BTCast 018 – Desigrejados e a Comunhão dos Santos

 
Muito bem moçada, vamos a mais um BTCast, onde Bibo e Mac conversam sobre a Igreja/igreja. Não num estudo sistemático, mas sobre a importância dela enquanto instituição.
Nesse podcast saiba porque somos a favor da instituição igreja, descubra nosso segredo para aguentar o fedor e aprenda que apesar de tudo, a igreja institucional ainda é relevante.
PS – a leitura de emails ficou um pouco extensa, pois lemos os comentários do podcast anterior, sobre o sétimo mandamento. Mas vale a pena!
Siga @Bibotalk e @Mac_Mau
Dúvidas, interações, reclamações e derivados, use os comentários, vamos construir juntos!
podcast cristão/ teologia sem rodeios/ BTCast

Categorias: BTCast,Podcast

Tags: ,,,

  • Renanyosh

    Parabéns pelo cast, mais uma vez.

    Lutamos pela Igreja. Aquela de Cristo. E esta, está ficando cada vez mais bonita, revestida com a Gloria de Cristo e esperando o seu Noivo chegar para estabelecer o seu Reino.
    Concordo que muitas instituições estão perdendo a essência da Igreja, mas por isso e por estas que lutamos. Se todos os que estão doídos, machucados e maltrados pela instituição ou pelo que as pessoas da igreja fizeram com eles, NÃO AGISSEM EXIGINDO JUSTIÇA, seria a essência cristã sendo exaltada. Imaginem se Deus, se Jesus Cristo, agisse com justiça para com a gente. Seríamos certamente exterminados. Mas Deus não age com Justiça. Ele age com misericórdia. Temos muito que aprender para vivermos em unidade. Temos muito que lutar pela humanidade, pelos humanos, pelo seu irmãozinho que te machucou. Jesus, em amor e humilhação, morreu por ele tb.

    Parabéns Bibo e Mac. Feliz por vocês e pelo podcast.

    Valeu
    Renan

  • Caio Brant

    Gostei bastante do pod!
    A importância da igreja, mesmo institucionalizada, é fundamental. Mas o problema da institucionalização dela é quando a estrutura torna-se mais importante que as pessoas. E é isso o que tem me "desigrejado…
    Há anos [há uma vida] tenho em dedicado a servir, ajudar pessoas, acreditando que eu estava sendo igreja. Mas com problemas diversos surgidos ultimamente fui levado a enxergar que quem era a liderança estava levando aquilo como empresa. E essa desilusão com o modelo de organização matou meu interesse em participar de qualquer outro lugar assim.
    Quero mudar meu pensamento e voltar a uma consciência de corpo cristão, e esse pod foi uma ferramenta muito útil pra isso.
    Resumindo: não vejo o problema como a igreja institucionalizada, mas qnd esta mata a igreja corpo.
    Que Deus abençoe vcs e A Sua igreja!
    @caiobrant

  • Mateus

    Paz e Graça!!!

    Ainda não ouvi, apenas li os comentários.

    Renanyosh escreve: … Mas Deus não age com Justiça. [¿]

    Em Cristo Somente,
    Mateus

  • Luciene Pimentel

    Olá, Bibo e Mac.

    Maravilha de Podcast.

    Com todos os problemas que a igreja possa ter (e tem muitos) acredito que ainda é o melhor lugar para se estar.

    Abraço.

  • Rodrigo

    Bibo,

    Gostei muito do podcast, mas tenho uma crítica. Faltou discutir (ou talvez aprofundar, já que o assunto foi tocado bem de leve em algum momento) um elemento fundamental da Igreja, ordenado pelo próprio Senhor Jesus, que não consigo conceber numa "igreja informal": os sacramentos ou ordenanças. Fica aí a dica para, quem sabe, tratar disso num pocdast futuro.

