Rascunhos sobre liderança cristã

São fragmentos que escrevi há tempos para um informativo da igreja para líderes de jovens…
————————–
Ser Servo.
Ser líder é ser servo! Essa é uma verdade pouco praticada em nossos dias, pois muitas vezes, confunde-se liderança com autoritarismo, acham que liderar é mandar, delegar, mas a Bíblia nos ensina a partir de Jesus Cristo, que o verdadeiro líder é “aquele que lava os pés de seus liderados” (Jo 13.12). Jesus mesmo sendo o mestre, o messias, dá uma bela lição não só aos discípulos de sua época, mas fala a nós hoje de maneira clara. O líder não é melhor do que seus liderados. Quando se tem essa consciência, o que vemos é uma equipe forte e coesa, pois ninguém quer ser melhor do que ninguém, todos querem ver o crescimento do reino de Deus. Quando o líder é narcisista, ele quer que todos saibam que é ele quem manda, que ele é “o bom”. Esse tipo de líder não sabe o que é ter autoridade divina, pois autoridade divina não se conquista com “cara feia” ou “voz grossa”, mas com humildade, oração e serviço. Que possamos ser líderes exemplares na humildade e no amor, sabedores que também somos dependentes para achar esse caminho. Que possamos colocar a “mão na massa” e junto com nossos liderados, construir uma mocidade melhor!
——–
Alegria em servir!

Devo cumprir meu chamado com alegria, caso contrário ele se torna um castigo de Deus (Brakemeier). Normalmente o que acontece é a empolgação no início, o cansaço no meio e o desânimo no final, isso é uma realidade, mas não é a palavra final, pois
se cremos que Deus nos chamou, devemos crer que Ele nos sustenta e nos revigora. Não podemos negar que lidar com jovens é complicado, mas se tivermos sempre em mente de que fazemos a obra de Deus, isso com certeza facilitará o serviço, pois Deus cuida de sua obra. Nosso papel é buscar em Deus orientação e a partir de Deus liderar! Isso não dispensa de nossa parte preparo, pelo contrário, isso nos leva ao trabalho. Como líderes, devemos estar sempre atualizados e por dentro do mundo de nossos jovens, pois nossa pregação não pode ser alheia às necessidades deles.
A alegria deve permear nosso ministério. A alegria contagia (o desânimo também) e da forças pra continuar. Nós como líderes, devemos ser os primeiros a atender o chamado de Mt 11.28 “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei”. Isso não será vergonhoso, será um bálsamo pra alma e com certeza caminharemos convictos rumo a uma mocidade melhor.
——–

O aviso é sério!

Juízo! É isso que vemos na repreensão do profeta Oséias em seus primeiros capítulos. Ele fala sério aos líderes do povo. Sacerdotes corrompidos, reis impiedosos, ninguém escapa, todos condenados pela palavra do profeta. Qual a acusação? Idolatria, prostituição, abandono da Lei do Senhor. Deus não tinha exclusividade no culto e havia relação sexual na liturgia, em homenagem ao deus da fertilidade Baal (Os 4.16-5.7), ou seja, não havia clareza por parte da liderança, que abandonou os preceitos de Deus, logo, todo o povo sofrera com isso. Deus era juntamente adorado ao lado de Baal e o livro de Oséias é um esforço, em manter a primazia de Deus. Oséias vem na esteira do profeta Elias.
E o que Oséias tem a nos dizer hoje? Acredito que a mesma coisa (Os 5.1-7). Deus continua não tendo exclusividade em nosso meio, Baal só trocou de nome, hoje em dia ele se chama dinheiro,prestígio, orgulho, religiosidade…. a lista é grande.
Toda liderança que se afasta dos princípios do Senhor desvia não somente a própria vida, mas a de todo o rebanho. Isso ressalta a importância do líder como leitor e pesquisador das escrituras. A quem diga que os cursos de teologia surgiram porque a igreja deixou de ensinar a palavra de Deus, talvez!
Que nossas lideranças possam ouvir os profetas. Que se voltem para o Senhor com temor e tremor, que aprendam a aprender com seus liderados e deixem o próximo ser a “lixa de Deus” no ego inflado.

Categorias: Reflexões,Textos