Fora do Éden 005 – Retratos da leitura, Bailey, Facebook e Ato profético

 

Mais um episódio do Fora do Éden, seu bolo de treta gospel quinzenal que traz os assuntos mais importantes que aconteceram por ai afora:

  • Pesquisa Retratos da Leitura mostra que Bom Dia Espírito Santo, A Cabana e Bíblia estão entre os livros mais citados (isso é bom? O que essa pesquisa quer dizer?)
  • Morreu Kenneth Bailey, estudioso do Novo Testamento e autor do livro “As Parábolas de Jesus” (quais as contribuições dele? Por que ele consegue falar tão bem do contexto local dos judeus? O que é Sitz im Leben?)
  • Pesquisa da Universidade Baylor aponta que jovens que usam mídias sociais são mais propícios a serem liberais na sua fé (será mesmo? Qual a solução – cortar a internet?)
  • Evangélicos fazem ato profético contra a corrupção em Brasília (vai resolver alguma coisa? Como nós, cristãos, devemos agir politicamente?)

Participantes: Cacau Marques, Erlan Tostes, Rodrigo Bibo de Aquino e Rogério Moreira Jr.

Música do encerramento: “Está casado com o Estado”, de Tiago Cavaco.


Links no episódio.

Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil

Morre Kenneth Bailey

Pesquisa aponta que Facebook pode influenciar religião de jovens

Amplificador

Categorias: Fora do Éden,Podcast

Tags: ,,,,,,,,,,

  • Lourival Gonçalves

    Primeirão…

    • Rogério Moreira Júnior

      O primeiro First de todos os comentários dos programas (parabéns? =P)!

      • Lourival Gonçalves

        Quem chega primeiro ganha um cesta de maçã?kkkk

        • Rogério Moreira Júnior

          Maçãs – mas já vem mordidas.

  • Lourival Gonçalves

    ô @cacaumarques:disqus eu Ganhei o livro Casamento blindado de casamento cara.kkk.

  • Klerfson Santos Souza

    Prezados,
    estou gostando bastante dos programas do fora do éden, gostaria de sugerir para o próximo programa o comentário a uma matéria que saiu no site cristianismo hoje sobre “Dez coisas para eu voltar para a igreja” existem pontos interessantes a serem discutidos. paz!

    • Rogério Moreira Júnior

      Vou dar uma olhada no texto. Abraços mano!

    • Rogério Moreira Júnior

      Então cara, dei uma olhada nele. Não sei se vamos ter espaço para ele no programa por agora, por isso resolvi trazer a conversa para cá:

      O que você achou? Não dá para sentir o cheiro da agenda contemporânea? Como podemos comparar um texto como esse com as “9 marcas” da igreja saudável que ficaram famosas por esses tempos?

      Abraços!

  • Rodrigo Duarte de O. Toledo

    Não sei se entendi corretamente, mas no programa vocês dizem que a realidade da Pesquisa da Universidade Baylor é diferente da vivenciada por aqui, mas creio que não, pois tenho contato com várias pessoas que postam o que está de acordo com o que elas acreditam e repudiam o que está contrário ao que elas pensam, ou seja, exatamente como está por lá. Realmente não sei se entendi o contexto de nossa realidade corretamente;

    Abraços e continuem com este trabalho maravilhoso. Paz.

    • Rogério Moreira Júnior

      Então, acho que tem mais a ver com jovens e adolescentes, sem opinião formada sobre os assuntos – ou mais influenciados pela cultura pós-moderna. Mas é claro que o facebook também pode servir para você reforçar algumas ideias.

      Abraços, e valeu pelo comentário! Volte mais vezes!

  • Pessoal, às vezes fico um tempo sem comentar os episódios do BTCast e dos demais podcasts da “BT Corporate” pelo simples motivo de achar que não tenho grande contribuição a fazer, já que os participantes sempre abordam os assuntos com riqueza de detalhes e profundidade. Mas resolvi passar aqui para expressar minha satisfação com os podcasts produzidos. Inclusive, em relação ao Fora do Éden, está tão legal que fico sempre ansioso pelo episódio seguinte. Muito bom mesmo, gente!

