O Grande Maestro!

E quem disse que o Brão é somente ilustrador? Olhem a reflexão que ele escreve e que já serve de esquenta para o próximo BTCast.

Muita gente se ofende com estudiosos ao relacionarem fatos bíblicos a fenômenos naturais. E maior que os sentimentos machucados, são os insultos proferidos por alguns ditos cristãos perante esses fatos. Talvez por se acreditar que Deus seja um mágico, que sempre que necessário tira um coelho da cartola a fim de ajudar Seu povo .

Talvez por acreditarem que o “sonho de Deus” seria que todos os humanos se prostrassem a Ele devido a seus feitos sobrenaturais. Porém, se Deus quisesse se revelar extraordinariamente Ele mesmo o faria, talvez promovendo um mega-show, com um jogo de luzes vindo de todas as estrelas para que todos presenciassem a descida dEle do céu.

 Não que Deus seja incapaz de atuar sobrenaturalmente, mas, a meu ver, Deus está muito mais para um maestro que mágico.

 E com isso não tiro os méritos dEle, nem de Suas obras, pelo contrário, credito ainda mais.

A confirmação e comprovações de eventos bíblicos e/ou intervenções divinas não contradizem essas crenças, mas sim engrandecem-nas ainda mais.

Pois como Ele criou todo um universo, regido por tantas leis físicas e naturais, obviamente que fará uso de toda essa criação.

O fato de alguns cientistas relacionarem as pragas do Egito à erupção vulcânica do Santorini não tira o teor divino da narrativa bíblica, pelo contrário, vem pra contribuir na afirmação da presença da mão de Deus. Não uma mão de posse a uma varinha mágica, mas sim de uma batuta (a pequena vareta de madeira utilizada para regência), pois quão extraordinário é o fato de um acontecimento natural do outro lado do mar acontecer e desencadear diversas manifestações na natureza no momento exatoem que Moisésos previa diante de Faraó. Só pode ter sido obra de um grande regente.

Quem pode categorizar as situações que muitas vezes nos pegamos estar “no lugar certo, na hora certa” como não intervenções de Deus em nossas vidas? Porém, mais cegos que estes, são os que as chamam de “coincidências”.

Que possamos ver a mão de Deus na regência do mundo e de nossa história, pois o maior milagre que a vida não há. Quem tenha olhos para ver que veja, e ouvidos para ouvir, que ouça.

Lc 10. 22 – Rm 9. 14-18 – Mt 13. 13

Categorias: Reflexões,Textos

Tags: ,,,,,,

  • Robson

    Quando eu fazia faculdade, uma certa vez um professor comentou a respeito deste estudo que fizeram a respeito deste vulcão e sua relação com as pragas do Egito. Como ele mesmo disse, achar respostas científicas para os acontecimentos era até fácil, o difícil era explicar todas elas se coincidirem de tal maneira com o impasse político e social da ocasião (disputa pela saída do povo) que acontecia naquele momento. Para tal, Moisés ou deveria ser um gênio, para antever todos os acontecimentos e usá-los em benefício do seu povo, ou teria uma “ajuda divina” para tudo coincidir perfeitamente. Concordo com o texto, se Deus quisesse fazer tudo de maneira sobrenatural, jamais teria criado as leis da natureza e da física para “conduzir” o Universo. O que, para muitos ateus é uma prova da não existencia de Deus, para mim é mais uma demonstração incrível da grandeza de nosso Deus.

    Paz a todos.

  • Názaro de Brito

    Cara, o cara definiu o meu conceito de Deus! Muito bom saber q não sou o único q têm a imaginação fértil nesse sentido rsrsrs