absolutas” Talvez eles até estejam certos,mas ao meu ver se a biblia não deixa algo claro, é por quenao deve ser claro pelo menos neste tempo! Por isso gostei muito deste BT pois vocês discutiram algo com seus respectivos pontos de vista sem ferir a visao do proximo.

    As coisas encobertas pertencem ao SENHOR nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei.
    Deuteronômio 29:29

    Fiquem na paz

  • Michaell de Oliveira

    Bom genteeee primeira vez comentanto aqui , bt cast de hj tava mamilos heheh admiro muito vcs aqui do bibotalk tenho aprendido muito com vcs e a respeito do assunto de hj creio no periodo intermediario conciente mas a vida de imigrante aqui nos EUA ta tao cansativa q acho que se morrer antes do arrebatamento vou preferir durmi e descansar um pouco kkkkkkk zuera gente abraço

  • Bibotalk

    Moçada, estamos lendo tudo beleza? Só tá punk responder um por um…
    abração a todos e a todas!

    • Sr. Steffens

      Beleza nem esquentem!!!

    • João Henrique

      Bom dia Bibo,
      repreendi o espírito que me impedia de comentar os pods e gostaria de dizer que estou apaixonado pelo btcast. Conhheci através do irmaos.com e baixei todos os pods e já ouvi tudo pelo menos 2x em 30 dias, imagine o nível das lesões cerebrais, enquanto escrevo isso estou babando no teclado, rsrs. Todos os pods são maravilhosos, e graças ao Clóvis acho que sou um assembleiano Calvinista, mas meu preferido foi o 14 justificação e santificação, acabei esse com lágrimas nos olhos. Como disse sou assembleiano a 12 anos e quando ouvi esse, um fardo caiu de minhas costas, foi praticamente uma iluminação. Que Deus abençoe todos vcs e que arrumem logo um patrocínio para passarem a ser semanais.

      • Bibotalk

        João, muito obrigado por compartilhar esse testemunho com a gente mano. Isso nos inspira! Sigamos em frente!
        se quiser gravar esse comentário e nos mandar, publicamos no px btcast!

        • joao henrique

          Poxa Bibo, obrigado a vocês. Quanto a gravar não vai dar mas se quiserem ler será uma honra.

  • Olá pessoal…
    Lá pela metade do podcast, enquanto eu estava ouvindo, me veio a mente o seguinte sobre essa questão de antes do pecado havia a morte ou não. Pensei no seguinte, logo no início, mesmo depois do pecado as pessoas viviam quase mil ano. Só que, com o pecado, essa longevidade foi diminuindo. Se Adão e Eva não tivessem pecado, eles, segundo esse meu pensamento, não iriam morrer, pois o “salário do pecado é a morte” e já que não havia pecado não haveria esse salário. Eles viveram uma certa quantidade de tempo, talvez alguns milhares de ano, mas depois de um tempo Deus os levaria para si, assim como fez com Enoque e com Elias. Poderia até ser que alguns com mais tempo e outros com menos tempo, só que não seria uma morte física, apenas, e aí sim, uma “viagem”.
    Talvez eu tenha viajado muito nessa ideia, mas, como falei, foi apenas um pensamento que surgiu na minha mente.
    Mais uma vez, achei excelente o podcast, uma ótima e proveitosa discussão.

    • Se eles comecem sempre da árvore da vida suas vidas tenderiam ao infinito, rsrs

      Piada de matemática ….

