Videopost 001 – Três dias e três noites?

Muito bem, moçada, mais uma atração em vídeo pra vocês, além do #BTVlog, agora tem o #Videopost, com uma proposta um pouco diferente, sem muitas edições e firulas.

Nesse primeiro episódio Bibo e Milho conversam sobre como entender os três e dias e três noites da morte e ressurreição de Jesus, se tudo aconteceu numa sexta a final da tarde e ele ressuscitou num domingo pela manhã.

Aperte o play, curta o vídeo e assine nosso canal!

Categorias: BTVlog,Vídeos

Tags: ,,,,,,,,,,,

  • Wagner Santos

    Cara, muito clara a explicação… O vídeo ficou bacana… e objetivo.

    Um abraço a todos!

  • Marilene Oliveira

    Muito legal! Vocês estão cada vez mais criativos! Que Deus continue abençoando vocês e fazendo com que suas mensagens cheguem a muitas pessoas. Feliz Páscoa!

  • Guilherme Rodrigues

    Pessoal, show show bola essa nova opção mais compacta, informação sucinta, enfim… SENSACIONAL!

  • Glória Hefzibá

    Pessoal, mas a hora não era contada a partir do amanhecer? Não é por isso que Marcos fala que Jesus morreu à hora nona (3 da tarde, contando a partir das 6 da manhã), e Lucas diz que o momento de oração era também à hora nona, em Atos?

    Ou essa era a contagem de Roma, mas quando os evangelhos falam do sinal de Jonas, usa-se a contagem judaica?

    • Glória, existia essa contagem de horas sim, você tem razão. Mas, para fins de contagem em dias, e não as horas do dia, não importava muito se fossem as 24 horas do dia ou apenas alguns minutos.

      • Glória Hefzibá

        Ótimo, entendi 🙂

  • Marcos Paulo Morale

    Muito bacana, muuuuuuito legal!!!

  • Excelente abordagem sobre o assunto, sempre fiquei com uma “pulga atrás da orelha” sobre isso. Enquanto que a frase “ressuscitou ao terceiro dia” sempre me pareceu associada corretamente ao evento, o “3 dias e 3 noites” era um problema pra mim.
    Realmente, não imaginava que a noite do domingo contava também, e se era essa a contagem – maluca – dos judeus, então té explicado.
    Valeu, galera!

  • Guilherme D.

    Eu ouvi uma explicação legal sobre esses três dias hoje (assistindo a uma pregação), só não sei dizer se corresponde mesmo à verdade. Estou procurando aqui no “Comentário Judaico do Novo Testamento” (do David. H. Stern) e nas minhas enciclopédias bíblicas, mas até agora não encontrei nada. Ouvi que os judeus consideravam como sabbath (dia de repouso) não somente o sábado (dia da semana), mas também os dias das festividades. Esses “sábados” eram conhecidos como “sábados especiais”. No caso da páscoa, ela era comemorada (de acordo com Levítico 23:5) a partir do entardecer do décimo quarto dia do primeiro mês (mês de Nisan), sendo que os judeus não realizavam trabalho nesse dia. Esse dia podia cair em qualquer dia da semana ou coincidir com o sábado semanal. Pois bem, tendo isso em consideração, Jesus teria morrido na véspera de um sábado especial (páscoa), o que se apoiaria na declaração de João 19:31 (“…e o dia seguinte seria um sábado especialmente sagrado…”). De acordo com o que ouvi, Jesus teria morrido numa quarta-feira à hora nona (Marcos 15), sido sepultado ao anoitecer (primeira noite), passou o sábado de páscoa (segunda noite) – quinta feira – e a sexta-feira morto (o que contabiliza já 2 dias e 3 noites). Jesus teria ressuscitado no término do sábado semanal, totalizando 3 dias e 3 noites. Assim, no domingo, quando as mulheres foram ao sepulcro, elas o encontraram vazio. Repito, não sei se essa teoria corresponde à realidade, mas achei bacana o raciocínio.