    Sobre o texto de Mt 18:20, não é de hoje que ele tem sido usado como pretexto para os desigrejados. Cipriano de Cartago, o autor da frase de Calvino citada (“Habere jam non potest Deum patrem, qui Ecclesiam non habet matrem") já enfrentava problema parecido no século III:

    "Nem pode qualquer um deles [os cismáticos] se enganar com uma fútil interpretação, em respeito às palavras do Senhor, 'Onde quer que dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estarei eu no meio deles'. Corruptos e falsos intérpretes do Evangelho citam as últimas palavras, e deixam de lado as primeiras, lembram uma parte enquanto astutamente suprimem outra: como eles mesmos estão separados da Igreja, assim eles retiram a substância de uma seção. Pois o Senhor, quando urge unanimidade e paz em seus discípulos, diz, 'Eu vos digo, que se dois de vós concordarem na terra a respeito de qualquer coisa que pedirem, isto vos será dado pelo meu Pai que está no céu. Pois onde quer que dois ou três estiverem reunidos em meu nome, ali estarei eu no meio deles'; mostrando que mais é dado, não à multidão, mas à unanimidade daqueles que oram. 'Se', diz Ele, 'dois de vós concordarem na terra': Ele colocou a concordância primeiro; Ele fez o acordo de paz um pré-requisito; Ele ensinou que nós devemos concordar firmemente e fielmente. Mas como nós podemos concordar com alguém que não concorda com o corpo da própria Igreja, e com a irmandade universal? Como podem dois ou três se juntarem no nome de Cristo, sendo evidente que estão separados de Cristo e Seu Evangelho?"

    (http://e-cristianismo.com.br/pt/apologistas/75-da-unidade-da-igreja)

    Abraços,

    Rodrigo

    • Alliadoo

      Sabedoria de sempre, neste pod. Achei muito legal qd o Bibo falou q já foi à igreja por mero compromisso social.

      Eu relato isso numa postagem que fiz no meu blog: Sermão e pregação? Culto na igreja ou redes sociais http://twixar.com/Ih2bhT2yhWsV

      Creio que além do que foi relatado no pod, um outro problema é o nível ruim das mensagens. Mais do mesmo aonde quer que se vá e, por isso, como na web acaba se encontrando conteúdo muito mais edificante, surge sempre essa idéia e vontade de ser um adenominacional.

      Por outro lado, é como dizem por aí: a pior igreja ainda é o melhor lugar do mundo.

      Permaneçamos firmes!

  • BiboTalk

    Valeu pelo coments Rodrigo!
    Mano, se tu quiser nos ajudar e criar um texto aprofundando isso, a gente publica aqui, pq não teremos mais gravação esse ano. A que faremos é para 2012.

    Então se quiseres colaborar, será show de bola! envie para podcast@bibotalk.com

    forte abraço e obrigado pelo carinho1

  • Mateus

    Paz e Graça!!!!

    Escutei o áudio.
    Fui desigrejado por uns 6 meses (era assembleiano). Nesse período fora, aceitei os Pontos calvinistas (até então, eu era fortemente contrário). Após esse período, fui para a Igreja Presbiteriana Antioquia, e estou feliz.

    Eu creio que há eleitos fora das instituições, mas que Deus os conduzirá para uma denominação. Um cristão deve compartilhar a Palavra de Deus e os Sacramentos, para fortalecimento espiritual.

    Na minha opinião (diferente do Bibo no podcast), eu vejo as Igrejas Pentecostais (1ª onda, 2ª onda, neo) com uma teologia muito mais próximo da doutrina de Charles Finney (pelagianismo) do que da Reforma Protestante. Apenas uma coisa ou outra da Reforma é aceita; a maioria provém de "revelações", fora das Escrituras.

    No podcast, não falou do G-12. Sou contra. Sobre isso, espero comentário de vocês.

    Em Cristo Somente!

  • Claudio Fraga

    Olá Manos Bibo e Mac,

    realmente não vejo como pessoas não congregarem na igreja organizada como instituição, sei que muitos podem se sentir machucados por acontecimentos por acontecimentos em suas denominações/instituições, contudo não podemos tirar os olhos de Deus e de Jesus devemos seguir em frente, o comentário do Alex é muito bom "não pensem que a Igreja é um pedaço do céu na terra", pois todos somos falhos, cometemos erros e temos nossas limitações mas devemos saber que cada um tem sua parte no corpo de Cristo e não devemos esquecer que Ele e a cabeça, ocorre que muitos lideres pensam que são a cabeça e machucam muitos irmãos. O programa foi muito bom pois me fez refletir sobre um tema que não tinha parado para pensar. Vamos viver em comunhão e cada um fazer sua parte no corpo, no mais para os desingrejados deixo a seguinte reflexão para mudarmos o que quer que seja devemos estar integrados no sistema e se a Igreja do Século XXI tem problemas devemos estar em comunhão e questionar como bons Bereanos de acordo com a palavra de Deus!!!
    Abraços Claudio @claudiofraga74

  • Rodrigo

    Bibo,

    Ultimamente, não tenho tempo nem cacife teológico para fazer um texto sobre a questão. Eu inclusive sugeri o tema dos sacramentos por ser uma área na qual tenho dúvidas e que, por ser polêmica, certamente renderia uma boa discussão.