  • Silvio H. T. (Hiroshima/Japão)

    Olá Bibo, Mac e Alex,
    Gostei muito do assunto! Sempre acreditei que os salvos que já morreram estão conscientes lá no céu. Minha irmã faleceu há algum tempo e acreditar que ela está consciente e desfrutando da vida eterna no céu me conforta bastante! Mas consegui encontrar coerência nas duas visões que vocês abordaram nesse podcast. Tenho crescido muito desde que comecei a ouvir o BTCast. Já ouvi todos e varias vezes cada um, principalmente os pods sobre calvinismo e o pod sobre o milênio. Esses já ouvi dezenas de vezes, sem exagero! Me considero amilenista agora! hehehe
    Bom, sobre esse pod em específico, além do texto de Apocalipse que o Mac citou, gostaria de sugerir Mateus 17, onde Moisés e Elias aparecem para Jesus no monte da transfiguração. Embora Elias ter sido levado vivo na carruagem de fogo, Moisés por outro lado, morreu. O fato de eles terem aparecido para Jesus pode indicar que os que já morreram estão sim conscientes, ou Moisés e Elias foram uma exceção? De qualquer forma, o importante é estar em Deus, consciente ou dormindo! rsrs! Valeu pessoal! Agradeço a Deus por vocês, pois aqui no Japão não tenho como estudar teologia formalmente. O BTCast tem sido uma grande saída para mim! Obrigado!

    • Pois é, ta aí um argumento forte para a consciência após a morte.

      Tem até alguns estudos na internet que falam que Elias na verdade não foi levado ao céu mas na verdade foi levado para outro lugar, na terra, e portanto teria morrido depois. Não me aprofundei neste assunto para dar opinião. Vocês já ouviram sobre isto ?

  • Muito massa, o que mais gostei? sim foi a liberdade de expressão e o respeito mutuo das opiniões. Só não gosto das musicas mundanas. sim eu sou Pentecostal. Amo vcs em Cristo!

  • Quem é vivo sempre aparece!!kkkkk.Estou sem net,e está sem net é está sem BTcast,e está sem BTcast é está desinformado,kkk..este pod foi ótimo.Parabéns mesmo!!!!

  • Bibotalk

    Então, temos que dar uma olhada com mais atenção nesses eventos mencionados, mas ainda acho que eles não dizem o que dizem hehe
    e quanto a parábola, será que o propósito da parábola é mostrar consciência após a morte? sem contar que parábolas são histórias para ensinar uma lição, não uma doutrina.

    enfim, por enquanto penso assim

    • Olá Bibo,

      O assunto é muito interessante e desperta longos debates realmente. Respeito muito sua opinião e concordo que uma doutrina não deve se apoiar somente em uma parábola. Entretanto acredito (me corrija se estiver errado) que as parábolas, apesar de não mostrar algo que realmente aconteceu, poderiam ter acontecido. Em todas as demais parábolas me parece que Jesus usou termos comuns aos judeus para ensinar uma lição moral. Partindo deste princípio, isto é, que as parábolas usam termos comuns aos judeus, porque seria diferente para a do rico e Lazaro?

      Escutando o BTCast 35 aprendi que parábolas são histórias que Jesus tira do dia a dia das pessoas, do cotidiano. Neste podcast aprendi que a parábola é como uma piada que só pode ser entendida se os ouvintes conhecerem as referências. Em última análise a parábola não precisa de explicação pois usa imagens que todos conhecem. Partindo deste princípio, desta chave, acho que devo ler a parábola do rico e do Lázaro como algo que não aconteceu necessariamente, mas poderia ter acontecido, pois Jesus usou referências conhecidas pelos seus ouvintes, usou imagens que todos conheciam. Portanto não acredito que Jesus usou uma fantasia, uma conto de fadas, na parábola, ele falou de algo possível. Não acho que a parábola do rico e do Lázaro tenha uma chave de interpretação diferente de todas as outras parábolas.

      Posso estar errado, reconheço. Acho que a interpretação da inconsciência após a morte é interessante. Estou aqui para aprender com vocês. Mas os fatos da parábola do rico e do Lázaro, a declaração dos mártires conscientes em Apocalipse, a presença de Moisés na transfiguração, me dão a impressão de que realmente existe consciência depois da morte e precisam ser explicadas para melhor entendimento.

