Gabi de frente com o Malafaia

Escovei os dentes, me aprontei para ir dormir e liguei o notebook, são duas e meia da manhã e estou aqui escrevendo esse texto. Por quê? Porque estou até agora pensando na entrevista do Malafaia no programa De Frente com Gabi. Não exatamente na entrevista, mas na pergunta que postei no Facebook e me gerou algumas dores de cabeça e me levou a pensar algumas coisas, todas muito óbvias, mas como não posso pagar um psicólogo, deixe-me escrever aqui.

Simplesmente perguntei na rede social: “Silas Malafaia na Gabi, representante dos evangélicos ou vergonha do evangelho?” Foi uma pergunta, não um ataque pessoal. Mas a sua pergunta é tendenciosa, disseram alguns. Depende. Claro que eu tenho a minha resposta, mas eu fiz uma pergunta. A minha resposta não importava no post, e sim dos meus seguidores na rede, temos certa liberdade de expressão, certo? Não respondi porque não queria influenciar ninguém, mas gerar uma reflexão. O que me deixa meio assim, é que as pessoas se ofendem por serem questionadas. Quem tem medo de ser questionado não tem certeza daquilo que acredita.

Foi bacana ver as pessoas dando seu ponto de vista, uns dizendo que ele é um exemplo, homem de Deus, outros um fanfarrão, outros as duas coisas ao mesmo tempo (?). Porém, alguns me atacavam: a vá orar pelo cara, povo desunido heim; nunca vi católico falando mal de padre, e por aí vai, ah, teve um que disse que minha publicação não era cristã.

Que isso? Não posso questionar uma figura pública? Claro que posso. Falto com respeito fazendo isso? Depende de como faço, obviamente. Sinceramente, não vi falta de educação na minha pergunta.

Gente, não concordo com a maioria das coisas que o Silas fala/escreve, já deixei claro isso aqui no blog, mas isso não quer dizer que sou contra o reino de Deus. Marcos Botelho expressou muito bem isso:

Não é porque eu sou contra a opinião, postura e até mesmo o cardo da Dilma (ou FHC), que sou contra o Brasil ou estou lutando contra o Brasil.
Não é porque eu sou contra a opinião, postura e até mesmo o cardo de um evangélico que está na TV, que sou contra o evangelho ou estou lutando contra o Reino de Deus.
Pra mim parece simples.

Pra mim também. Simplesmente examino algumas coisas que o Silas fala e não concordo! Atos 17.11 diz: “Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo“.

Alguns dizem: Ah, você critica os defeitos do Malafaia mas não se dá conta de que também é pecador. Claro que me dou conta dos meus pecados. Contudo, não fico em rede nacional dizendo que a minha opinião é o que a bíblia diz. Esse é um dos grandes erros dele. Coloca a sua interpretação das escrituras como palavra de Deus. Malafaia é como qualquer ser humano, tem virtudes e defeitos, seu problema é não enxergar que aquilo que pensa ser virtude, é defeito a ser confessado e abandonado.

Teve coisas boas na entrevista, como bem apontou Renato Vargens: “Ao tratar de assuntos relacionados a sexualidade Silas demonstrou  firmeza  e coerência bíblica. […]Silas também defendeu o casamento, combateu o divórcio e acentuou o valor da família, todavia, na minha opinião ele perdeu uma grande oportunidade para anunciar Cristo de uma forma mais tangível aos milhares de telespectadores espalhados por esse Brasil.”[1]

Silas pensa ser o representante dos evangélicos no Brasil. Eu penso que não, não representa o cristianismo que sigo. Penso que a Igreja do Senhor Jesus não precisa desse tipo de representante. E respondendo a minha própria pergunta. Pra mim ele envergonhou. Mas Bibo, ele disse umas coisas boas. Sim, mas a essência do evangelho não esteve presente na entrevista, e isso me envergonha. Silas pregou a verdade, mas a sua verdade… (Jardel Néspolo) Não sou contra a pessoa do Silas Malafaia, sou contra o seu discurso! Assim como ele ama os homossexuais, eu o amo!

Enfim, quem acha que criticar é perda de tempo, coisa do peludo, precisa rever o ministério profético, o ministério de Jesus e dos apóstolos e de tanta gente boa ao longo da história da igreja. Como disse Maurício Zágari: “se criticar fosse um grande mal, o próprio Deus Pai, Jesus, os apóstolos, a Igreja primitiva, os reformadores e outros cristãos sérios seriam, imagine você, seres malignos. O que simplesmente não é verdade.”[2]

Com a crítica somos aperfeiçoados e aperfeiçoamos!

E por favor, antes que você venha me citar fora de contexto Mt 7 “Não julguem, para que vocês não sejam julgados.” Ouçam esse #BTCast. E Veja esse vídeo do Yago Martins

Muito obrigado por ler meu desabafo… sigamos em frente!


[1] http://renatovargens.blogspot.com.br/2013/02/o-que-eu-achei-da-entrevista-do-silas.html

[2] http://apenas1.wordpress.com/2011/12/26/cristaos-criticos-que-criticam-cristaos-criticos-festival-promessas/

Categorias: Reflexões,Textos

Tags: ,,,,