    Agora, o que eu posso te mandar são alguns textos que traduzi da Internet. Caso vc se interesse, te mando um e-mail com mais detalhes a respeito.

    Abração!

  • MAC

    Sapão,

    Muito bom você ter lembrando das pessoas que são "pastoreadas" via TV.
    Se um dia fizermos um segundo BTCast sobre o assunto abordaremos essas questões levantadas por vocês 🙂

    Quanto à variedade de denominações, em suma, acho positivo.
    Particularmente eu não creio que seja um sinal do fim dos tempos, rsrs. Penso que um dos fatores que causam tal diversidade é o fato de que o Evangelho é transcultural. Ou seja, salvaguardando as doutrinas fundamentais da fé cristã, o mesmo permite contextualizações, e aí, sem dúvida, irão surgir denominações diferentes.
    Agora, um ponto negativo é que algumas vezes novas igrejas surgem por conta de rachas, estes causados por picuinhas entre lideranças. Deus até pode abençoar denominações nascidas nessas circunstâncias, mas não tenho dúvida que não é da vontade dEle que assim aconteça.

    Abração amigão!

  • christendoom

    Ei galera super abençoada!
    Já acompanho vcs a algum tempo, e sem dúvida esse foi o podcast q mais mecheu comigo.. Exatamente nesse momento estou c muitos conflitos dentro da minha igreja, e não vou mentir passou pela minha cabeça em "chutar" o balde diversas vezes… mas as colocações de vcs me ajudaram a rever meu ponto de vista… e cheguei a conclusão de q o q falta nagente mtas vezes é apenas "BOM SENSO". E tb humildade… Ficar na igreja é sim mto importante, pq como vamos ser agentes de mudança fora dela? Valeu ms, obrigado por td… e continuem firme nesse trabalho. SHOW!

    Anderson Corrêa
    Divinópolis, MG

  • Thiago Ibrahim

    Senhores, parabéns pelo pod!

    Entendo que esse assunto deveria ser mais discutido dentro da igreja por suas lideranças, porém, o que ocorre – e isso favorece a debandada das igrejas – é que os líderes se colocam como donos da verdade e não aceitam questionamento. Isso faz com que haja pessoas frustradas com as instituições e que prefiram abandonar a igreja (instituição). Eu mesmo passei por isso, já que a igreja que frequentava não dava espeço para o pensamento cristão e para teologia, porém entendo muito bem o papel e a importância de congregar e hoje congrego em outra igreja.

    Creio que o segredo para que isso não aconteça é trabalhar pelo Reino para que Deus transforme a realidade de acordo com Sua vontade. Falo por mim com o meu blog, já que um dos meus objetivos foi expor o que não podia (posso) falar na igreja por falta de espaço. A ideia é provocar a reflexão. E tenho recebido um retorno muito bom lá na igreja, com pessoas que dizem "sabe que nunca tinha pensado nisso?!".

    O que achei mais engraçado foi o Bibo falando que dizem "como você pode ser tão inteligente e continuar na AD?". Hahaha!

    A grande questão é nutrir em nós o mesmo espírito que Lutero e trabalharmos em nossas congreções trabalhando para um cristianismo bíblico e coerente, mesmo que sejamos chamados de endemoninhados e hereges.

    Thiago @NoBarquinho

  • Pedro Angella / No Barquinho

    Fala discípulos… Ehr… Hehehe, brincadeira!!

    Bibo e Mac(hintosh?), o podcast ficou ótimo!