      Obrigado pela oportunidade e que Deus abençoe a todos.

      • Fernando,

        Em adição a sua fala, replicarei aqui o que escrevi nos comentários da postagem lá no irmãos.com. Segue abaixo:

        —————-

        Vou tentar me posicionar aqui mais claramente sobre o assunto.
        Bem, no BTCast meu amigos defenderam que a passagem do rico e Lázaro é complicada de se ter como parâmetro para essa questão do sono/consciência.
        De fato, o Senhor Jesus não está pretendendo no texto falar sobre tal doutrina, todavia, a pergunta fica: Por que dessa passagem só conseguimos deduzir a consciência da alma após a morte?
        Pra mim seria uma inconsistência lógica querer ensinar algo (ainda que por parábola) usando uma ilustração que (hipoteticamente) não reflete a realidade.

        Há também o evento da transfiguração de Jesus.
        Aqui, independente do que realmente tenha acontecido (se Moisés e Elias realmente estavam ali em espírito ou se foi apenas uma visão), não me parece que eles estavam dormindo, uma vez que o próprio texto (Mc 9:4) diz:

        E apareceu-lhes Elias, com Moisés, e falavam com Jesus.

        Ver também Lc 9:30,31:
        30 – E eis que estavam falando com ele dois homens, que eram Moisés e Elias,
        31 – Os quais apareceram com glória, e falavam da sua morte, a qual havia de cumprir-se em Jerusalém.

        Outros textos como o já citado Ap 6:8-11 como também Ap 19:4-7 e Ap 20:4 (todos claramente acontecendo antes da ressurreição) mostram que há movimento no céu não só por parte dos anjos, mas também daqueles que morreram em Cristo.

        Sendo assim, concluo meu pensamento concordando com o Alex e o Bibo, de que o ser humano é único/indivisível em sua constituição, de modo que a ressurreição está aí pra juntar o que foi separado.
        As passagens que abordei acima provocam uma tensão nesse pensamento, mas também penso que elas são claras o suficiente em favor da consciência “post mortem” – principalmente em relação aos textos do AT [de modo que seus escritores não tinham revelação suficiente para explicitar a questão] e alguns não tão conclusivos do NT.

        • Silvio H. T. (Hiroshima/Japão)

          Legal Mac, também penso que essas passagens são claras o suficiente em favor da consciência após a morte. E Bibo, também concordo que o fato de a narrativa bíblica citar fatos conhecidos pelo povo não querem dizer que são verdadeiros. O povo acreditava que nascer cego de nascença era fruto de uma maldição por causa do pecado dos pais ou até mesmo do próprio indivíduo (como se fosse possível pecar dentro do ventre, hehe). Mas Jesus desfaz essa idéia no próprio texto. Mas na passagem que vc citou, a narrativa do evangelista destacou a crença popular, mas não diz que Jesus usou essa crença. Ele simplesmente curou sem nem mesmo dizer que aquela crença era errada.

          • Silvio H. T. (Hiroshima/Japão)

            Perdão…”nascer cego de nascença” foi redundante heim! Kkk… Mas tá valendo! Hehe

        • Legal Mac.

          Para complicar um pouco mais a situação na transfiguração:

          Alguns argumentam que Moisés teria ressuscitado baseando-se no fato de que o corpo de Moisés não foi encontrado e também pelo texto de Judas que informa uma contenda entre Miguel e o diabo a respeito do corpo dele. Sendo assim entendem que Moisés realmente morreu, como esta escrito, mas teria sido ressuscitado por Deus.

          Entretanto este argumento de ressurreição cai por terra diante do texto:

          “Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as PRIMÍCIAS dos que dormem. Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, ASSIM TAMBÉM todos serão vivificados em Cristo.
          Mas cada um por sua ordem: Cristo as PRIMÍCIAS, depois os que são de Cristo, na sua vinda.” 1 Coríntios 15:20-23

          Cristo foi as primícias dos que dormem, isto é, o primeiro a ressuscitar para a glória, que é o assunto de Paulo neste contexto. Logo, não houve ressurreição para a glória antes da ressurreição de Cristo pois aquela somente existe por causa desta. Logo Moisés não estava ressurreto quando apareceu no momento da transfiguração do Senhor pois isto ocorreu antes da ressurreição de Cristo.

