BTVlog 006 – O sagrado e o profano

Muito bem, muito bem, muito bem!

Começa agora o #BTVlog, o videocast mais teológico da web (ou não).
Nesse programa Bibo, Mac e Milho conversam sobre a linha (se é que ela existe) que divide o sagrado e o profano na vida do cristão. Confira!

VÍDEO QUE O SAPÃO FEZ COM O MARLON SOBRE O SAGRADO E O PROFANO

VISITE NOSSO SITE
http://bibotalk.com.br/

ADQUIRA O MOSAICO TEOLÓGICO
http://mosaicoteologico.com.br/

DÚVIDAS SOBRE COMO ADQUIRIR O MOSAICO TEOLÓGICO, MANDE E-MAIL PARA
btbooks@bibotalk.com

ASSINE O CANAL DO BIBOTALK NO YOUTUBE
http://www.youtube.com/bibotalkvlog

SIGA O BIBOTALK NAS REDES SOCIAIS
http://www.facebook.com/bibotalk
http://twitter.com/bibotalk

TWITTER DOS INTEGRANTES
https://twitter.com/bibobtcast
https://twitter.com/mac_mau
https://twitter.com/stahlhoefer
https://twitter.com/milhoranza

ILUSTRAÇÕES
JP – http://www.behance.net/JuniorPeres

EDIÇÃO
Mac

Categorias: BTVlog,Vídeos

Tags: ,

  • Fernando Rodrigues

    Estou estudando a carta de 1Cor, o tema da liberdade cristã é muito interessante, o seu conhecimento te liberta e a mesmo tempo te aprisiona. Balancear tudo em amor. Um tema muito atual.
    Parabéns pessoal.

  • Ramon Prietos

    Pessoal parabéns muito bom esse btvolg particularmente tirou dúvidas minhas já bastantes antigas em especial com relação ao escandalizar e com relação ao como o cristão “fraco” aprenderia com ser forte se a forte deve meio que sujeitar ao “fraco”.

    Muito bom mesmo, que Deus continue a abençoar vocês.

  • Antônio Carlos

    Quando tenho que responder a perguntas do tipo, posso ou não posso fazer tal e tal coisa? Eu costumo usar as palavras do apóstolo Paulo em 1Co. 10;23 “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém. Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas edificam.” Ou seja, para me o problema não residi em que eu posso ou não fazer, mas em o que me convém e o que me edifica.

  • Lucas Belloto

    Excelente conteúdo, relevantes como sempre, a edição do vídeo ficou muito boa!! profissional mesmo, o Bibo é que tem que aprender a gesticular menos ( brincadeira ) é que por vezes deu pra ver que o chapéu dele ficava passava por trás do layer da imagem do Milho… mas MAC, é culpa do Bibo…hahahah
    Brincadeiras à parte, sensacional o conteúdo.

    abraços e #ForçaBibo

    • Bibotalk

      Semana que vem o Alex vai mandar pra vcs aí de fora, mano. Abraços!

  • Pedro Gabriel

    Estava até falando ontem sobre isso com minha esposa, sobre essas passagens de Paulo e sobre bebida(citei até Deuteronômio 14:26). Realmente, temos que ter muito cuidado com nossos irmãos, principalmente aqueles que ouvem qualquer coisa do púlpito e tomam como verdades absolutas, para que não os façamos tropeçar, mas sim, tentarmos aumentar sua fé e seu conhecimento.
    Parabéns pelo blog, os vídeos e podcasts tem me ajudado muito em minha caminhada cristã.
    Fiquem na Paz do Senhor.

  • Samuel Paiva

    Milho. Gostei muito da nova visão sobre escândalo, mas honestamente só acho que no exemplo que você deu, sobre o irmão que cai pelo incentivo do “mais forte” a culpa é dos dois, cada qual pelo motivo que lhe cabe. O irmão mais maduro por que fez o outro pecar, o menos maduro por que cedeu à tentação mesmo sendo contrária à sua consciência. Mas foi muito bacana! Abraços.

  • Fernando Pinheiro

    Shallom!

    Milhô, gostei da tua definição de escândalo, entretanto acredito, também, que, o fato do irmão de consciência fraca se escandalizar, signifique o mesmo ficar ofendido e vir a murmurar, falar mal do que possua maturidade, constituindo assim em pecados como fofocas, dissenções etc

  • Olá Samuel e Fernando, muito obrigado pela audiência no canal.

    A definição de escândalo que eu citei está baseada na origem da palavra grega skandalon que significa causar um tropeço.

    Por isso, fiz a distinção entre assustar e efetivamente empurrar o irmão. Nós não somos responsáveis por aquilo que nosso irmão se assusta com o que nós fazemos. Somos responsáveis se nós não o empurramos para tropeçar.

    Isso tem uma diferença enorme na maneira como vamos viver nossa vida cristã. Cada um tem o seu nível de “assustamento”, e nós não podemos viver tentando não assustar ninguém, pois não sabemos como cada um reage e morreríamos loucos tentando não assustar ninguém nunca.

    Agora, se eu empurro alguém para cair, isso não depende mais das características da pessoa como no caso do susto, pois é uma ação que partiu de mim e não uma reação que a pessoa assustada teve.

    Percebe a diferença? O susto é uma reação de alguém, e nós não somos responsáveis por reações de terceiros. Já o empurrão é uma ação nossa, e nós somos responsáveis por nossas ações. Isso inclusive tem respaldo de outras doutrinas bíblicas, ao contrário do susto.

    Logo, o problema nunca são os outros, mas nos mesmos.

    É aí que reside a chave da vida cristã.