    Foi muito esclarecedor, e, particularmente, muito reconfortante.
    Este ano passei por muitas lutas na igreja local que congregava, por conta das atitudes que o conselho da igreja estava tomando em relação ao pastor, deliberando as decisões conforme sua (do conselho) própria vontade.
    Cheguei a me reunir com o conselho, após enviar uma carta e colocando minhas ideias. E chegaram a me sugerir que eu estaria "bem" diante de Deus sendo submisso ao conselho (pq estaria em obediencia a eles), mesmo eles estando errados no que estivessem fazendo.
    A história é muito mais longa, muita politicagem envolvida, enfim… Ah, o que relatei aconteceu numa igreja de tradição reformada, tá?
    Sempre fui muito participativo onde congreguei, e por vários momentos pensei em migrar para os "sem igreja". Nenhuma igreja é perfeita mesmo, não é?
    Mas nisso tudo, como a igreja pode mudar, se os que estão vendo esses erros saem dela?
    Hoje, congrego novamente, não mais naquela igreja, mas tenho muito mais claro em minha mente e no meu coração o motivo de estar lá, e estou mais preparado em defender a igreja de Cristo, e lutar pelo que é certo.

    Abraços, e esperamos vocês no barquinho! Hehe!

    Pedro.

  • BiboTalk

    Valeu galera do Barquinho, vamos remar juntos ano que vem!

    e poxa, legal a experiência de vcs!

  • MAC

    Aê srs. Ibrahim e Angella,

    Olha aí, estou percebendo que quase todo mundo tem uma história pra contar quanto à igreja em que congregam. O bom disso tudo é quando vemos o pessoal contornando a situação de maneira honesta e sensata.

    Thanks pela visita caros barqueiros 🙂

  • Alexfábio Silva

    Olá caros Bibo e Mac.

    Gostei muito do podcast. Como membro de uma igreja instituciona (sou assembleiano, espero ser da linha dos inteligentes ^__^ ), por várias vezes tive que conversar com pessoas inconformadas com o "sistema" e dispostas a abandonar o barquinho.

    Nas minhas experiências eu conheci um tipo de incorformado não mencionado no cast, eu o chamo de O PROFETÃO. Esse é aquela figura que acredita ter um grande chamado e se sente perseguido pela liderança da igreja. O desejo pelo cargo faz ele criar um "fã clube" que lhe segue para fora da instituição. Infelizmente eu já ví isso acontecer mais de uma vez, principalmente com joveens.

    Na grande maioria dos casos eu tive que lidar com pessoas que não se enquadravam á instituição. O meu conselho definitivo é: Não tá feliz? Procura uma igreja que te complete! Ter você no corpo de Cristo é mais importante do que ter você na Assembleia de Deus. Algumas ficaram (e são felizes), alguns foram para outras igrejas (e estão felizes), e alguns provaram que só estavam procurando um pretexto para "desviar".

    Falando nisso, há muitos desigrejados que são mais sinceros na fé do que alguns cristãos "carolas", porém "desviados". É uma triste realidade a de que muitos dos frequentadores dos nossos cultos estão desviados dentro da igreja. Eles não se afastam por que gostam do convívio social criado na instituição.

    Eita, já falei muito. Para encerrar: Eu posso até aceitar que alguns grupos de pessoas possam viver uma vida sincera de adoração a Deus fora da igreja, agora, afirmar que a instituição eclesiástica é algo ultrapassado e distante da vontade de Deus já é distorcer a realidade.

    Que Deus continue abençoando a todos aqueles unidos em Cristo!

  • Dirley Santos

    Bibo e Mac, parabéns pelo trabalho, estou postando aqui bem rápido. Tenho acompanhado os últimos podcast de vcs e tenho percebido a evolução do trabalho q vcs estão tendo, qualquer coisa pode contar comigo, por ofertas e oração… já tem meu apoio. Nem pensem em parar pelo amor de Deus…rsrs. Amo teologia tenho esta formação, e a Obra de Deus tem que ser Edificada em nosso meio, e vejo em vocês um coração voltado para Cristo e sua Palavra.

  • BiboTalk

    Dirley,

    muito obrigado pelo carinho e apoio!

    forte abraço!

  • Cristao Peregrino

    hebreus 10: 25 na ACF, ARA,ARC,NTLH E NVI

    25 Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.
    25 Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.
    25 não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns; antes, admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais quanto vedes que se vai aproximando aquele Dia.
    25 Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês vêem que o dia está chegando.
    25 Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas encorajemo-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia.

  • Luciana

    Bibo, acho q esse é o teu MELHOR podcast!
    Vc e o Mac conseguiram falar de modo plausível e argumentativo, sem achismos, e baseados na palavra de DEUS.
    PARABÉNS! (gol do barcelona!)