          Acredito que o atrativo da interpretação da inconsciência da alma após a morte é o fato de ser mais simples e também pelo fato de ser mais confortadora principalmente para aqueles que tem entes queridos que morreram sem conhecer a Cristo pois desta forma eles não estariam em tormento no Hades mas sim estariam com Deus e dormindo… nada mais confortante.

          Realmente é muito confortador e creio ser este o maior atrativo até para mim mesmo. Mas se a gente for para a Bíblia não me parece que esta inconsciência seja ensinada. Isso para meu desconforto, é verdade. Mas é melhor estar desconfortado mas amparado biblicamente do que confortado mas sem este amparo.

          O que me dizem?

      • Bibotalk

        O fato de Jesus usar fatos conhecidos pelo povo não querem dizer que são verdadeiros. Afinal, o povo tbm acreditava num anjo que vinha movimentar as águas para que eles fossem curados no poço de Betânia, confere? e isso não quer dizer que a crença do povo fosse certa. Por exemplo, Clemente de Alexandria, um dos pais apostólico, se utilizou do mito da Fênix para falar da ressurreição de Cristo… entende onde quero chegar?

        Quanto a transfiguração, tenho quer dar uma olhada no texto e apocalipse tbm….

        • Estou te entendendo Bibo, o fato de Jesus usar fatos conhecidos pelo povo realmente não quer dizer que são verdadeiros, mas isto é no sentido de que não quer dizer que tenha acontecido na realidade. Entretanto, o que quero dizer é que Jesus usa coisas verossímeis em suas palavras, isto é, apesar de não ter acontecido de fato poderia ter acontecido tranquilamente . No caso do anjo de poço de Betânia, apesar de não se tratar de uma parábola, ainda assim é verossímil pois anjos existem e eles têm poderes sobrenaturais de fato, então, independente se aconteceu ou não, a possibilidade existe.

          Mas blz, estamos aqui todos juntos para aprender e, como já disse, respeito sua opinião uma vez que te admiro muito.

          • Bibotalk

            Tamu tudo junto Fernando, o importante é estar com ele depois da morte…

  • Názaro de Brito

    Fala aí galera!

    Eu tenho uma dúvida, mas é uma dúvida tão duvidosa e estranha que eu tenho dificuldade em formular o questionamento…

    Mas vamos lá: nós somos formados pelas nossas memórias, ao longo da vida tomamos uma enxurrada de conhecimento e aprendizado (conceito de tabula rasa -> referência: John Locke) e ao final dela somos o que fomos (glup). Dito isso, pergunto: após a morte teremos memória desta vida terrena?
    Se tivermos a memória desta terra e se nos lembrarmos por exemplo de um parente que amamos e não o encontrar no paraíso, como isso seria encarado pelo novo “eu celestial”?
    E se não tivermos a memória/ou o conhecimento adquirido nesta vida, como seria o link entre o “eu terreno” e o “eu celestial”?

    Abraço!

    • Alex

      Eu creio que seremos nós mesmos após a ressurreição com nossa particularidades. O termo grego do corpo ressuscitado é soma pneumatikos que contrasta com o atual corpo: soma sarkikos. O que muda é a qualidade do corpo, de sarkikos (carnal/material), para pneumatikos (espiritual). O que permanece é o soma (corpo), que engloba na presente era todo o ser (psyche[alma], sarx [corpo material], nous [razão], entre outras dimensões corporais que o NT usa).

