O batismo cristão e a manifestação da graça

Desde a sua origem, o batismo manifesta-se através do ato de imersão do indivíduo em água, representando a transformação para uma vida nova. A água possui simbologia própria que remonta ao Gênesis, livro do antigo testamento da Bíblia Sagrada, onde é narrado o processo de criação da vida. A água desempenha um papel importante na criação. Por meio da água Deus sustenta o jardim e assim todos os seres vivos. Mas é a conexão entre palavra de Deus e elemento, neste caso a água, que a torna no sinal visível da promessa de Deus, sem esta união ela não passa de água.

A partir do batismo, Deus concede graça aos homens e permite que se aproximem do caminho divino, estabelecendo uma verdadeira relação entre pai e filhos. À todos aqueles que creem no evangelho anunciado, é dada a oportunidade de experienciar um novo começo restaurado do pecado e livre de qualquer condenação.

O Batismo como caminho para a salvação

O batismo que João Batista realizava era chamado profético, de preparação do caminho e arrependimento para o perdão dos pecados, uma disposição individual para mudar de vida através da confissão das próprias faltas e sua posterior purificação. Com isso, cumpre-se a primeira parte da profecia descrita no livro de Ezequiel do antigo testamento (Ez 36.25ss), o qual prevê que Deus aspergirá água sobre o povo e este ficará limpo.

A segunda parte da profecia trata da vinda do Espírito de Deus, que através de Jesus seria dado aos homens a fim de que caminhassem segundo os preceitos divinos. Por isso diz-se que o batismo de João Batista não era cristão, já que somente a crucificação de Jesus redimiu a humanidade e possibilitou a vinda do Espírito no Pentecostes, onde ocorreu o assim chamado Batismo no Espírito Santo. A partir deste momento é possível falar em um batismo trinitário, isto é, em nome do Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

Assim, o batismo assume um importante papel no desenvolvimento da história cristã, com um selo de entrada na nova aliança, já que a água que outrora foi instrumento de expiação em Noé, agora é sinal de renascimento em Cristo para a verdadeira Salvação. Mas não basta cumprir o ato de batizar-se que já estará salvo, pois é o exercício da fé em Jesus e a firme convicção de que Deus em sua graça cumpre o que promete.

A Graça que acompanha o batismo

A graça concedida pelo batismo, que muitas vezes é confundida com a misericórdia, associa-se à benevolência de Deus para com a humanidade, sendo uma dádiva divina que nos abre a possibilidade de uma nova vida com Jesus. Não é mero ato de caridade ou perdão, mas vai além, é uma espécie de inclusão do homem à natureza divina, como num casamento onde homem e mulher vivem um para o outro e em tudo participam e compartilham na vida um do outro.

Como dom universal e gratuito, a graça opera uma bênção não merecida àquele que a recebe –  considerando a natureza pecadora do ser humano – e se revela como demonstração do puro amor de Deus para com a humanidade. Tudo isso através de um pequeno ato chamado batismo.

Categorias: Textos

Tags: ,,