  • Robson,Shirlei e Felipe

    faltou conteudo e defesa de um "desingrejado".gostaria de participar de um podcast sobre o tema.meu blog.
    irmaosEMindaial.blogspot.com

  • BiboTalk

    Robson,
    isso é justo, temos uma agenda de gravação. Vamos tentar conciliar.

    abraço

  • BiboTalk

    valeu Luciana, divulgue a gente entre seu amigos…se tiver inimigos, tbm hehehe

    forte abraço

  • Júnior Rubira

    Gostei muito do vosso trabalho, mas esperava mais em uma abordagem sobre este tema, infelizmente foi a passada a mesma visão esteriotipada do chamado "desigrejado".

    Mas curti muito o trabalho e também o Pod com o Clóvis, sou um admirador do trabalho dele na blogosfera.

    Enfim, espero mais podcasts!

    Abraço!

    Júnior Rubira.

  • Júnior Rubira

    Manos, não entendam que não gostei ou que isto foi uma crítica construtiva, apenas penso que foi passada apenas a visão de quem está "dentro" e não de quem está "fora", ou pelo menos pensando e partir para fora do "sistema".

    Gostei muito do vosso trabalho, junto com o Pod do Crentassos e dos Irmãos.com para mim vocês estão entre os tops.

    Abração!

  • BiboTalk

    Mano Júnior…
    as vezes as palavras são frias…hehe, não levei a mal teu comentário, entendi que tu falou de boa, assim como eu falei de boa, vamos imaginar essa conversa como se estivéssemos numa lanchonete batendo um papo….
    como eu disse, temos nossas limitações mesmo, inclusive intelectuais, e muitas vezes, em nossos pods, reproduzimos a tradição cristã, até mesmo o fundamentalismo em alguns pontos, por isso nossa dificuldade de pensar fora da caixa, por assim dizer…

    mas de boa mano, valeu mesmo pelo carinho!

  • Júnior Rubira

    Ah, que bom, fiquei mais aliviado, não quero que levem a mal mesmo.

    Como você disse, as palavras na net nem sempre expressam o sentimento e a intenção que carregam, tornando-se frias palavras que podem chatear.

    Se vocês se chatearam, peço perdão, não foi mesmo meu propósito.

    Abração.

  • Carlos

    Me pareceu um podcast de capitalistas falando mal de comunistas ou coisa assim. O bom princípio do jornalismo ( o que não é o caso) diz que você deve ouvir os dois lados. Os outros temas são muito bons.

    PS: Não sou “desigrejado”.

    • Bibotalk

      Carlos, até pensamos em abrir espaço numa gravação, mas as agendas não bateram, se o pessoal “do outro lado” quiser fazer um podcast, a gente publica, desde que bem editado e tudo mais… e tem os comentários também, é um meio de “se defender”, não tem censura!

  • navarro

    pessoal tipo assim, eu praticamente fui criado em berço evangelico na igreja batista, mais com o passar dos anos fui “acordando” aos poucos, e hoje ja há alguns anos faço parte do movimento “caminho da graça”, que é um movimento cristao nao religios.

    é um lugar que pode ser qualquer lugar onde pessoas se encontram pra ter comunhao por causa do evangelho somente, sem complicações, detrerminações humanas, estatutos.

    prefiro essa caminhada mais leve, porem nao sou contra as instituições, mais cada deve ter cuidado para que as instituiçoes nao institucionalizem a nossa fé.

  • Názaro de Brito

    E aí pessoal!

    Faço questão de vir aqui e dar a minha opinião a respeito do tema. Fiz parte de uma igreja desde um ano de idade até os 23, em 2007 eu me desliguei dela e hoje acho que posso ser chamado de “desigrejado”; até pouco tempo eu não conhecia essa nomenclatura, não sabia q a minha condição atual tinha nome rsrs. Por pressões familiares e de amigos, resolvi buscar uma institucionalizada e passei o ano de 2011 e uma parte de 2012 filiado a uma igreja. Novamente hoje estou “desigrejado”.

    Toda vez que alguém tenta tratar do assunto “filiação a uma instituição chamada igreja” nunca encontra base teológica convencível (pelo menos pra mim) para tal, tampouco os desigrejados encontram base bíblica para se explicar, nem precisariam.