      Excurso: por essa multiplicidade de formas de descrever a existencia humana sou contra a dicotomia/tricotomia que separa alma do corpo, se fosse assim, teriamos que separar a razão do corpo, o coração do corpo e dar existencia própria para cada uma dela. [fim do excurso]

      O corpo ressuscitado terá o mesmo EU pessoal(soma), mas não a mesma constituição física. Por outro lado, Jesus nos aponta que na eternidade não nos casaremos, isto é, as relações humanas serão em outro nível. As preocupações aqui neste mundo se voltam primeiro para a família, trabalho e afazeres pessoais. Na eternidade se voltam para glorificar a Deus. Logo, teremos consciencia do que vivemos na materialidade (presente era), porém, tal consciência não será para nós motivo de terror (onde está meu pai, minha mãe que não creram?), uma vez que minha preocupação será o louvor a Deus e não meus interesses pessoais.

      Abraços!

  • Gederson

    Bem pessoal eu devo ser o mais leigo de todos os que ja comentaram algo, mas gostaria aqui de deixar meu minha opinião. gostei muito e vou ouvir denovo pra entender um pouco mais do assunto

    • Bibotalk

      Gederson, nunca sinta-se inibido em comentar aqui, não tenha medo de perguntar e não se sinta menos, ok? todo mundo aprende aqui no blog! Forte abraço!

  • Luciano Coelho Alves

    Gosteindo tema, mesmo sabendo que a Morte morrerá (melhor parte).

    Forte abraço pessoal,

    Paz!!!

  • Felipe Gabriel Ingles Leite da Silva

    Primeiro casting que ouço, achei muito bacana e também bastante profissional o podcast. Parabéns!

  • Tendo a concordar com a ideia de q os mortos ficam em estado de inconsciência. O q me intriga, são passagens como a da transfiguração (onde Moisés e Elias aparecem) e as almas debaixo do altar (em Apocalipse).

    Abs!

  • Observação: reparem em Gn 2.17, “No dia em que dela comeres, certamente morrerás”. Parece que a morte é condicionada à desobediência do homem ou pelo menos a certeza dela. Se o homem não comesse, seria possível afirmar “possivelmente morrerás” ou “certamente não morrerás”?

    Fatality!

  • Olá a todos 🙂

    Acompanho vocês a pouco tempo mas já estou amando ouvir os podcasts, e hoje finalmente tenho um assunto pra comentar 😀

    Uma questão que eu vi neste podcast que me agrada muito conversar é sobre o pecado ser genético ou não. Percebi que vocês são unânimes em acreditarem que ele não seja. Porém em minha visão (não contestando, amo adquirir conhecimento e discuti-lo) o pecado é genético por três motivos:

    A bíblia afirma por exemplo em Êxodo 20: 5,6 que a misericórdia e justiça de Deus passa por gerações, e em outra parte da bíblia (que não me lembro, sou péssimo nisso OIHSAOIHoasihoOSA) diz que os nossos pecados afetarão os filhos de nossos filhos.

    Observe por anos as personalidades à sua volta, vejo isso desde meus 15 anos; às vezes um garoto tem as mesmas tendências ao pecado que seu avô, tio ou pai, mesmo aqueles que nunca os conheceram. Comigo mesmo já aconteceu, pois um dia encontrei um amigo de meu falecido avô que nunca conheci, e ele afirmou que minha personalidade é igual a dele. Tanto a santidade quanto o pecado seriam genéticos com isso. Além disso, Deus usava uma linhagem a partir de abraão, mostrando que ele agia com a genética, moldando pontos chave até Jesus; a partir daí a linhagem acabou por, como sabemos, não haver um filho de Jesus. ~~detalhe, não levo isso como verdade, apenas uma tese.