    Agora, quero aproveitar também a oportunidade para perguntar honestamente algo que tenho curiosidade há muito tempo:

    Qual o problema com A Cabana?

    Considerando que não se trata de um livro teológico, não se apresenta como divinamente inspirado e se classifica como obra de fantasia… qual o problema?

    • Rogério Moreira Júnior

      Cara, então, sabe Este Mundo Tenebroso? Acho que aconteceu uma coisa parecida com a Cabana. No caso do Este Mundo, o livro é bom, mas as pessoas acabaram levando a sério demais, quase criando doutrina sobre as ideias – ou reclamando de quem faz isso.

      Agora, acho que tem um lance do Cabana representar uma teologia mais liberal, não?

      • Confesso que é a primeira vez que ouço falar de Este Mundo Tenebroso, talvez leia no futuro. Talvez a primeira vez que me chama a atenção. Agora, é complicado que QUALQUER obra de ficção que dialogue com o cristianismo seja levado como realidade pelo grande público! É como eu CANSO de ver evangélicos “aprendendo” as histórias bíblicas ao assistir filmes e novelas “cristãs”. Absurdo, porém culpa do povo que prefere o consumo de obras culturais ao estudo do evangelho! Mas realmente não acredito que A Cabana foi escrito desejando causar esse efeito.

        Teologia liberal em A Cabana?! Não enxerguei isso nem um pouco. Por favor abra meus olhos com mais detalhes se for o caso.

        • Rogério Moreira Júnior

          Então, como falei antes, não li o livro – só ouvi mesmo o pessoal chiando para tudo quanto é lado (e, antigamente, confesso que fiz o papel do crítico que não lê).

          Mas sobre essa relação, aconteceu algo parecido com o filme Noé, há um tempo – a gente não dialoga com o filme, só espera que ele seja o mais “fiel” possível. Do mesmo lado, aceitamos os exageros e desvios do Dez Mandamentos, desde que ele respeite a bíblia nos acontecimentos.

          • Valeu, irmão. Até dentro disso que você comentou eu acredito que o pessoal implicou com o livro por ter uma expectativa errada (não é uma obra doutrinária/teológica), pelos excessos de certos leitores, ou por simplesmente não aceitarem a forma que o autor usa sua liberdade literária para retratar Deus na obra. Mas honestamente continuo não vendo problema real.

  • Alexandre Ferreira Santos

    Aê!
    Sobre a questão da leitura, conheço pessoas que não frequentam nenhuma igreja regularmente (católicos e evangélicos) e que também não leem livros regularmente, mas usam as Escrituras como livro de oração (um versículo e basta), acho que isso se reflete na pesquisa, pois a bíblia acaba sendo a única coisa que essas pessoas leem.

    Sobre a questão do “liberalismo da fé”, lembro que ficava bolado nos tempos do orkut quando um amigo colocava no perfil: “tenho um lado espiritual independente de religiões”. rs. Mas acho que vocês abordaram bem a questão, este Crtl+C, Crtl+V doutrinal faz parte de uma falta de adesão a uma comunidade local.

    Interessante como há uma conexão entre as duas coisas. Por um lado, há uma pressão social para que a fé seja algo cada vez mais privado e pessoal. Por outro, as pessoas acham que ler um versículo bíblico uma vez por dia, ou por semana, é o suficiente para dizer que tem um “lado espiritual”.

    Abraço a todos.

    • Rogério Moreira Júnior

      Boa conexão, Alexandre – realmente, uma fé mais baseada em versículos e frases do que nas mensagens do livro vai nos levar a essa religiosidade mais líquida, amorfa. No meio disso, quanto mais uma pessoa participa da fé junto de outras, mais firme fica no que acredita.

      Abraços!

  • Rogério Moreira Júnior

    Vamos cuidar disso!

  • Glória Hefzibá