    Como bem dito pelo Bibo, em algum momento do pod, a condição de estar filiado a uma instituição não é mérito para a salvação o que me leva a crer que não estar filiado não é mérito para a condenação, logo vê-se que isso não é uma questão salvífica, e sim uma questão antropo-sociológica, não vou entrar no mérito, mas seria algo como que se professamos uma fé, deveríamos buscar iguais *** para que o nosso ideal seja o mais enraizado possível. Vemos que se eu não estou me prostituindo, não no sentido sexual da palavra, com outras “fés” e estou me relacionando com pessoas que tenham a mesma fé, seja fisicamente ou interneticamente, qual a necessidade real da filiação a uma igreja institucionalizada? A liturgia é realmente necessária na vida do cristão?

    *** Aqui faço um adendo com o que o Alex falou sobre a falta de comunhão: cara, mesmo desigrejado não sofro com os pontos que vc levantou, continuo tendo amigos cristãos que estarão sempre dispostos a me ouvir, minha família e principalmente minha esposa que se tornou a minha igreja.

    Pra deixar bem claro, não sou um anti-instituição-igreja, se algum dia eu encontrar uma família que me acolha e me faça sentir bem eu voltarei a frequentar sem nenhum problema; o que gostaria de expor é o pensamento de um cidadão do céu que não sai todos os domingos a noite de casa.

    Abração!!!

  • Rodrigo da Luz

    Olá piazada!
    Como o bibo disse quem nunca pensou em trocar de igreja?
    Não concordo com muitas coisas dentro da instituição a qual pertenço!
    Só que como Lutero fez é o que venho tentando fazer, vou tentar reformar, se der certo eles vão me calar de alguma forma ou vão me convidar a me retirar! hehehe
    Paz de Cristo!
    Rodrigo da Luz
    Ad-Porto Alegre – RS

  • Ouvi o podcast sobre desigrejados e no momento me considero um “desigrejado-sem igreja institucionalizada”.
    Concordo com certos pontos mas, dizer que uma reunião com outros irmãos(desigrejados) é um clube, isso pode ser aplicado à igreja institucionalizada! Boa parte(maioria) das instituições usam métodos como: shows, eventos, teatros e tudo quanto é coisa para atrair pessoas! Isso não é um tipo de clube social? Não vou contra essas coisas, mas esses estão sendo os meios mais utilizados(principais) para atrair e para manter as pessoas nas igrejas!
    Outro ponto que não concordo também é que mesmo não concordando com certos pontos teológicos, mesmo assim devo continuar nela(igreja institucionalizada)! Então eu devo aceitar a visão da liderança e me submeter a ela mesmo não concordando com pontos teológicos? Ah.. mas vão dizer que também não concordam com tudo mas estão ali! Certo, tem certas coisas que é possível aceitar sem muitos transtornos mas, quando a palavra é usada de forma errada para de alguma forma colocar medo ou impor alguma coisa, isso ao meu ver não tem cabimento aceitar e continuar onde está ou fingir que não está acontecendo!!

    A questão de ter um tipo de organização isso é obvio, até uma igreja que se reúne em casas tem um mínimo de organização! Mas organização é diferente de hierarquias/lideranças/liturgias, etc.. ! Agora porque um grupo se organiza de certo modo, não quer dizer que ele é institucionalizado no sentido das igrejas atuais! Hoje instituição tem cnpj, tem uma estrutura hierárquica muito diferente da igreja do primeiro século e essa estrutura hierárquica é só ver a história de Constantino que ficará claro onde isso começou! Bem como a questão de templos!
    Hoje a questão de liderança é bem diferente da igreja primitiva! Porque hoje é o pastor que deve ser o ponto principal dentro da igreja como líder único e mensageiro da palavra? Pastor, mestre, evangelista eram dons e não cargos ou títulos! Essa questão de se ter um único líder começou com Inácio de Antioquia(35-107 d.C), que segundo ele o Bispo teria a última palavra e deveria ser prontamente obedecido. Considere os seguintes extratos de suas cartas: “Todos vocês sigam o Bispo como Jesus Cristo segue o Pai… Ninguém fará qualquer negócio da igreja sem o Bispo… Onde o Bispo estiver ali deve estar o povo… Vocês nunca devem atuar independentemente do Bispo e do clero. Olhem seu Bispo como um tipo de Pai… Tudo o que ele aprova, agrada a Deus…”!
    Bispo, ancião, eram ajudadores e não uma liderança única que tem a visão onde todos os outros devem ser pessoas passivas apenas a espera da próxima palavra ou instrução! A igreja, eram pessoas que podiam opinar, debater, questionar, propor idéias, usar seus dons, pregar, ensinar, etc…
    Claro, vão falar que as igrejas hoje são assim, se pode debater, se pode questionar, mas, eu estive nos últimos 8 anos em duas denominações e isso não se via! Quando se tentava questionar automaticamente era abafado! Principalmente a primeira, a segunda era mais tranquila!
    Queria ver se hoje alguém fizesse o que Paulo fez com Pedro exortando-o na frente dos irmãos, o que iria acontecer! Provavelmente entraria em disciplina ou seria chamado de herege ou coisa parecida! Porque? Porque uma liderança ser questionada ou exortada é coisa inaceitável!!