    A ciência não impede esta tese, pois se ainda hoje não conhecemos todo o DNA humano, como então entender que parte do gigantesco gene estaria vinculado à tendências pecaminosas? Se, ao comentário que ouvi no podcast, a ciência já teria modificado o gene pra tirar o pecado, ela também já teria modificado para exterminar qualquer tipo de doença genética, mas não o fez, pois a ciência nunca pôde (e na minha opinião, nunca poderá, não chegaremos à este ponto de estudo antes do “dia final”, “volta de cristo” ou qualquer outra visão de sua escolha).

    Enfim, vejo o pecado como algo genético pois Deus projetou este universo com a física, a matéria e todas as regras que o incluem. Não faria sentido criar ferramentas para não usá-las, não faria sentido projetar a maravilha de um armazenamento colossal em um espaço microscópico se não fosse para usá-lo. Deus age em tudo aquilo que ele criou, não é o “sobrenatural”, é o criador utilizando sua criação. ^^

    Gostaria de uma resposta da opinião de vocês, já grato pela atenção.

  • Oi Bibo.. curto muito os podcast e ouvi o milênio ontem e hoje estou ouvindo sobre a ressurreição, to com uma dúvida aki… no pod sobre o milênio vcs comentaram q já estamos no milênio e q os que morreram reinam com cristo no céu. mas no pod sobre ressurreição disseram que as pessoas que morrem dormem… e ai? entendi errado ou é isso mesmo… Abração

    • Bibotalk

      é que para os que já morreram, a ressurreição já aconteceu e eles já estão no novo céu e na nova terra, entende? Existe uma supressão do tempo/espaço após a morte.

      • Leagal, entendi… valeu!

      • Einstein disse que: quando se viaja na velocidade da luz, o tempo deixa de ser um fator pra você e tudo acontece instantaneamente. Se formos ao sol, na velocidade da luz, chegaremos lá num piscar de olhos, mas alguém que estiver nos observando fazer essa viagem perceberá que levamos, para ele, 8 minutos para chegar até lá. Os mortos, então, viajam na velocidade da luz? *mindblown*

  • Gleidistone S

    Daí a necessidade de praticar o que Dom Bosco chamou de Exercício para uma Morte Feliz: “Quando meus pés imóveis me disserem que minha carreira nesta vida está prestes a terminar… Quando minhas mãos trêmulas e insensíveis não puderem mais te segurar, oh, meu bom Crucifixo, e a contragosto eu o deixar cair sobre meu leito de sofrimento… Quando meus olhos estiverem enevoados e distraídos pelo horror da morte iminente… Quando minhas faces pálidas e cinzentas despertarem compaixão e terror nos que me virem, e meu cabelo, molhado e eriçado com o suor da morte, anunciar a proximidade do meu fim… Quando minha imaginação, agitada pelos horrendos e assustadores fantasmas, afundar em tristeza mortal… Quando eu tiver perdido o uso de todos os meus sentidos… gracioso Jesus, tem piedade de mim.”

  • Amados, para introduzir meus comentarios neste blog – “Todos nós temos vida eterna”
    Sim vida eterna no céu ou no inferno que foi preparado para o Diabo e seus anjos – “Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos. Mateus 25: 41”

    Veja mais alguns versículos base:
    Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus. (Salmos 9.17)

    . Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós. Mateus 23: 15

    . E, se a tua mão te escandalizar, corta-a; melhor é para ti entrares na vida aleijado do que, tendo duas mãos, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga, Marcos 9:43

    . E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio. Lucas 16:23

    . E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo. Mateus 10.28.

    “Deus não quer que ninguém se perca, mas que todos venham ao arrependimento” e à fé salvadora que há em Cristo Jesus ( ll Pedro 3:9 )

    Veja esse video
    http://www.youtube.com/watch?v=yT1jVMimlkA

  • Arno Henrique

    Bom dia!!! Muito obrigado pelo trabalho de vocês…

  • ויליאם בּטיסטה

    Mto bom… É o seguinte, se acordado ou dormindo, quando Ele vir estaremos para sempre com Ele … e acho que não vai rolar aquela frase “eu te disse” kkk