    A questão de não ter a oportunidade para exortar e ser exortado dentro de uma igreja caseira também discordo!
    Vou colocar uma situação que aconteceu!
    Eu, meu pai, minha esposa e as vezes um ou outro amigo, nos reunimos e conversamos sobre a bíblia, sobre como levar o evangelho a outras pessoas e ajudá-las, etc…
    Algumas vezes discutindo certos assuntos ou situações que aconteceram, o meu pai chegou e me colocou na linha, apontando que não era daquela forma me mostrando segundo a palavra qual o procedimento certo que eu deveria tomar!
    Isso não foi uma exortação? E ele(meu pai) me exortou! Ou seja dentro de uma reunião caseira, tem sim a possibilidade de um exortar o outro e receber uma palavra de estímulo, de auxílio, etc..!

    Fiquem com Deus!

  • Paz gente boa!

    Gosto muito do trabalho de vocês, mas realmente tenho que concordar que esse podcast ficou bem parcial. Eu participo de uma denominação “institucionalizada”, mas conheço pessoas que não participam e elas não se parecem com o esteriótipo “desigrejado” que vocês passaram com esse post.

    Acho que tem a ver com aquela coisa que o Bibo falou de que ele tem o direito de reclamar da “igreja institucionalizada” porque ele milita em uma. Dentro desse ponto de vista, seria mais interessante ouvir a opinião de alguém que “milita” fora da instituição.

    Como esse post já tem mais de dois anos, talvez isso já aconteceu (me informem), mas, se ainda não aconteceu, gostaria de sugerir um post com a opinião do “outro lado da força”.

    Abraço para vocês e obrigado por esse trabalho abençoado!

  • De onde tiraram a ideia de que os perseguidos, principalmente os que vivem no oriente, como China, Coreia do Norte; prefeririam estar em uma igreja organizada?

  • alex navarro

    parabéns pelo trabalho de vocês, na minha opinião muito melhor do que os outros podcast apesar re não ouvir muitos variados não.
    eis a minha opinião sobre esse assunto.
    ponto 1 – tenho a impressão de que se vocês pudessem voltariam no tempo adicionariam a santíssima trindade a “igreja” como sendo “Deus igreja”.
    ponto 2 – ninguém deixa de ser igreja por estar fora da “igreja”(entendam o significado das aspas e quando não uso aspas)
    ponto 3 – vocês ignoram o fato de que existem pessoas do evangelho vivendo numa santa ignorância dadas as palavras de joão dizendo que quem ama é de Deus e quem não ama não é de Deus, simples assim.e isso nada tem a ver com a informação do evangelho, mais tem tudo a ver com o Amor que é a encarnação do evangelho, ainda que quem o pratique nem saiba da sua profundidade e de seu profundo significado.
    ponto 4 – eu dou graças a Deus que no julgamento ser “evangélico” ou “cristão” pouco vai importar no critério de Jesus, mais sim o amor que foi ou não colocado em prática, para entender isso de forma clara basta ler mateus 25 e também o capítulo 7 versos 21, 22 e 23, é tão claro que é absurda a necessidade de explicar tais textos, a simples leitura é auto explicativa.

    obrigado pela paciência de vocês ao ler meu comentário, e peço desculpas caso vocês a interpretem de uma forma ofensiva o que não é o caso. de todo modo admiro o trabalho de vocês, fiquem com Deus.

  • Leandro B. Sabino

    Olá, amigos! Parabéns pelo material. É edificante e importante para a vida espiritual das pessoas. Pelo menos para a minha vida e para o meu casamento está sendo.

    Sobre os “desigrejados”:
    Eu faço parte da Igreja Evangélica Livre de Timbó-SC. E amo a igreja. Porém tem pessoas que eu amo muito que não fazem parte de nenhuma igreja, mas se reúnem em locais para compartilhar da Palavra e evangelizar as pessoas.

    E é por isso que eu tenho só algumas críticas. E espero que vocês não fiquem chateados, mas entendam como um alerta à forma com a qual vocês abordam os assuntos.
    Vamos lá:
    – Não acho legal chamar essas reuniões de “clube”. Essas pessoas que eu conheço evangelizam, ganham vidas para o Senhor, são testemunhos, etc. Por isso merecem respeito, bem como toda e qualquer pessoa.
    – Vocês trataram os “desigrejados” com ironia. E, por isso, penso eu, faltaram com o amor.

    Seria isso.
    Um forte abraço a todos e que Deus os abençoe.

  • Amo os Podcasts, sempre ouço, voltando neste para dar à uma amiga cujo marido não quer mais ir à igreja, mas poxa, muito tempo de leitura de email :/ mais de 20 min.. Daí o ouvinte fica muito ansioso para ir direto ao assunto..

    No mais, Deus abençoe, o BtCast tem edificado vidas e feito pessoas criarem raízes!

    Abraços!

  • Esta coisa de querer viver fora do corpo é complicado. Legal saber que o Bibo se manteve na AD mesmo com tantas divergências. Não foi o meu caso mas me fez repensar muitos conceitos. Segue a Maratona. Grande abraço.

  • Victor

    Gostei do debate sobre desigrejados, até porque vive algo parecido, pois me mudo com muita frequência de cidade e já vivenciei a experiência de ficar fora da igreja e é realmente angustiante, se você precisa da comunhão com outros santos, como é de se esperar de um cristão. Mas vocês mudaram o foco de uma hora para outra e passaram a falar de igrejas caseiras, e percebi o desconhecimento por parte de vocês de igrejas mais simples, é claro, em parte pela correria do fina do ano, acredito eu. Já vivi numa igreja assim e ela tem peculiaridades bem diferentes do que conhecemos, porém é quase que totalmente o contrário do que vocês falaram a respeito, provavelmente fruto da desconhecimento de qualquer igreja do tipo ou por meio de outras fontes. Todos os versículos ditos, inclusive atos 6, se aplicam à igrejas caseiras simples do mesmo modo que numa igreja tradicional. É uma igreja organizada no sentido de se possuir alguém que controle as finanças, de liderança, de planejamento, mas os aspectos de comunhão, relacionamento e discipulado não tem igual à “igreja do templo”. As pessoas vivem juntas, como família e são realmente tratadas a fundo, o discipulado é enfatizado. Iria sugerir, caso queiram resgatar alguns equívocos ditos, entrar em contato com pessoas que congregam assim, como alguns do pessoal do “A Toca”. E se uma igreja assim cresce, simplesmente se multiplica em outra casa. Não se faz necessidade de se procurar um “templo”, caso cresça demais. Mas de modo algum, são “desigrejados”, como vocês descreveram, apenas por não se reunírem em um modo que é convencional e mais conhecido no Ocidente. Mesmo assim, gostei da conversa. Estamos aqui para crescer. Continuemos!

  • Cristiano Almeida

    Esse é um tema no qual constantemente estou refletindo. Penso que o ideal é a pessoa congregar junto aos irmãos numa igreja institucional, mas apesar de ser o ideal não é a única opção. Digo sempre que a pessoa pode até ser salva sem fazer parte de uma igreja, mas não tem nenhuma chance de ser salva sem fazer parte da Igreja (detalhe na letra I).

    Já sofri bastante por conviver com um cristianismo falho, ora pautado por demandas extremistas, ora pautado por falta de comprometimento. Confesso que isso causa um cansaço. Mas Deus é misericordioso e com o tempo restaura os corações.

    Porém um assunto que ainda quero refletir a fundo é: em que ponto as desavenças de fé e prática cristãs obrigam uma pessoa a abandonar uma determinada igreja? Fica como sugestão para um novo episódio.

    Abraço.